Cristiano Ronaldo quer ser o Obama português

O astro do Manchester United manifestou vontade de se envolver na política nacional, considerando-se capaz de ser um Barack Obama à portuguesa, gerando uma onda de entusiasmo e esperança próxima da que culminou na eleição do novo presidente americano. Questionado sobre as suas reais capacidades para governar o país, Ronaldo disse apenas: “Se posso ser o melhor jogador do mundo, também posso ser um governante do caraças, não é?”, esboçando um grande sorriso e exibindo o revestimento de platina com rubis que mandou instalar recentemente sobre as gengivas. Existirá realmente alguma semelhança entre Obama e o futebolista português? É inegável que ambos tiveram origens humildes, mas, além da diferença óbvia nas opções de carreira, Ronaldo não é negro nem pertence a qualquer minoria étnica, ainda que a sua Madeira natal se situe à latitude de Marrocos, o que quase fará dele africano, com grandes doses de boa-vontade e alguns decilitros de álcool consumidos. Há ainda a questão das suas qualificações para cargos de elevada responsabilidade. Sem grandes sucessos académicos, os méritos do “melhor do mundo” manifestam-se sobretudo no poder de drible e na facilidade de remate, sectores em que terá superioridade inegável sobre opositores eventuais (sabe-se que José Sócrates, por exemplo, joga mais atrás). Avançando para a campanha efectiva, o prodígio madeirense assentaria o seu manifesto eleitoral na renovação dos acessórios de moda dos portugueses, na abolição do limite de velocidade para veículos de alta cilindrada e na necessidade de recrutar uma guarda pessoal composta exclusivamente por jovens mulheres com seios de silicone. Muitos dirão que Ronaldo não seria um governante adequado porque nem sequer consegue falar em condições. O jogador tem resposta estudada para esta crítica: “O pessoal que diz isso não tem legi… letigi… legigi… le-gi-ti-mi-da-de para mandar bocas.” Com a inconstância da juventude e o carácter fugaz das ambições extra-futebol dos futebolistas profissionais, é difícil perceber se o projecto é para seguir em frente, mesmo que Ronaldo tenha registado há pouco tempo a marca “CR Primeiro-Ministro”. Ao que a Inépcia apurou, foram registadas no mesmo dia as marcas “CR Imperador Galáctico”, “CR Miss Vindimas 2015″ e ” CR Salsicharia Familiar Lda.” pelo que isso poderá não significar nada.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *