Inépcia: s.f. (do latim "ineptia") 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

  José Castelo Branco é descendente directo de Adão

O popular marchand de jóias e figura do jet-set, José Castelo Branco, volta a dar que falar com a revelação da sua ligação genealógica directa a Adão, figura bíblica indicada pela tradição judaico-cristã como o primeiro homem criado por Deus. Este facto surpreendente resulta de uma demorada investigação histórica levada a cabo por um historiador de muito boas famílias, com grande nível e amigo pessoal do socialite que, recentemente, deu nas vistas ao revelar ao país e ao mundo que Castelo Branco era descendente directo do primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques.

“Não se trata apenas de uma teoria,” refere Armando Figueiredo de Sá, o historiador em questão bacharel em História dos Materiais pela Escola Superior de Peniche, “Trata-se de uma descoberta devidamente fundamentada em factos históricos inegáveis.”

Entre as provas mais sólidas desta ascendência ilustre do ex-travesti mais famoso do país continental e insular está uma nova tradução da Bíblia feita a partir dos manuscritos milenares recém-descobertos num bolso das calças de José Hermano Saraiva e que, após análise atenta feita por especialistas, se descobriu conterem extractos do livro do Génesis. O texto introduz uma série de nuances ao texto adoptado pelo judaísmo e pelo cristianismo que podem ser vistas como prova do parentesco entre José Castelo Branco e Adão. Uma delas diz respeito à descrição do vestuário de Adão aquando da descoberta do pecado. O texto habitual refere que Adão se cobriu com a folha de uma árvore, o que entra em conflito com o que é referido no novo texto, ou seja, que Adão provou do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal e logo cobriu as suas vergonhas com uma microtanga Jean-Paul Gaultier que lhe custou os olhos da cara na loja mais chique da zona comercial do jardim do Éden.

Quanto a Eva, surgiram também algumas dúvidas em relação à sua verdadeira identidade. Em vez de uma companheira, abre-se agora a possibilidade de Deus ter retirado uma costela a Adão para criar um mordomo brasileiro que lhe mudasse as folhas de bananeira que usava como cama uma vez por dia e lhe trouxesse o pequeno-almoço de bagas silvestres até ao regato onde se costumava banhar diariamente. Eva também é referida no texto mas como tendo sido criada a partir de uma verruga de Adão e não de uma costela, o que lhe deu a aparência de uma mulher de setenta anos. Num trecho posterior, refere-se que Adão e Eva foram expulsos do paraíso mas tiveram ainda alguns problemas ao sair pelos portões do Éden, visto que os anjos ali colocados apanharam o casal em flagrante delito tentando transportar de forma dissimulada uma pele de leopardo contendo várias pedras brilhantes que Adão garantiu serem herança do seu avô, argumento que não convenceu os agentes da lei celestiais. As pedras acabariam por ser confiscadas mas foi-lhe permitido levar a pele de leopardo que enrolou ao pescoço, inventando assim a “tigresse.”

Confrontado com as opiniões dos que referem que esta teoria é uma “grandessíssima treta,” o marchand responde, mantendo o requinte que é seu apanágio: “São umas porcas invejosas! Elas bem queriam ter gente ilustre na família como eu! Ordinárias! Eu sou quase um deus e elas nem têm onde cair mortas! E se publicam alguma coisa com o meu nome, processo-vos, ouviram?”

Recuar