Mário Nogueira tenta ser notícia nos jornais desportivos para alcançar o pleno da comunicação social

O porta-voz da Plataforma Sindical de Professores admitiu esforços para ser noticiado pela imprensa desportiva, único nicho temático em falta para assegurar a omnipresença em toda a comunicação social portuguesa. Para atingir o objectivo, ofereceu-se ao Benfica como reforço para o novo ano, tendo sido rejeitado, não tanto por falta de méritos futebolísticos (defeito que nunca impediu ninguém de integrar o plantel encarnado), mas porque o departamento de comunicação do clube considerou que o seu bigode está duas décadas desfasado da actualidade estilística do desporto-rei. Não se deixando desalentar, Mário Nogueira continua a tentar colocar por outros meios o seu nome e fotografia nas páginas da imprensa especializada e, ao que parece, terá sondado o Atlético de Madrid para aquisição de Simão Sabrosa para a Escola Secundária do Cerco, onde o jogador passaria os dias a fintar adolescentes armados com pistolas de plástico. Respondendo aos que o acusam de sede de protagonismo, a voz do descontentamento dos professores explica que apenas deseja aparecer para que os protestos não sejam esquecidos, admitindo no entanto que outros sindicalistas aparecem realmente demais. “Não quero referir nomes, mas aquele Carvalho da Silva mete o nariz em todo o lado”, refere. Mário Nogueira iniciou a sua carreira como sindicalista júnior da Associação Sindical dos Padeiros do Norte e Ilhas, passando para a área educativa quando o aparecimento súbito de uma lesma peluda no lábio superior ditou o seu afastamento por motivos de higiene.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *