E-zine satírico sem corantes nem conservantes

Para evitar desrespeito do Corão em Guantanamo, EUA vão deixar de imprimir livro sagrado em papel higiénico

Apesar de as alegações de manipulação inapropriada do Corão, livro sagrado do Islão, durante interrogatórios de presos detidos na base americana de Guantanamo Bay por alegadas ligações a organizações terroristas islâmicas terem sido desmentidas, as autoridades de Washington anunciaram recentemente que vão pôr fim à prática de imprimir o livro sagrado em papel higiénico e de o fornecer aos detidos sob a forma de rolo sob pretexto de minimizar o impacto ambiental provocado pelos gastos elevados de papel no mundo.

"Os Estados Unidos têm um respeito profundo por todas as religiões e não encorajámos nunca nem pretendemos encorajar algum dia acções de desrespeito a qualquer religião por parte de militares, autoridades policiais ou responsáveis políticos," explicou o secretário da Defesa, Donald Rumsfeld, enquanto usava uma pequena estatueta de Buda para partir nozes.

A notícia de que militares americanos teriam depositado o Corão em sanitas, activando em seguida o autoclismo, que tanta agitação e contestação provocou nos países islâmicos, foi prontamente desmentida mas sem que se negasse que possa ter havido um ou outro incidente isolado em que o livro não foi tratado com o respeito devido. Para o general Simmons do exército dos EUA, "é um disparate pensar que poderíamos ter feito uma coisa dessas. Como toda a gente com um pouco de senso comum saberá, é praticamente impossível enfiar qualquer livro pela sanita abaixo, a não ser que seja muito pequeno e nenhum dos exemplares do Corão de que dispomos coube na abertura."

Quanto ao exemplar que está a equilibrar um móvel na sala de leitura da base, o general garante que será substituído logo que se encontre um volume de dimensões semelhantes que o possa substituir.

www.inepcia.com