Portugal deixa de ser “lixo” e passa a ser “fertilizante orgânico”

compost

Para a Fitch, uma das mais divertidas agências de rating do peculiar universo financeiro, Portugal deixou de ser lixo e subiu à categoria mais desejável de fertilizante orgânico.

Ou seja, trocando por miúdos, o nosso país deixa de ser algo para deitar fora e passa a ser desperdício passível de fermentação em contentor adequado, que poderá ser posteriormente usado para adubar a horta da Suécia ou do Luxemburgo.

Os portugueses anseiam agora pela ascensão de Portugal à categoria de “comida quase fora de prazo mas que ainda pode ser ingerida se não ligarmos ao cheiro e ao sabor estranhos”.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *