E-zine satírico sem corantes nem conservantes

Erro de impressão em planisfério explica 3 Espanhas nas prioridades de Sócrates para a política externa

As declarações do primeiro-ministro José Sócrates ao diário espanhol "El País," dando conta de que as suas prioridades na política externa são "Espanha, Espanha e Espanha" foram interpretadas por muitos como sendo uma manobra de charme dirigida ao país vizinho.

No entanto, tudo se deveu a um infeliz erro de impressão no planisfério do gabinete do primeiro-ministro em que, por lapso, a França e a Alemanha também foram identificadas com a designação "Espanha," sendo estes os dois países que deveriam acompanhar "nuestros hermanos" nas prioridades da política externa portuguesa referidas por Sócrates.

Não é a primeira vez que um erro deste género influencia a política portuguesa. Em 1990, outro erro de impressão num planisfério criou algum embaraço na visita de Mário Soares à África Austral quando o então presidente manifestou vontade de visitar "Agnola," a "Zômbia" e a "Mamíbia."

Outra gaffe ocorreu no período em que Durão Barroso esteve à frente do governo e ligou ao seu homólogo cabo-verdiano, perguntando qual a auto-estrada a apanhar para fazer uma visita oficial à cidade da Praia mas tal não se deveu a erros de impressão e sim a ignorância pura e simples.

Entretanto, José Sócrates revelou uma nova prioridade para a política externa de Portugal. De acordo com o primeiro-ministro, "deve haver um esforço dos nossos empresários para intensificar as trocas comerciais com o México. Tanto com o maior como com o mais pequeno."

www.inepcia.com