Marcelo Rebelo de Sousa tira medidas no Palácio de Belém para uns cortinados novos

Marcelo Rebelo de Sousa, antigo presidente do PSD, discursa durante a apresentação da sua candidatura à Presidência da República, na Biblioteca Municipal de Celorico de Basto, 9 de outubro de 2015.JOSÉ COELHO/LUSA

O inevitável presidente da república visitou ontem à tarde o seu futuro gabinete na residência oficial com o intuito de tirar as medidas necessárias à encomenda de uns cortinados novos. Os seus adversários na corrida presidencial criticaram esta iniciativa, considerando que os cortinados atuais se apresentam em perfeitas condições de bloqueio da luz, não precisando de ser substituídos, mas Marcelo mostra-se intransigente: “Não conseguirei servir adequadamente o país no mais alto cargo da nossa democracia com cortinados de tafetá. Preciso de sentir a constância que só o veludo proporciona.”

Os restantes candidatos têm-se oposto a estes esforços decorativos, considerando de forma unânime que o direito de alterar a decoração do Palácio de Belém é conferido pela vontade popular e não pertencerá a nenhum dos candidatos até à contagem dos votos. De acordo com fonte anónima da residência oficial do presidente, Marcelo terá já transferido para Belém uma sanita feita de encomenda a partir de monografias sobre corporações de bombeiros que lhe foram sendo enviadas ao longo dos anos e também uma fotografia autografada de Judite de Sousa em traje balnear (autografada pelo próprio Marcelo, claro).

Recorde-se que Marcelo Rebelo de Sousa lidera as sondagens com TVI por cento das intenções de voto, seguido por Sampaio da Nóvoa com Porque Não Havia Mais Ninguém por cento, Maria de Belém com Voz Fininha por cento, Henrique Neto com Quem? por cento, Edgar Silva com Padre Comunista por cento, Marisa Matias com Porque Não? por cento e Paulo Morais com Vivó Porto por cento.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *