O acontecimento literário da década

Arrojado, sensual, viril, magnético, fascinante. Tudo o que Aníbal é sem que ninguém acredite. Mas não o Aníbal que os portugueses conhecem, o estadista sisudo que produzia um esgar deprimente e babado quando tentava sorrir, que fazia comunicações ao país que ninguém desejava ou compreendia e que mastigava bolo rei como se não estivesse habituado a usar um sistema digestivo humano. Há outro Aníbal, um Aníbal secreto que só se manifestava quando os altos desígnios da Nação o permitiam, nos escassos momentos de lazer em que o Timoneiro de Boliqueime afrouxava o nó da gravata, arregaçava as mangas e ajeitava o cós das calças.

SEXTA-FEIRA E OUTRAS NOITES é um retrato franco, desbragado e sem censuras desse outro Aníbal, com páginas que se devoram, repletas de aventura, diversão, paixão e das mais suculentas amêijoas*da costa algarvia.

*(Referência ao molusco saboroso e não um trocadilho com qualquer parte da anatomia humana. Desbragado, mas dentro dos limites do aceitável.)

EXCERTOS

“José S. podia ser um primeiro-ministro popular, enérgico e confiante, mas mostrou-se muito tímido quando nos conhecemos. Falava-me do orçamento de estado, mas percebi que se sentia intimidado pelo meu carisma e pelo facto de o ter recebido em cuecas. Tomei uma decisão. ‘Deixa lá isso, Zé,’ disse, surpreendendo-o com a informalidade do tom. ‘Continuamos a discussão num clube de strip que há aqui perto do palácio. Se nunca comeste um pastel de nata nas nádegas de uma ucraniana, não sabes o que perdes.’”

“Um dos momentos que recordo com mais carinho foi a receção oficial a F., o novo rei de E., e à sua mulher, a bela rainha L. Ali mesmo, com os moços garbosos da guarda de honra da GNR a ver e a aprender comigo, cumprimentei calorosamente o marido e, sem qualquer pudor, levei a mão de L. à boca e fiz-lhe uma breve mas tórrida demonstração dos meus dotes de cunilinguista. O olhar que me dirigiu foi de puro desejo.”

“Há um retrato do marechal Carmona que me segreda obscenidades sempre que passo por ele. Já lhe expliquei que só depois de uns cocktails. Recomendei o meu preferido: Duas partes de Água das Pedras misturadas com uma parte de água da torneira morna e uma rodela de pepino. Serve-se numa traineira abatida com subsídio da CEE.”

“Mário S. nunca simpatizou comigo. Tudo porque sempre tive um melhor corpo de praia.”

O TRIUNFO DA CRÍTICA:

“Tive o prazer de conhecer este outro Aníbal nos momentos de descontração em São Bento. Foram momentos que nunca esquecerei. Falarei mais sobre o assunto num dos meus comentários televisivos depois da viagem urgente que tenho de fazer agora mesmo a um país sem acordo de extradição com Portugal e que não tem nada a ver com a pessoa que me está a bater à porta e que pode ser só uma Testemunha de Jeová ou alguém a investigar os vistos gold.”

LM Mendes

“Aníbal, estás outra vez a babar-te para o ecrã. É outro livro? Mas tu agora não fazes outra coisa? Olha, sabes onde está o comando do DVD? Quero mostrar as cerimónias do 10 de junho de 2014 à Manuela Eanes e o disco encrava depois da primeira hora.”

Maria C Silva

“El cabrón del viejo me babeó toda la mano.”

Letizia O

Para encomendas e material promocional, contactar:

Dias Loureiro, Edições & Investimentos Legítimos, Lda.

Extremely Honest Boulevard, basement 3B (knock 3 times and act natural)

Grand Cayman KY1–1010

Cayman Islands

Um comentário

  1. Sérgio Rodrigues diz:

    Muy bueno :)

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *