E-zine satírico sem corantes nem conservantes

Momento futurista: 2005 em antevisão

O ano que aí vem promete ser rico em acontecimentos. Basta esperar para ver. Não gosta de esperar? Óptimo. Foi a pensar nos apressadinhos que a Inépcia estabeleceu uma parceria com o grande Bellini (passámos por cima do oráculo e fomos directos à fonte) que nos permite adiantar com 89% de certezas, mais coisa menos coisa, o que de mais importante se passará no ano que agora vai começar. Isto sim é serviço público com H grande!

-Política-

O POUS vence as eleições legislativas, surpreendendo os analistas, desmentindo as sondagens e deixando os eleitores embasbacados. Há suspeitas de um erro informático colossal nos sistemas responsáveis pela contagem dos votos mas ninguém contesta os resultados oficiais porque a reputação de “mau perdedor” custa a apagar. Não se limitando a vencer as eleições, o POUS fica a um deputado da maioria absoluta e forma uma coligação com o único deputado eleito pelo CDS. Paulo Portas volta a assumir o cargo de ministro da Defesa (desta vez sem os assuntos do mar) e explica ao eleitorado que faz todo o sentido um partido operário aliar-se a um partido popular, ultrapassando questiúnculas ideológicas. O estalinismo de centro-direita torna-se a ideologia oficial do país.

José Sócrates não consegue recuperar do desgosto de ter perdido umas eleições que já contava como certas e abandona a política. Investe numa cadeia de churrasqueiras e, em pouco tempo, faz fortuna com o franchising. O segredo do sucesso está num molho especial e na técnica especial de churrasco. “O Frango Co-Incinerado do Zé” ultrapassa conhecidas cadeias de restaurantes americanas e lidera o mercado.

Santana Lopes decide seguir o exemplo de Sócrates e também ele pendura as botas da política. Dedica-se a fazer debates políticos à desgarrada e a dinheiro pelo país fora e consegue amealhar uma quantia suficiente para pagar a sua primeira incursão pela vida artística: o disco “Conversas de Merda,” um misto revolucionário de política e brejeirice em parceria com Fernando Rocha. O disco alcança o primeiro lugar dos tops de vendas durante algumas semanas até a sua venda ser proibida pela entidade reguladora do mercado discográfico devido a pormenores técnicos insignificantes.

A Madeira declara a sua independência no mês de Abril. Alberto João Jardim assume o cargo de presidente vitalício da nova república insular. A sua decisão de legalizar a pedofilia traz divisas consideráveis aos cofres madeirenses mas a oposição da comunidade internacional e a ameaça de uma intervenção militar da ONU motivada pelas políticas chocantes e pelo total desrespeito de direitos humanos básicos, levam Alberto João a abdicar do cargo, lotear as ilhas e vender as parcelas ao melhor preço. A independência da Madeira durou mês e meio.

-Justiça-

Fátima Felgueiras regressa ao país e é recebida na sua cidade de forma triunfal. Pinto da Costa, Valentim Loureiro e os outros arguidos do processo “Apito Dourado” bem como os arguidos célebres do processo Casa Pia são ilibados por falta de provas. O Estado compromete-se a compensá-los por danos ao seu bom nome com uma pensão mensal vitalícia de alguns milhares de euros por cabeça. Num jantar monumental no pavilhão Rosa Mota no Porto, Carlos Cruz, Fátima Felgueiras e Pinto da Costa encabeçam a mesa do “jantar da justiça” e prometem dar o seu contributo para que nunca mais se volte a acusar uma celebridade em Portugal de forma leviana.

Bibi é condenado a 4972 anos de prisão por crimes de abuso sexual de menores, lenocínio, corrupção desportiva activa e passiva, tráfico de influências, falsificação de documentos, gestão danosa e apropriação ilegal de fundos da Câmara Municipal de Felgueiras para uso próprio.

-Desporto-

O Porto vence o campeonato nacional, a taça de Portugal e a liga dos campeões. Pinto da Costa, após reposição da verdade com o encerramento do processo “Apito Dourado,” toma de assalto a Câmara Municipal do Porto e autoproclama-se “Presidente Geral do Porto.” Assume ainda a presidência da Liga de Clubes e da recém-criada Federação Portuguesa de Todas as Modalidades em Que o Porto Tenha Equipas. A presidência do Conselho de Arbitragem é entregue ao antigo lateral direito portista, João Pinto.

Giovanni Trapattoni falha a conquista de quaisquer títulos ao comando da equipa encarnada. O motivo principal, para além da fraca prestação da equipa, prende-se com a sua morte repentina em campo durante jogo da vigésima segunda jornada. É substituído por Álvaro Magalhães que morre atropelado por uma parada militar pouco tempo depois. Depois disso, a direcção do clube decide que não vale a pena contratar um novo treinador e os jogadores passam a orientar-se uns aos outros. A cinco jogos do fim do campeonato, o Benfica é forçado a desistir da prova quando, entre mortes dentro e fora do campo, raptos, jogadores que mudam de sexo e opções pela vida monástica, o plantel benfiquista se resume a Pedro Mantorras que, por ironia do destino, se encontra lesionado.

-Cultura-

Os padrões de qualidade da televisão portuguesa sobem de forma considerável quando, em meados de Julho, todos os retransmissores da RTP, SIC e TVI em território nacional são afectados por uma avaria e, durante duas semanas, os espectadores que sintonizam os canais nacionais apenas conseguem ver estática.

Num esforço derradeiro para fazer de Portugal um país erudito, todas as cidades e vilas do país são nomeadas “capital nacional da cultura.” Para celebrar a ocasião, a Companhia Nacional de Bailado leva o espectáculo “O Lago dos Cisnes” a todo o país, não tardando muito até o povo, com a sua bonomia inigualável, começar a referir-se com carinho à “digressão dos paneleiros de collants.”

Bárbara Guimarães choca o país com a revelação de que é ela a cabeça pensante do casal. Contrariamente ao que se pensava, é Bárbara que se dedica à leitura, à escrita e à reflexão crítica enquanto Manuel Maria Carrilho ocupa o tempo a comprar sapatos, a mudar de penteado e a folhear revistas femininas. Anabela Mota Ribeiro aproveita o embalo e tenta oficializar a sua erudição mas ninguém a leva a sério.