Inépcia: s.f. (do latim "ineptia") 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

Felícia Cabrita grávida de suspeito de pedofilia

A jornalista Felícia Cabrita, responsável pelas reportagens-choque sobre o capitão Roby, sobre os “ballets rose” ou, mais recentemente, sobre o envolvimento de alunos e funcionários da Casa Pia em actos pedófilos, está grávida de um dos suspeitos do caso que ajudou a despoletar, não podendo indicar com segurança qual deles será o pai.

“São coisas que acontecem como consequência do trabalho jornalístico,” considera a jornalista, “Quando dormimos com quem aparece em troca de uma entrevista, de informações ou só por gozo em nome do direito do público à informação, temos de nos preparar para imprevistos deste género.”

A reacção dos colegas ao deslize de Felícia é de solidariedade e compreensão. Carlos Facínora, responsável pela secção de fellatio e cunnilingus do Sindicato dos Jornalistas considera que Felícia Cabrita “tem feito muito pela dignidade do jornalismo português e pelo estreitamento da relação intrínseca entre o dever de informar a que cada profissional do meio está sujeito e o prazer que cada um terá com o correcto desempenho das suas funções.”

O contacto entre Felícia Cabrita e o pai do seu filho terá ocorrido durante o período de recolha de informações junto das fontes envolvidas. Confrontada com a recusa ou falta de à-vontade dos envolvidos para prestar declarações, a jornalista tê-los-á seduzido e aliciado para a prática do acto sexual, método que já usou noutras ocasiões com resultados francamente positivos, que o diga o capitão Roby, um homem que, graças a Felícia, pode dizer que conhece a fundo como se faz jornalismo em Portugal. Com o surgimento de cada vez mais prováveis envolvidos no caso, foi necessário um esforço intensivo e altruísta de Felícia que terá chegado ao ponto de passar cada noite com um potencial pedófilo diferente, o que lhe permitiu, para além da desejada recolha de informações, ajuizar quanto à culpa ou inocência de cada suspeito visto que os verdadeiros pedófilos acabavam sempre por lhe pedir que usasse fraldas durante o acto.

A utilização do sexo como ferramenta do trabalho jornalístico não é de todo rara no nosso país. Ao dormir com o “inimigo”, ou seja, com a fonte, o jornalista ganha a sua confiança e assegura a sua fidelidade futura em troca de satisfação sexual. Existem inclusivamente casos em que jornalistas se casam com as fontes, quase sempre personalidades políticas, abdicando da sua dignidade pessoal pelo cumprimento do dever.

A identidade do pai da criança continuará incógnita até que a criança nasça dentro de alguns meses. Nessa altura, poder-se-á avaliar com qual dos suspeitos do caso Casa Pia o petiz será mais parecido. Pela velocidade a que as coisas estão a decorrer, é bastante provável que o pai possa conhecer o seu rebento antes de ser condenado, absolvido ou assim-assim.

Recuar