Inépcia: s.f. (do latim "ineptia") 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

Concertos de Madonna defraudam público

Apesar do ar deliciado que ostentavam os espectadores dos dois concertos de Madonna em Lisboa como foi captado pelas câmaras dos vários canais de televisão, nem todos os fãs da cantora se mostram satisfeitos e há quem tenha queixas a apresentar.

É o caso de Paulino Tomás, 24 anos, segurança e fã de Madonna desde que descobriu o gosto por usar soutiens em bico. Foi dos primeiros a comprar bilhete e dormiu junto ao Pavilhão Atlântico, local onde se realizaria o concerto, desde o dia anterior ao espectáculo para assegurar que ficaria em posição privilegiada para ver o seu ídolo. Tudo correu bem até poucos minutos após a cantora ter entrado em palco e interpretado um dos seus temas mais célebres. Subitamente, sem que ninguém percebesse porquê, começou a ouvir-se um som penetrante e agudo ao mesmo tempo que os écrans gigantes mostravam imagens de uma espiral em movimento. Madonna ia acompanhando estes efeitos especiais bizarros, falando num tom monocórdico e dizendo coisas numa língua desconhecida.

“Passado pouco tempo, olhei à minha volta e vi que toda a gente estava imóvel e com os olhos muito abertos sem os desviar do palco,” recorda Paulino, “Fiquei sem saber o que fazer mas deixei-me estar para ver o que dali saía.”
O que dali saiu foi uma invasão do palco por homens vestindo trajes estranhos e segurando livros de aspecto antigo que substituíram os músicos e bailarinos e começaram a repetir cânticos que só pararam quando Madonna, envergando uma túnica branca com símbolos místicos, ergueu os braços e começou a exortar o público a jurar-lhe obediência cega pedindo-lhes que estivessem preparados para algo que definiu como “a grande revolução mundial” e que estaria para breve.

Após aproximadamente duas horas, os sacerdotes retiraram-se, a música voltou e Madonna interpretou o tema “Like a Prayer,” durante o qual o público voltou ao normal e todos começaram a saltar e a dançar como se não tivesse acontecido nada. Para Paulino, “foi tudo muito estranho. Perguntei às pessoas cá fora e ninguém deu por nada. Era como se estivessem hipnotizados. Isto deve ser por causa daquela onda da cabala em que ela anda metida.” No entanto, a produção do espectáculo nega que tenha acontecido alguma coisa de anormal e que tudo correu como previsto.

Também a Federação Cabalística Portuguesa (FCP) nega quaisquer responsabilidades. O presidente da FCP, Jorge Moreira, cujo nome cabalístico é “Sérgio”, esclarece que “a cabala é um sistema filosófico com o único objectivo é aproximar a consciência do divino sem ambições de dominar o mundo.”

Quem não se deixa convencer por estes argumentos é Paulino que vai ao ponto de suspender a sua paixão de tantos anos por Madonna enquanto esta questão não for devidamente esclarecida. “Isto não é maneira de tratar pessoas normais que só querem ouvir música sem esquisitices. E se for preciso, cancelo os implantes de silicone e a plástica que já tinha marcado para ficar mais parecido com ela,” garante.
De acordo com o médico de família de Paulino, o jovem não foi afectado por ser imune a hipnotismos devido a acidente sofrido na infância durante um safari nudista no Uganda, tendo escorregado e batido com a cabeça numa gazela adormecida.

Recuar