Inépcia: s.f. (do latim "ineptia") 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

Durão Barroso também não inspira confiança aos moçambicanos

Após visita oficial de três dias a Moçambique, o staff do primeiro-ministro chegou à conclusão de que Durão Barroso também não inspira confiança aos moçambicanos, após inquéritos de opinião realizados de forma discreta nas ruas das principais cidades do país e após divulgação intensiva da imagem do governante português pelos meios de comunicação social da antiga colónia portuguesa.

Contrariamente ao que foi anunciado, o real objectivo da visita oficial não era a assinatura de um protocolo de cooperação entre os dois países mas sim avaliar a receptividade dos moçambicanos à imagem de Durão, de forma a estabelecer de uma vez por todas se a desconfiança natural que os portugueses sentem pelo seu primeiro-ministro (mesmo entre os que o apoiam) é culpa dos portugueses ou do próprio Durão. Os resultados dos estudos realizados em Moçambique parecem indicar que a sensação de que “algo não bate certo” que uma grande parte das pessoas sente ao olhar para o chefe do governo poderá ser comum a toda a humanidade e não condicionada por factores socioculturais, o que dificultará bastante o trabalho dos seus consultores de imagem que, assim, terão como única alternativa recomendar uma cirurgia plástica que permita mudar-lhe o visual, já que a maioria absoluta da coligação PSD-CDS no parlamento dificultaria uma mudança do próprio primeiro-ministro.

Para José Leite Martins, chefe do gabinete de Durão Barroso, “os resultados do estudo realizado em Moçambique foram decisivos para o trabalho que realizamos para fazer com que diminua o número de pessoas que sente náuseas e vómitos quando vê o primeiro-ministro.

De acordo com o estudo, a maioria dos moçambicanos tem reacções que vão de ligeiros arrepios na espinha a suores frios, acompanhados de diarreia e convulsões quando confrontados com imagens de Durão Barroso, sem referir os pobres infelizes que foram surpreendidos em plena rua e se viram forçados a apertar-lhe a mão, o que resultou na maior corrida às retretes públicas de Maputo desde a grande epidemia de desinteria de 1981.

De todos os entrevistados, os únicos que demonstraram alguma simpatia por Durão, foram cerca de 70 pessoas da cidade de Nampula que se reuniam para ver em conjunto todas as reportagens televisivas sobre a visita oficial do primeiro-ministro português. Para José Leite Martins, apesar de se tratar de um grupo reduzido, não deixa de ser um indicador positivo e só não o é mais por se tratar de associados da Liga Moçambicana de Pessoas que Gostam de Sofrer (LMPGS), instituição fundada há cerca de quatro anos e que defende o regresso da escravatura e exige o reconhecimento da empalação como desporto de alta competição.

Durão Barroso prefere não comentar o estudo mas adianta que “preferia ter sabido os resultados antes de ter garantido 42 milhões de euros de investimento português em Moçambique.”

Recuar