Inépcia: s.f. (do latim "ineptia") 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

Albânia diz sim ao euro

Os albaneses acorreram em massa às urnas para dizer sim num referendo acerca da aceitação do euro como futura moeda daquele país balcânico. “É um sinal da aposta do povo albanês numa aproximação aos nossos vizinhos europeus,” afirmou o primeiro-ministro, Fatos Nano.

Após os suecos terem referendado recentemente a moeda única europeia e numa altura em que se adivinham para breve referendos semelhantes na Dinamarca e Reino Unido, o referendo albanês poderia ter passado despercebido, não fosse pelo facto de a Albânia não fazer parte da União Europeia e de, de acordo com especialistas, não reunir condições para se candidatar à adesão pelo menos durante os próximos 78 anos.

O governo albanês desvaloriza a situação. “É verdade que não fazemos parte da União Europeia e que não estamos no mesmo estágio de desenvolvimento de alguns dos nossos vizinhos mas devemos ver as coisas no plano estrutural e não apenas conjuntural,” disse o ministro das Finanças, Kastriot Islami, quando saía sob escolta da cave em que foi mantido sob sequestro durante as últimas três semanas por uma quadrilha de traficantes de droga, forçando o governo a pagar um resgate chorudo de três cabras e um cesto de cebolas das grandes.

Também o presidente da república, Alfred Moisiu, subscreveu as afirmações do governo, considerando que “a União Europeia deverá encarar este gesto de solidariedade da Albânia com seriedade numa altura em que todos estão conscientes de que o euro está frágil e necessita da adesão de mais países para que o seu futuro como moeda estável seja garantido. Se os suecos não aderem, aderimos nós.”

No entanto, a Suécia, cujos habitantes se pronunciaram contrários à adopção do euro como moeda, é uma das economias mais fortes do mundo com um nível de vida altíssimo enquanto que a Albânia nem sequer tem algo a que se possa chamar “economia” sem uma grande dose de boa vontade, tratando-se de um país em que, quando um cidadão pode sair à rua sem correr o risco de que alguém dispare sobre ele, já se pode considerar afortunado.

O presidente da Comissão Europeia, Romano Prodi, agradeceu a disponibilidade albanesa para aderir ao euro mas acrescentou que “deixem lá. Não vale a pena ter tanto trabalho por nossa causa mas se quiserem muito, podemos pensar nisso.” De entre as exigências da União Europeia para a admissão da Albânia no seu (deles) seio, estão a obrigatoriedade de todos os cidadãos albaneses pintarem o cabelo de azul e tatuarem a palavra “diarreia” em albanês na testa e a alteração da bandeira albanesa que deverá passar do vermelho actual para um tom ligeiramente arroxeado com barras diagonais amarelas e verdes e círculos azuis. A águia bicéfala negra deverá ser substituída por um coelho com quatro orelhas, três caudas a fumar charuto da mesma cor.

Recorde-se que a Albânia é o mais caótico de todos os países europeus com um sistema político instável e onde as principais actividades económicas são o tráfico de droga e viaturas roubadas, a escravatura branca e a venda de selos. A moeda albanesa, o lek, tem uma cotação de 0,0074 euros mas não merece qualquer tipo de confiança dos economistas já que a moeda usada pelos albaneses na sua vida quotidiana é a metralhadora Kalashnikov. No entanto, a bolsa de valores de Tirana é uma das mais movimentadas da Europa, não apenas porque a Albânia é o único sítio no mundo onde as associações criminosas estão quotadas na bolsa mas também porque desde que um grupo de mafiosos ocupou o edifício que o tem usado como bordel improvisado, provocando uma subida e descida constante dos índices.

Até agora, o único país que apoia uma entrada da Albânia na União Europeia como prémio pela boa vontade demonstrada é Portugal. De acordo com o primeiro-ministro português, Durão Barroso, “fazia-nos jeito ter alguém por baixo de nós nas tabelas que vêm de Bruxelas até porque já ninguém acredita que na Grécia as coisas estejam piores.”

Recuar