FC Porto anuncia contratação de Vale e Azevedo

Depois de Cristian Rodriguez, Vale e Azevedo é o último elemento “roubado” pelos campeões nacionais ao Benfica em mais um capítulo da eterna luta entre águias e dragões. O ex-presidente encarnado, preso por crimes de colarinho branco e acusado de outros tantos, reforçará o sector da legalidade duvidosa, área em que os portistas não possuem ainda trunfos suficientes. Nos últimos dias, o homem que queria “um Benfica à Benfica” refugiou-se num mosteiro budista dos Himalaias (após assédio da comunicação social ao seu tranquilo quotidiano londrino) para, de acordo com as suas palavras, “aprender um pouco sobre meditação transcendental, controlo de respiração, reencarnação, desvio de fundos para contas offshore, medicina oriental e coisas desse género.” A contratação resultou de uma ofensiva relâmpago em duas frentes, sendo que apenas nesta houve sucesso. A Inépcia sabe que o Porto tentou também contratar Eusébio para símbolo vivo do clube e só não terá conseguido porque o “Pantera Negra” se encontrava a autografar cabritos recém-nascidos numa aldeia do Tajiquistão. Pinto da Costa comentou o anúncio com a habitual finura, referindo não saber de nada até ser avisado durante alimentação dos Super Dragões com frangos vivos e fotografias da Floribella em cuecas. Quanto à natureza algo infantil e pouco digna destas contratações para fazer pirraça, o presidente portista recusou-se a responder, cobrindo os ouvidos com as mãos e pondo-se em cima de um banco para recitar um poema de sua autoria com o título “A Alegria de Ser Menino.” Numa notícia que poderá estar ou não relacionada, um comprador anónimo adquiriu toda a produção das pastelarias da vila de Sintra, depois de Luís Filipe Vieira ter confessado a um amigo “estar mortinho por comer uma queijada.”

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *