Ministra da Saúde nega disseminação intencional da gripe para promover Linha Saúde 24

Ana Jorge convocou uma conferência de imprensa para negar as alegações de que o seu ministério tenha provocado a epidemia de gripe como forma de promover a linha telefónica Saúde 24. Numa sala sem ventilação do serviço de doenças infecciosas do Hospital de Santa Maria, a ministra apresentou-se de nariz e olhos vermelhos, com voz rouca e pingo nasal, pedindo aos jornalistas para se aproximarem de forma a tornar o ambiente mais intimista. Sentado a seu lado, o director-geral de Saúde, Francisco George, manteve uma máscara cirúrgica na cara durante toda a conferência, desculpando-se com frieiras no nariz. “Estes rumores provam o nível de absurda desconfiança que reina no nosso país. Os portugueses devem aprender a confiar mais em quem os governa e apenas quer o seu bem”, explicou a ministra. Em seguida, propôs-se distribuir material com informação aprofundada sobre a questão, tossindo sobre cada um dos jornalistas que se aproximavam para receber o dossier, depois de ver rejeitada por unanimidade a proposta de saudação com beijo na boca. A oportunidade serviu ainda para promover uma vez mais as qualidades da Linha Saúde 24 e para assegurar que os telefones são atendidos por profissionais competentes, ainda que nem sempre sejam da área da saúde (há excelentes cabeleireiros, engenheiros paisagistas e operários de construção naval por exemplo), considerando-se perfeitamente terapêutica a mensagem gravada que saúda grande parte dos utentes com repetição da frase “pronto, já passou” em tom compreensivo.

Tags:

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *