E-zine satírico sem corantes nem conservantes

José Sócrates propõe que país seja governado através de debate televisivo semanal

O secretário-geral do PS, José Sócrates, sugeriu mudanças radicais no sistema democrático português, avançando com a possibilidade de Portugal passar a ser governado por intermédio de um debate televisivo semanal em que seriam discutidas as questões de maior relevância a vários níveis e cujos intervenientes seriam os líderes dos dois maiores partidos representados no parlamento, ou seja, o próprio Sócrates e Pedro Santana Lopes, dois homens com créditos firmados em termos de oratória televisiva.

Este sistema revolucionário, a que muitos já chamam “teledemocracia” e que não andará muito longe do sistema actualmente em vigor, foi apresentado na gala do concurso “Miss Socialista 2004” no pavilhão multiusos de Rio Maior, evento em que as massas militantes escolheram o mais charmoso de entre os três candidatos a secretário-geral que se apresentaram às ultimas eleições internas do partido. O vencedor foi, mais uma vez, José Sócrates, apesar do esforço meritório de Manuel Alegre que surpreendeu os presentes com o à-vontade com que desfilou em vestido de noite e bikini.

“Não é uma questão de este sistema ser mais ou menos democrático do que o actual,” explicou Sócrates, ajeitando a tiara, “Veja... hoje em dia, há milhares de pessoas no mundo que passam fome, temos espécies de animais que se extinguem a uma velocidade alarmante, os níveis de poluição não param de aumentar e poder-se-ia perguntar se isto tem alguma coisa a ver com o assunto. Nós no Partido Socialista achamos que sim! Afinal não vivemos todos no mesmo planeta? E se alguém considerar que não passa de demagogia, está no seu direito. Veja... até os caçadores furtivos que espancam focas bebés até à morte no Árctico têm direito a exprimir livremente a sua opinião.”

Ao debate televisivo seguir-se-ia uma fase de votação por SMS, através da qual os portugueses optariam pelas propostas de Sócrates ou de Santana Lopes. Os restantes partidos não seriam excluídos do processo teledemocrático pois seria nesta fase que os militantes de cada força política poderiam fazer valer os seus ideais. Este sistema não discrimina os partidos normalmente associados a militantes com menos poder monetário como se poderia pensar já que, enquanto o militante-tipo do CDS terá mais dinheiro para gastar em mensagens telefónicas, o militante-tipo do Bloco de Esquerda, mais jovem e familiarizado com as novas tecnologias, fá-lo-á mais rapidamente, conseguindo enviar três SMS enquanto o militante do CDS se debate com o mecanismo de escrita inteligente, factor importante numa votação com tempo limitado.

Para complementar o debate de ideias, cada um dos participantes no debate teria um governo composto por personalidades escolhidas também pelos cidadãos entre os participantes num reality-show, podendo adaptar-se para esse efeito a popular “Quinta das Celebridades” da TVI.