Inépcia: s.f. (do latim "ineptia") 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

Portugueses já não se lembram do processo Casa Pia, das eleições europeias, de Sousa Franco ou de Fátima Felgueiras

De acordo com uma sondagem efectuada pela Inépcia e pelo jornal “A Mamada”, órgão oficial do SPB-NE (Sindicato das Prostitutas de Bragança-No Exílio), organismo que tem a sua sede temporária nos arredores da cidade galega de Vigo, a maioria dos portugueses já não tem qualquer memória dos acontecimentos que marcaram a actualidade nacional antes do Euro.

A sondagem foi feita à porta da recém-inaugurada loja da IKEA em Lisboa, junto de pessoas que aceitaram passar a noite numa jaula de tigres famintos para ganhar um vale-desconto de 2 euros. A única selecção feita foi a separação entre os sobreviventes da prova e os não-sobreviventes que não manifestaram interesse em responder às questões dos colocadas pelos entrevistadores.

Assim, verifica-se que o processo Casa Pia, que durante meses chocou o país até perder o efeito de novidade e até os portugueses ficarem a conhecer os órgãos genitais de Carlos Cruz e Paulo Pedroso em pormenor, apenas é recordado por 17% dos inquiridos. Mais marcante parece ter sido o processo judicial instaurado a Fátima Felgueiras, autarca da cidade homónima, e consequente fuga desta para o Brasil. 25% dos inquiridos demonstra ter algum conhecimento de “ter havido uma presidente de Câmara qualquer que foi apanhada aos pontapés a um saco azul cheio de apitos dourados num jogo da segunda divisão.”

Para Neuza Aparecida, directora da “Mamada” e vice-presidente do SPB-NE, “é um fenómeno comum nas sociedades ocidentais devido à dependência que existe em relação aos media. Os assuntos vão sendo esquecidos pela comunicação social à medida que vão surgindo outros a necessitar de cobertura.” Quando questionada sobre a pertinência do nome da publicação que dirige e se não se poderia ter optado por uma designação mais ortodoxa, Neuza considera que “isto não é nada. Deviam ter visto os nomes anteriores que foram rejeitados pelo nosso conselheiro de marketing, o senhor padre Daniel Pimenta.”

Quanto às eleições europeias, apesar de terem decorrido há tão pouco tempo, a sondagem revela que apenas 7% dos portugueses se recorda do acto eleitoral, percentagem que quase iguala a percentagem de cidadãos que votou, e uns míseros 11% recorda a morte do cabeça de lista socialista, Sousa Franco, “espancado até à morte com solhas e chicharros por peixeiras na lota de Matosinhos.”

Para José Luís Arnaut, ministro de Não Sei Quê, “o Euro 2004 foi um sucesso e a prova está no efeito positivo que teve na memória dos portugueses, apagando incidentes sem importância com um peso francamente negativo e orientando-os no sentido da confiança na recuperação da economia e na competência deste governo.”

Recuar