Condutor que queria ir para o estádio de Alvalade vai parar ao Porto sem perceber como

1-DkwB_euNP2EO68K-rICIKA

Quando Rodolfo Dantas, maquinista de agrafadores residente em Loures, precisou de se deslocar às imediações do estádio do Sporting para se encontrar com um fornecedor, o inusitado aconteceu: “Seguia na minha Ford Transit pela segunda circular, meti o pisca e virei para a saída do Campo Grande”, conta. “Quando dou por mim, estou nas Antas a entrar para o parque de estacionamento do estádio do Dragão. Pensei logo: Oh Rodolfo, tu queres ver que isto foi um fenómeno paranormal?”

E talvez tenha sido. De acordo com especialistas em não ir ter aos sítios para onde se queria ir, a explicação paranormal é uma hipótese para o que sucedeu a Rodolfo. José António Foxmulder, investigador da Fundação Aqui-há-gato para o Estudo de Fenómenos Inexplicáveis, considera que “poderá existir nas imediações do estádio de Alvalade um rasgão no contínuo espaciotemporal que encaminhe para o Porto pessoas que queriam chegar ao complexo desportivo sportinguista”.

O presidente do clube leonino, Bruno Carvalho, não quis comentar a possibilidade, alegando não se interessar por assuntos e estar ocupado a promover a trasladação de Balakov para o Panteão Nacional. Quanto a Rodolfo Dantas, casou com uma peixeira do Bolhão e gere uma banca de francesinhas portáteis em Miragaia. É feliz.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *