Pessoa que acreditava ser da classe média baixa descobre que, afinal, é da classe média alta

7490344

Um português de 46 anos foi ontem internado de urgência numa unidade hospitalar de Lisboa em choque por ter descoberto que, ao contrário do que sempre acreditou, pertence à classe média alta e não à classe média baixa. Tudo se deveu, segundo o próprio, à visita a um grande centro comercial numa tarde de sábado.

“Sempre achei que, como técnico oficial de contas com salário de míseros 1400 euros, era praticamente um proletário, mas decidi ir ao Colombo procurar um par de botas de montanhismo e tudo caiu por terra”, explicou Henrique Cuspe de Oliveira, visivelmente abalado. “Normalmente, não frequento centros comerciais. Prefiro passar os fins de semana a ler, a ouvir música clássica ou a visitar museus. Quando lá cheguei, vi-me rodeado de pessoas que também pareciam ter algum dinheiro para gastar mas que aparentavam nunca ter lido um livro na vida e que nunca teriam sequer ouvido falar de Schubert.”

Ainda em recuperação, Henrique Cuspe de Oliveira, antigo apoiante do Bloco de Esquerda e eleitor do Livre no último ato eleitoral, manifestou a sua intenção de alinhar a orientação política com o estatuto social corrigido, tendo-se já informado acerca do número de nós de gravata diferentes que é preciso conhecer para militar no CDS.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *