Inépcia: s.f. (do latim "ineptia") 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

Paulo Portas dá exemplo a mancebos e cumpre serviço militar

O ministro da Defesa Nacional, Paulo Portas, ofereceu-se como voluntário para cumprir quatro meses de serviço militar com o objectivo de dar o exemplo aos jovens portugueses e mostrar a sua solidariedade com os milhares de jovens que, ao longo dos anos, foram forçados a cumprir o serviço militar obrigatório.
“Pretendo mostrar aos portugueses que, quando falo em aproximação entre Forças Armadas e sociedade, dirijo-me a todos os sectores sociais, sem quaisquer distinções,” afirma.

Para levar a cabo esta experiência militar, o ministro escolheu a Marinha, ramo das Forças Armadas pelo qual sempre teve mais simpatia e, em sua opinião, o que tem as fardas mais apelativas.
O chefe do Estado-Maior da Armada, almirante Francisco Vidal, congratulou o ministro pela coragem do gesto e coloca de parte quaisquer desentendimentos entre Portas e as chefias militares no passado. “Vai ser um prazer podermos contar com o senhor ministro nas nossas fileiras,” considera, acrescentando que “quando digo que será um prazer, é no sentido mais lato possível do termo, ou seja, é comparável ao prazer imenso de enfiar um prego ferrugento no olho e arrancá-lo com um martelo de orelhas besuntado com margarina.”

Paulo Portas pretende que esta experiência inédita comporte um nível idêntico de esforço mental e psíquico ao do serviço militar obrigatório no momento em que a sua extinção se adivinha para breve. No entanto, devido à natureza das funções ministeriais, terão de ser feitos alguns ajustes ao serviço militar cumprido pelo ministro, visto que a sua presença diária num quartel é impensável.

Assim, Portas continuará a desenvolver o seu trabalho habitual no Governo mas com a particularidade de usar um chapéu de marinheiro e calças à boca de sino no desempenho das suas funções oficiais. Uma vez por dia, o ministro pretende dar duas voltas à secretária, um exercício simbólico que pretende representar os exercícios reais que fazem parte do dia-a-dia de qualquer militar e, ocasionalmente, poderá até fazer uma ou duas flexões de braços (exercício levado a cabo por um assessor mais atlético em representação de Portas para evitar que este contraia lesões musculares graves que o impeçam de passar revista às tropas).

Quanto ao período da recruta, habitualmente encarado como o mais duro em todo o serviço militar, o ministro manifestou já a sua disponibilidade para passar igual período numa estância turística da República Dominicana onde os rigores do clima tropical o farão suar mais do que qualquer corrida de resistência.

Recuar