Revista erótica RealPolitik promete pôr políticos a nu

A versão portuguesa da Playboy, publicação com a chancela da Associação Internacional de Fabricantes de Silicone e Lipoaspiradores, ainda está quente nas bancas e já se anuncia novo título erótico. Trata-se da RealPolitik, ilustrada com nus artísticos de políticos nacionais e criada pela editora da afamada revista Gina (que chegou a ser subsidiada por vários governos para colmatar a inexistência de aulas de educação sexual). A honra de capa da primeira edição coube a João Cravinho e o histórico do PS mostra-se convicto da validade do trabalho. “Pensei que seria uma excelente forma de contribuir para a frontalidade política e os fotógrafos foram muito profissionais,” afirmou. Mesmo estando nu em pêlo, não são imagens ordinárias. As pelancas tapam o essencial.” Hélder Nunes, o editor, conta que a ideia lhe ocorreu quando via o Telejornal e lhe passou pela cabeça uma imagem de Manuela Ferreira Leite nua. Depois de vomitar o jantar, pensou melhor e percebeu o potencial. “Houve alguma apreensão inicial quando começámos a sondar a classe política,” recorda. “Depois, explicámos que a exposição total a que nos referíamos dizia respeito apenas à nudez e ficaram mais tranquilos.” Além da especialização dos manequins, será essa a principal diferença entre a Gina e a RealPolitik. Enquanto a primeira era assumidamente pornográfica, a segunda será de um erotismo subtil e ficará desiludido quem esperar fotografias de políticos em pleno acto, aceitando envelopes de empresários ou beneficiando empresas onde pretendem trabalhar depois de abandonados os cargos respectivos. Não foram anunciados os políticos que abrilhantarão as próximas edições, mas a Inépcia sabe que poderá haver alguma verdade nos rumores acerca de uma sessão fotográfica envolvendo Marques Mendes, António Vitorino, um tapete felpudo e duas toucas de bebé.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *