Vítor Gaspar responde “nein” a quem o acusa de estar ao serviço da Alemanha

O ministro das Finanças não apreciou as insinuações de que serviria interesses do governo alemão feitas por deputados de partidos da oposição durante reunião da comissão de acompanhamento do programa de ajustamento, tendo proferido um “nein” veemente e acelerado seu ritmo oratório de duas para quatro palavras por minuto. Ultrapassado este impasse, a reunião decorreu com normalidade até um dos deputados presentes questionar Vítor Gaspar acerca do conforto ou desconforto de viver com a mão direita de Angela Merkel alojada na cavidade retal. O responsável pelas contas públicas ainda respondeu que “a mão direita… da Sra. Merkel… é macia…, quente… e não muito grande… pelo que o desconforto… será… relativo” antes de perceber a meio da resposta (sete minutos depois) que se tratava de mais uma provocação, levantando-se furiosamente impávido e saindo pela porta fora com passos vagarosos. Recorde-se que a chanceler alemã visitará Portugal no dia 12 de novembro, não havendo ainda confirmação oficial da sua intenção de distinguir o ministro das Finanças e Pedro Passos Coelho com a Ordem da Palmadinha nas Costas, uma das mais elevadas condecorações do seu país.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *