Sindicato das Pessoas que Chamam Nomes à Porta do Tribunal critica quem aplaudiu “Palito”

palito-f9b5

A organização que luta pelos direitos das pessoas que se colocam à porta de tribunais para insultar suspeitos de crimes criticou duramente os populares que aplaudiram Manuel “Palito” Baltazar, o alegado homicida de Valongo dos Azeites, à entrada do tribunal de São João da Pesqueira.

“Responsabilizamos as autoridades competentes,” referiu Cosme Linhaça, secretário-geral do Sindicato das Pessoas que Chamam Nomes à Porta do Tribunal (SPCNPT). “Permite-se o acesso à via pública diante dos tribunais a qualquer pessoa e depois temos gente sem qualquer formação que começa a aplaudir em vez de gritar impropérios aos suspeitos. Isto não pode continuar.”

A atividade de insultador de porta de tribunal não tem atualmente qualquer reconhecimento oficial, mas o SPCNPT gostaria de ver alterada essa situação, com a promoção de cursos e a emissão de licenças de prática. Todos os anos, centenas de pessoas gritam “Assassino! Assassino!” à porta de tribunais, fazendo-o sem remuneração e podendo o seu estatuto ser comparado ao dos bombeiros voluntários.

Se os bombeiros combatem incêndios e evitam a destruição de bens e a perda de vidas, os insultadores de porta de tribunal prestam um serviço público igualmente essencial, certificando-se de que nenhum suspeito de crime violento entra ou sai do tribunal sem ser confrontado com a natureza desprezível dos seus alegados atos.

Cosme Linhaça deixou ainda um apelo à ministra da Justiça, pedindo a instalação de coberturas para resguardar a classe da chuva e do sol excessivo e cadeiras para aumentar o conforto de quem espera pela carrinha celular seguinte.

Tags:

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *