António José Seguro quase recuperado da crise de nervos

0000381709

O secretário-geral do PS começa a sentir-se melhor, depois da crise de nervos que o abalou durante toda a semana, desde a revelação dos resultados eleitorais no passado domingo. Recorde-se que, depois de fazer um discurso triunfal em que a palavra “vitória” foi proferida um total de dezassete vezes, ocasionalmente acompanhada por qualificativos como “histórica”, “grande” ou mesmo “suficiente para justificar a minha permanência na liderança do partido apesar da total falta de carisma e jeito para isto”, Seguro caiu num estado depressivo profundo que se agravou com o passar dos dias.

Logo na terça-feira, o líder socialista trancou-se numa arrecadação da sede do partido no Largo do Rato, recusando-se a sair e dando berros de difícil interpretação em que bradava, por exemplo: “Eles querem tramar-me!”, “Os portugueses acham-me sensaborão!” ou “O Soares! O Soares! As bochechas do Soares não me deixam respirar!”

Eurico Brilhante Dias, braço-direito de António José Seguro e companheiro desde os tempos em que ambos integravam o núcleo de totós da Juventude Socialista, assegura que se tem registado uma melhoria significativa e que o líder do PS já aceita sair da arrecadação para ir à casa de banho e para se alimentar.

Os gritos histéricos só voltaram a registar-se quando lhe foi proposto almoçar no “Tandoori Palace” da Costa da Caparica, um dos seus restaurantes preferidos. Até nova ordem, todos na sede do PS estão proibidos de referir o “indiano da Costa”.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *