E-zine satírico sem corantes nem conservantes

Paulo Portas assume filhos ilegítimos

Em resposta a críticas recentes de Francisco Louçã que o acusou de não se poder pronunciar sobre o direito à vida por nunca ter sido pai, Paulo Portas assumiu publicamente ser o pai de quinze filhos ilegítimos e pediu desculpas aos portugueses por não o ter revelado antes.

“Admito que foi um erro,” refere, “mas sempre considerei isto um assunto privado e que não interferia com a minha actividade política. De qualquer forma, sinto-me muito aliviado e é como se me tivessem tirado um Daniel Campelo dos ombros.”

As crianças são filhas de mulheres diferentes e, em alguns casos, o nome da mãe é desconhecido porque, de acordo com fonte do CDS-PP, “o doutor Paulo Portas tinha uma vida sexual muito activa antes de se dedicar à política e aos valores tradicionais da família, movida por uma potência viril incontrolável que ainda mantém mas que não exerce a grande custo, ocupado que está com os assuntos de Estado.”

Ainda de acordo com fonte partidária, este “mea culpa” público de Portas, revela a humildade do líder que, “apesar do talento inato e quase divino para orientar os destinos de Portugal e conduzir o país a um futuro glorioso, é tão humano como uma boa parte de nós.”
Para provar que não há qualquer desconforto com o passado marialva do líder do CDS, estão a ser preparados novos cartazes com uma fotografia de Portas rodeado pelos seus quinze filhos e com o slogan: “Voto útil numa bomba de testosterona.”

Em relação às alegações de que a mãe de uma das crianças seria Luís Nobre Guedes, ainda não há qualquer confirmação a esse respeito.