Inépcia: s.f. (do latim "ineptia") 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

Felgueirenses explicam que agressão é forma tradicional de boas-vindas

Os felgueirenses estão ultrajados com a imagem de arruaceiros com que ficaram depois de terem recebido o deputado socialista e presidente da distrital do PS do Porto, Francisco Assis, a estalo, pontapé e arremesso de sacos de lixo.

“Nós não somos assim,” afirmou João António Sapatão, porta-voz do Movimento de Defesa da Reputação de Felgueiras (MDRF), criado com o intuito de anular a reputação que foi consequência da transmissão para todo o país do semi-linchamento de Assis e recuperar a reputação de “gente esquisita que gosta de ter presidentes da câmara que lhe vão ao bolso.”

O movimento quer explicar ao resto do país que, em Felgueiras, o modo tradicional de dar as boas-vindas a uma pessoa distinta é precisamente com violência, sendo esse um costume que dura há muitos séculos. E como prova, o MDRF apresenta cópias fac-similadas dos arquivos municipais em que são relatadas recepções semelhantes à que foi feita a Francisco Assis noutras épocas.

Um dos exemplos mais significativos remonta ao século passado e diz respeito a uma visita de el-rei D. Carlos de passagem para o Porto. Reza a crónica: “E quando saya el-rey da carroagem, veyo de lá uma turba de gentes do povo e começaram de arremessar tais quantidades de bosta de vaca que el-rey disse a seus conselheiros: Mas que merda vem pois a ser esta, com mil rayos!?” De acordo com os historiadores, o rei terá considerado ordenar a um regimento de artilharia que abrisse fogo sobre a localidade mas depois de lhe ter sido explicado a estranha forma que os felgueirenses tinham de homenagear pessoas que admiravam, agradeceu o arremesso de bosta e prometeu voltar noutra altura munido de uns quantos metros de oleado para proteger o régio guarda-roupa.

Outras figuras históricas receberam tratamento semelhante aquando da sua passagem por Felgueiras. O poeta e dramaturgo Almeida Garrett foi coberto de banha de porco e atirado a um poço. O almirante Américo Tomás, Presidente da República durante o Estado Novo, foi pendurado de uma árvore alta pelos pés durante três dias consecutivos. O pintor José Malhoa foi esfregado com cactos e obrigado a voltar para casa em pelota (o cantor José Malhoa também já passou por Felgueiras mas passou despercebido). Nem António de Oliveira Salazar escapou à simpatia dos felgueirenses.

Na sua única passagem pela localidade, foi arrastado para uma arrecadação e vestido com roupas femininas, peruca loura e maquilhagem a condizer. Diz-se, e isto não passa de um boato, que o presidente do conselho venceu o concurso Miss Vindimas 1959. Mais recentemente, o popular apresentador Carlos Cruz veio a Felgueiras para apresentar a gala comemorativa dos 50 anos de uma agremiação local e, à chegada, foi adormecido com soporíferos, despido e fotografado com crianças em iguais preparos a simular actos sexuais. Desconhece-se o destino dessas fotografias.

O MDRF endereçou um convite a Francisco Assis para voltar a visitar Felgueiras e garantiu já que os felgueirenses não levarão a sua afabilidade tão longe, limitando-se a encher-lhe a cabeça de farinha e ovos e a escrever-lhe palavrões a giz nas costas.

Recuar