O dragão de Rio Tinto

Segundo a lenda, o dragão de Rio Tinto é o único descendente de uma longa linhagem de bestas fantásticas que povoaram outrora a cintura urbana do Porto. Diz-se que seu pai era um enorme dragão de escamas verde-azuladas com bafo flamejante e longuíssimas asas de couro mas os genes da mãe, modista de Valongo, acabariam por revelar-se dominantes.
Olhando-o de forma superficial, ninguém acreditaria tratar-se de um dragão real. A face é horripilante mas inteiramente humana. Tem dois braços, duas pernas, uma barriga volumosa que lhe escapa muitas vezes para fora da roupa e reúne-se com os amigos aos Sábados à noite para ver o futebol no café do seu bairro. Dificilmente o conseguiriam distinguir de um humano não fosse por dois pormenores singelos. Por um lado, o facto de, sempre que se constipa, precisar de muito cuidado para não incinerar ninguém com os seus espirros de labareda. Por outro, a enorme cauda pontiaguda que arrasta pelo chão atrás de si e o obriga a usar calças especiais.

O dragão de Rio Tinto é adepto ferrenho do Benfica, o que muito incomoda a malta lá do bairro, e chegou mesmo a pensar inscrever-se como sócio, não concretizando a vontade quando descobriu que as cadeiras do estádio da Luz não são suficientemente amplas para acomodar a sua original traseira.
Ninguém sabe ao certo em que consiste a alimentação do dragão de Rio Tinto mas existem várias teorias avançadas por gente de bons costumes e racionalidade exercitada. Há quem diga que se alimenta à base de tremoço, leite condensado meio gordo e esparguete cru mas também há muitos que juram não comer ele nada para além de papas de aveia frias regadas com o ocasional copo de vinho tinto (não pode abusar porque tem o fígado muito delicado). Um amigo de infância garante que sempre o viu comer apenas peles de frango assado na brasa mas a sua credibilidade saiu bastante abalada pela biografia não autorizada e fantasiosa que escreveu há coisa de meio ano.

É um animal de hábitos. Todos os dias se ergue da cama à mesma hora e vai ao quiosque para se inteirar das notícias do dia. Costuma comprar o Correio da Manhã por achar que tem os melhores resumos das suas telenovelas preferidas. Ganha a vida como bate-chapas numa oficina situada por baixo do seu covil (instalado temporariamente num segundo andar com três assoalhadas até aparecer coisa melhor). Não ganha bem mas o que recebe é suficiente para os seus gastos modestos. Sonha constituir família com uma moça honesta e trabalhadeira. Não precisa de ser da mesma espécie mas ter ancas parideiras será sempre um elemento a favor.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *