Vale e Azevedo será a segunda pior pessoa a aterrar hoje em Portugal

O antigo presidente do Benfica, esperado hoje em Portugal para ocupar uma cela mobilada com gosto num simpático estabelecimento prisional durante período que oscilará entre catorze segundos e cinco anos e meio, será apenas o segundo ser humano mais execrável a aterrar num aeroporto nacional durante o dia de hoje. Quem o garante são as autoridades fronteiriças portuguesas, alertando que a pior pessoa a visitar-nos neste dia por via aérea foi uma cidadã alemã, cujo nome não será divulgado e que aproveitou a sua situação financeira desafogada para fazer uma breve visita ao nosso país e visitar alguns amigos. Um desses amigos foi o Sr. Aníbal Silva, que recebeu a amiga germânica no seu palácio cor-de-rosa, trocando com ela breves palavras em inglês algarvio e saudando-a da forma costumeira na sua Hamburgo natal, aplicando-lhe vigorosas passagens de língua na sola dos sapatos e admitindo depois que a sola teutónica tem um sabor muito subtil a menta. Outro dos privilegiados com um encontro foi o Sr. Pedro Coelho, natural de Massamá, que ofereceu um almoço à amiga alemã pago por nenhum dos convivas, sendo a ementa constituída por caldo de vergonha para entrada e nádegas de chanceler como prato principal, tudo regado por um muito português Casal da Humilhação tinto, colheita de 2010. Para a sobremesa, estavam reservados subsídios de férias servidos no seu próprio sumo. Recorde-se que os dados revelados se referem apenas aos visitantes trazidos por um avião. Acima de Vale e Azevedo e da senhora alemã (que terão em comum as alegações de inocência na venda de Ovchinnikov), a pior pessoa a entrar em Portugal hoje chegou por via marítima. Trata-se de um marinheiro filipino integrado na tripulação de um petroleiro com bandeira maltesa, que, no ano passado, conquistou a distinção de “pior pessoa do continente asiático” ao não fazer “like” à fotografia de um adorável cachorrinho abandonado partilhada pelos seus amigos no facebook, alegando “não lhe apetecer”.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *