Localizado português que chamou a troica

evr - enric vives-rubio - 05 marco 2013 - portugal - lisboa - Chefes da Missao da  troika  ( CE / BCE / FMI ) sao recebidos pela Presidente da Assembleia da Republica ar , Assuncao esteves , e depois ouvidos na Comissao Eventual para Acompanhamento das Medidas do Programa de Assistencia Financeira a Portugal - rasmus ruffer,  Abebe Selassie e  Jurgen Kroger (e)   ©Enric Vives-Rubio

©Enric Vives-Rubio

O mistério está finalmente esclarecido. Afinal, a troica não foi chamada nem por Passos Coelho nem por José Sócrates. A culpa pertence exclusivamente a Bráulio Magalhães, um desempregado de longa duração residente em Penalva do Castelo que, num momento de tédio, decidiu pedir a intervenção financeira dos organismos internacionais e dar início ao protetorado de estimação de Paulo Portas.

“Foi uma brincadeira”, afirma Bráulio, visivelmente arrependido e com olhos marejados de lágrimas. “Estava em casa a ver o programa da Fátima Lopes e, depois de ligar para o sorteio dos dois euros e vinte e sete cêntimos em barras de ouro, decidi telefonar para o FMI, para o BCE e para a Comissão Europeia a dizer que estávamos muito mal e precisávamos de ajuda.” A brincadeira acabou por se descontrolar e, quando Bráulio percebeu a gravidade do que tinha feito, era já tarde demais.

Informado do facto, o primeiro-ministro manifestou o seu agrado por ter sido reposta a verdade dos factos. Já José Sócrates, a partir da sua penosa prisão domiciliária num apartamento luxuoso, disse apenas que lhe apetecia muito uma piza e que era um direito humano elementar o livre acesso ao queijo mozzarella derretido e ao pepperoni.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *