10 coisas odiáveis nos portugueses

Galo_BarPara ficar a par das qualidades de cada povo, basta consultar uma brochura turística ou um guia de viagens. Ter conhecimento dos defeitos já é mais difícil. Dos maiores e mais visíveis aos mais pequenos e insignificantes mas que não deixam de ser incomodativos. É para isso que a Inépcia cá está. Para destruir reputações nacionais e revelar os podres mais íntimos de nacionalidades até então perfeitamente respeitáveis. E, como mandam as regras da boa educação (é esse um dos defeitos dos portugueses: sermos tão amáveis e cordatos), é de bom-tom começar por enumerar os nossos antes de enumerar os dos outros. Portanto, cá vai.

1-A bipolaridade portuguesa é das características nacionais mais irritantes. Num passado recente, vivíamos felizes e contentes num estado de depressão crónica à escala nacional, dando braçadas convictas numa grande piscina olímpica de miserabilismo. Com o passar dos anos e quando começou a ser óbvio que, em comparação com o resto do mundo, até nem estamos tão mal como isso, passámos a alternar este estado com o oposto. Tanto somos os maiores do mundo como a maior escória do planeta. E não há medicação que chegue para dez milhões de casos psiquiátricos.

2-Num país em que tão pouca gente lê, a autora nacional mais vendida (não se sabe se lida ou não) é Margarida Rebelo Pinto.

3-Os portugueses orgulham-se de terem dado novos mundos ao mundo durante a era dos descobrimentos. No entanto, tarda em atingir-se a noção revolucionária de que coisas como urinar na rua, cuspir para o chão ou adubar o passeio com dejectos canídeos são profundamente desagradáveis.

4-Somos um povo tão corrupto que inventámos um nome afectuoso para a corrupção: cunha.

5-Portugal faz parte da União Europeia desde 1986. Depois de duas décadas de subsídios dos estados ricos da Europa, estava no fundo de todas as tabelas estatísticas (menos as que diziam respeito à iliteracia, subdesenvolvimento, tamanho médio dos preservativos, toxicodependência e doenças graves) antes do último alargamento e corre sérios riscos de ser ultrapassado em breve por todos os estados do leste europeu recém-chegados. Se a União Europeia fosse uma escola, Portugal já teria sido reencaminhado para uma instituição de ensino especial há muito tempo e estaria agora a esculpir cocós de madeira para vendas de caridade.

6-O astrolábio náutico foi inventado pelos portugueses. A combinação de fato de treino com sapatos de verniz também.

7-Os portugueses são os principais importadores e consumidores mundiais de bacalhau seco e salgado. Graças a um apetite insaciável, o “fiel amigo” chegou ao ponto de estar ameaçado de extinção. Mas serve-lhe de consolação o facto de, entre as inúmeras espécies ameaçadas, nenhuma poder ser cozinhada de tantas maneiras diferentes.

8-Qualquer referência a Portugal feita pela comunicação social de um outro país, sobretudo se for um país mais rico do que Portugal, é passível de ser noticiada pela comunicação social nacional com grande destaque. Oscar Wilde disse que a única coisa pior do que ser falado é não ser falado. Mas, que se saiba, o autor irlandês nunca foi confundido com uma província espanhola ou localizado erroneamente algures na América Latina.

9-Portugal e Espanha têm uma longa história comum motivada pela proximidade geográfica decorrente da partilha da Península Ibérica. Depois de séculos de conflitos e relações problemáticas evoluíram para uma rivalidade muito peculiar por ser unilateral. Ou seja, enquanto a maioria dos portugueses considera existir uma rivalidade saudável com os vizinhos espanhóis, os espanhóis só muito raramente se lembram da existência de Portugal. Um estudo recente prova que 80% dos turistas que nos chegam do país vizinho pretendiam visitar a costa atlântica espanhola e ficaram surpresos por descobrir um país diferente antes de chegar à praia.

10-A riqueza do país está também nos seus emigrantes. Não apenas pelas receitas que enviam para o país de origem mas pela divulgação do nome de Portugal no estrangeiro e promoção dos seus costumes e cultura. Tretas. As coisas já não estavam boas sem ter a parte diminuta do mundo que sabe da nossa existência a ver-nos como merceeiros de bigodaça com a camisa desabotoada até ao umbigo a dançar o vira pela rua fora com uma sardinha assada numa mão, um garrafão de vinho tinto na outra e um galo de louça equilibrado sobre o boné do Benfica. Obrigadinho!

5 Comentários

  1. Magalhães (obrigatório) diz:

    Não respeita pobres, só se interessa pelos ricos. A ambição é ser rico ter um bom carro para dar nas vistas! Comer , comer até rebentar . 80% de obesos e barrigudos!

    Critica fácil e destrutiva . Pouco pragmático e alheio a responsabilidades e iniciativas. Sentido cívico muito fraco !É por natureza desconfiado (quem é desconfiado não é sério ) vive muito de aparências e tem muitos preconceitos (maus de preferência) .

    Creatura incerta complexa e complexada.É MUITO INTERESSEIRO QUANDO LHE CHEIRA A DINHEIRO. É verdadeiramente um povo de atrasados um povo sem jeito difícil de gerir . Pior é muito difícil encontrar !

    E somos um país católico vejam bem !…………

  2. Magalhães (obrigatório) diz:

    O português como eu sou acabei por descobrir. É seguramente o povo mais complexo e pôdre da comunidade europeia.
    Vou citar só defeitos porque afinal de contas qualidades muito pouca gente tem.
    1) Vaidoso.
    2) Impostôr
    3) Vigarista
    4)Corrupto (é só uma questão de oportunidade ).
    5)Invejoso
    7)Difamador
    8)Traiçoeiro
    9)Cobarde
    10)Parolo etc etc …….. e muito mas muito mais !….

  3. Essa parte da corrupção foi bem esclarecedora…. agora sei de onde os brasileiros herdaram o tino para a “cunha”. E como nosso querido presidente molusco não admite que os santos, puros, imaculados e mioritários negros e indígenas possam ter contribuído com a cultura do “rouba, mas faz”, o mérito é todo e unicamente de vocês, portugueses!

  4. Acho que o texto apesar de ter uma certa piada mostra um ponto de vista uma pouco distante da realidade. Penso que não tens razão sobre o que te queixas e que seja mais complexo teu em viver num país pequeno como Portugal :)

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *