Aumento das pensões indexado à passagem do cometa Halley

pedromotasoares

Antecipando a contestação aos cortes nas pensões motivados pelo estado da economia e pela sustentabilidade demográfica, o governo prepara-se para inverter o rumo e anunciar uma medida que se espera menos polémica: a indexação dos aumentos de reformas às visitas do cometa Halley, estando o próximo aumento agendado para meados de 2061 e com cortes graduais até essa data.

Pedro Mota Soares, ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, considerou a medida justa e equitativa. “Com esta indexação à órbita de um corpo celeste independente de qualquer ideologia ou filiação partidária, ficará salvaguardada a isenção das subidas e descidas nas reformas,” afirmou. A quem considerar que um aumento a cada setenta e cinco anos será pouco, o ministro explica que a ideia original foi indexar os aumentos à órbita do cometa Hale-Bopp, que voltará a passar pelo nosso planeta no ano 4534, mas foi tida em especial consideração a qualidade de vida dos reformados com pensões mais baixas.

Confrontado com a natureza dos cometas enquanto blocos de material duro cobertos de poeira que deixam um rasto de gás por onde passam e a existência dos mesmos traços em alguns membros do governo, Mota Soares afirmou tratar-se de uma coincidência.

O titular da pasta do Emprego aproveitou ainda a ocasião, em plena quadra pascal, para anunciar que o aumento do salário mínimo passará a estar indexado ao regresso à Terra de Jesus Cristo.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *