Olímpio Monteiro, um português de gema 2

“Ó meu bem, aparta aparta (ó-i-ó-ai)

O cacho tinto do branco (ó-i-ó-ai)

Também eu fui apartada (ó-i-ó-ai)

De um amor que queria tanto.”

Tonicha

(clicar para engrandecer)


Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *