Descoberto único português que não está indignado com a exclusão do Porto da Liga dos Campeões

Numa revelação causadora de grande pesar e nojo extremo, a Inépcia está em condições de revelar que existe um português a quem a exclusão do Porto da Liga dos Campeões pela UEFA não deixou indignado e num estado de depressão profunda. Trata-se de um empregado de pastelaria residente em Portalegre, que afirma preferir a tauromaquia ao futebol e não ter qualquer predilecção clubística além de uma simpatia ligeira pelo castiço Estrela de Portalegre da terra que o viu nascer. O seu nome será mantido em segredo para evitar represálias merecidas, mas, de acordo com a repelente opinião que professa, é positivo que um clube culpado de corrupção seja punido a nível nacional, sendo perfeitamente racional que essa punição o exclua de provas organizadas por organismo internacional para quem comprar árbitros ou tentar fazê-lo não seja a coisa mais honesta do mundo. Apresentamos desde já as nossas desculpas pela divulgação de opinião tão escandalosamente anti-patriótica que reduziria a lágrimas as alminhas de Afonso Henriques e Nun’Álvares e faria o Infante D. Henrique roer a aba larga do seu chapéu, mas é necessário que se saiba o tipo de perfídia com que temos de conviver. Confrontado com a notícia, Pinto da Costa, presidente do clube lesado, comentou apenas que “há gente para tudo” e, acerca do castigo, explicou que, retirando o U a UEFA, acrescentando um B, um N, um I e um C e ajeitando um pouco as letras, fica clara a ligação desonesta entre aquela instituição e determinado clube português de má índole.

Tags: ,

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *