Governo decreta requisição civil da TAP para permitir que portugueses continuem a emigrar à vontade

tap-portugal

A transportadora aérea nacional será sujeita a requisição civil durante a greve dos pilotos de maio para não dificultar a vida aos portugueses que seguem o conselho do primeiro-ministro, pondo de lado a pieguice por não terem emprego nem perspetivas de vida e emigrando para paragens mais prósperas.

“Sem a TAP, os portugueses teriam de emigrar por terra”, explicou Paquito, um leitão amestrado que integra o executivo como ministro das Mascotes Fofas. “E isso motivaria a fixação em destinos relativamente próximos, o que poderia facilitar o regresso, trazendo consigo os seus problemas indesejáveis.”

A lombriga Constança, que substituiu Miguel Relvas como ministra do Parasitismo, esclareceu que as palavras do seu colega porco não significam que o governo se oponha ao regresso eventual dos que partem. “Mas preferimos que venham só passar férias e deixem para trás problemas que tenhamos de resolver”, explicou, a partir do seu gabinete instalado no intestino grosso de Rui Machete. “Acreditamos que, mantendo-se a emigração presente, Portugal não tardará a ser uma colónia de férias invejável, onde os portugueses se sentirão como se estivessem em casa durante o verão e as quadras festivas”.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *