Inépcia: s.f. (do latim "ineptia") 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

Moita Flores prepara série de televisão baseada na crise política recente

Francisco Moita Flores, o melhor escritor/argumentista/investigador/pasteleiro ornamental que Portugal conheceu em toda a sua história e também um dos gajos mais porreiros dos países da NATO, está a preparar uma adaptação televisiva da crise política recente, de forma a preservar para as gerações vindouras a emoção vivida ao longo destas semanas de verdadeiro fervor democrático com a qualidade de diálogos, intensidade dramática, enredos surpreendentes, personagens ricas e mamas ao léu a que nos tem habituado.

“É um desafio,” considera o autor, “mas eu gosto de desafios e já estou habituado. Creio que não será mais difícil arranjar pretextos para despir actrizes e fazer cenas de sexo numa série baseada nos acontecimentos em questão do que noutras baseadas no processo dos Távoras ou no Conde de Abranhos.”

A série ainda não tem título porque Moita Flores está a concluir um outro projecto, "João Semana," baseada na obra de Júlio Dinis “As Pupilas do Senhor Reitor,” que promete surpreender visto que, nas suas palavras, “nem o próprio Júlio Dinis sabia ser possível mostrar a quantidade paquidérmica de mamas que vamos mostrar com base no seu romance.”

Será o projecto mais ambicioso de um autor de quem nos habituámos a esperar as melhores mamas devido à dificuldade em conciliar os muitos elementos de interesse do período (não apenas a demissão de Durão Barroso e a consequente crise mas também o Euro 2004 e o rescaldo de vários processos judiciais mediáticos) numa série televisiva. No entanto, a dificuldade não esmorece a confiança da RTP num autor já com provas dadas. Luís Andrade, director de programas da RTP e pai da Serenella, considera tratar-se de “mais uma aposta ganha à partida na ficção nacional com a qualidade a que habituámos o espectador e com a convicção de que as mamas que mostramos nas séries do Moita Flores são o que de melhor o país pode oferecer em termos mamários. São não apenas as mamas de Portugal mas também as mamas da lusofonia, porque há que pensar em quem nos vê por esse mundo fora.”

Entre as mamas já confirmadas para o elenco, contam-se as de Sofia Alves, Fernanda Serrano, Patrícia Tavares e as mamas de São José Lapa, graciosamente cedidas pelo Teatro Nacional D. Maria II. Não há confirmação de que haja interesse nas mamas de Rita Ribeiro apesar de a actriz ter dito numa entrevista recente que tinha sido abordada pela RTP para participar numa série da autoria de Moita Flores, mostrando-se disponível para partilhar os seus mamilos com a nação e tendo o apoio incondicional do seu jovem e perpetuamente sorridente companheiro, o actor Hugo Rendas.

O enredo principal andará em torno da demissão de Durão Barroso (João Lagarto), que receberá um convite para ser presidente da Comissão Europeia durante uma louca noite de sexo com Margarida de Sousa Uva (Sofia Alves), e da contestação ao convite endereçado pelo presidente Sampaio (Canto e Castro) a Santana Lopes (André Gago) precisamente no momento em que este partilhava um sensual banho de espuma com Francisco Sá Carneiro (Sandra Cóias).

Para além do aspecto mamário, Moita Flores promete uma boa dose de mistério, servindo-se para isso da sua experiência de muitos anos na Polícia Judiciária, organização que ainda hoje recorda com saudade o colega cuja tendência para enviar documentos confidenciais para as redacções dos vários órgãos de comunicação social lhe valeu a simpática alcunha de “Inspector Fax.

Recuar