Inépcia: s.f. (do latim "ineptia") 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

Jet-set português enviado para o Iraque

O governo português está a planear o envio de elementos destacados do jet-set nacional para o Iraque como mais um contributo para estabilizar a situação tensa que se faz sentir naquele país desde a invasão de tropas da coligação internacional e subsequente deposição de Saddam Hussein.

A ideia partiu do ministro da Defesa, Paulo Portas, após sugestão de uma amiga íntima e possível amante (de acordo com um rumor posto a circular pelos serviços de relações públicas do ministério da Defesa como forma de atirar areia para os olhos do público em geral) Cinha Jardim, ela própria uma das personalidades de maior relevo na “alta sociedade” portuguesa e presença assídua em todas as festas onde haja música, comida e um fotógrafo da revista Caras.

A este respeito, Paulo Portas considera que “já disse que não gosto de rapazinhos! Irra! Quantas vezes é preciso deixar que me fotografem a benzer-me para levarem isto a sério?” Depois de repetida a questão, o ministro afirmou que “com esta medida, o governo quer dar o exemplo à comunidade internacional e mostrar de forma absolutamente inequívoca que um país sem grandes meios como Portugal está empenhado a fundo na luta contra o terrorismo e não abdica de dar o contributo possível, mesmo que não seja solicitado.”

O envio de “colunáveis” portugueses será feito por fases e de acordo com as indicações do comando das operações no terreno. Numa primeira fase, personalidades como José Castelo Branco, Bibá Pitta, Lili Caneças ou o estilista João Rolo e o seu amigo especial, o cabeleireiro Eduardo Beauté, serão distribuídos pelas cidades iraquianas em que o clima de insegurança é mais alarmante. A sua missão será dinamizar a vida social iraquiana com festas, jantares de gala, torneios de golfe e ofertas de roupa de marca usada e, se possível, criar um jet-set iraquiano para que sejam os próprios iraquianos a assegurar a satisfação das suas necessidades sociais a curto/médio prazo.

Para além das suas funções oficiais, os elementos desta força expedicionária poderão levar a cabo, por sua própria iniciativa, outro tipo de operações com o objectivo de tornar o Iraque um sítio melhor para viver, ou seja, um sítio mais parecido com a Quinta da Marinha ou com Vilamoura nos meses de Julho e Agosto. Lili Caneças anunciou já que levará uma colecção de “tigresses” de Jean-Paul Gaultier para a cidade de Bassorá para, segundo a própria, “ver se os iraquianos se começam a vestir um bocadinho melhor que aqueles turbantes já passaram de moda na primavera de 1979 quando eu era uma rapariga de quinze anos.”

Quanto a José Castelo Branco, já se voluntariou para aplicar os seus conhecimentos de massagem shiatsu adquiridos durante umas férias em Punta Cana no verão de 2001 junto dos militares da GNR anteriormente enviados para o Iraque como primeiro contributo português para a normalização da situação no país. “É o mínimo que posso fazer pela pátria,” afirma, acrescentando que “o máximo discutimos depois mas pode passar por um regresso do meu alter-ego travesti, a Tatiana Romanov, ao activo para uns shows privados.”

Para além desta iniciativa pioneira a nível mundial, a Inépcia sabe que o governo pretende promover intercâmbios entre a força da GNR e o corpo expedicionário do jet-set de forma a assegurar uma “saudável e desejada troca de experiência no terreno por boatos fúteis acerca das lipoaspirações de Tita Balsemão ou da impotência do filho mais novo de António Champalimaud.” Ao abrigo deste intercâmbio, Pimpinha Jardim, filha de Cinha e possível, ainda que pouco provável, enteada de Portas, assumirá o comando de um destacamento da GNR enquanto que o sargento Meireles será entregue aos cuidados de Bibá Pitta que se comprometerá em ensinar-lhe a comer com os talheres certos e a não arrotar em público ou coçar os testículos durante operações stop, coisas que, segundo Bibá, “os pobres fazem mas só porque não tiveram uma educação como deve ser e nasceram num palheiro ou assim.”

Quanto ao envio da própria Cinha Jardim para o Iraque, o ministro da Defesa rejeita essa possibilidade, pelo menos durante os próximos tempos. “Quero passar o máximo de tempo possível com ela para nos conhecermos melhor porque a Cinha é uma mulher muito especial e tem aquele cabelo louro magnífico que até faz lembrar uma peruca que eu costumava usar de vez em quando.”

Recuar