E-zine satírico sem corantes nem conservantes

Política

Pérolas (do Atlântico) a porcos (hipotéticos)

Alberto João Jardim governa Portugal em realidade paralela onde javardice é virtude

Apesar de uma candidatura do líder madeirense à chefia do governo parecer afastada no futuro imediato, a Inépcia pagou uma bica e um pastel de nata a dois conceituados físicos da nossa praça (literalmente, já que, devido à saturação do mercado de trabalho, residem num banco de jardim de uma praça pública) e, recorrendo a cálculos complexos que não importa referir, estes determinaram que, na sequência infinita de realidades paralelas à nossa, existe uma em que Alberto João Jardim será efectivamente o primeiro-ministro de Portugal. Trata-se de um mundo praticamente idêntico com a única diferença de a javardice ser vista como a mais elevada das virtudes, cobrindo-se das maiores honras aqueles que nela se distingam. Refira-se ainda que, neste Portugal alternativo, 60% dos cidadãos do sexo masculino se chamam Alberto João em homenagem ao líder, mas nem assim se evitam algumas opiniões negativas. Através de equações de dificuldade extrema, os especialistas contactados conseguiram obter depoimentos de dois cidadãos hipotéticos acerca do seu primeiro-ministro, referindo um que “parece o tipo de pessoa que nunca toma banho” e outro que “tem ar de tratar todas as mulheres abaixo da idade dele por «querida» e de lhes apalpar o rabo.” 18/4

Para grandes males...

Ministério da Educação recruta ninjas para substituir professores de alunos problemáticos

O país passou da apatia perante a indisciplina escolar para um autêntico estado de sítio em que nenhuma solução parece demasiado drástica. No rescaldo do incidente na Escola Carolina Michaelis, Maria de Lurdes Rodrigues ordenou a substituição dos professores de turmas consideradas problemáticas por ninjas especialmente recrutados para o efeito. “Trata-se de profissionais de competência reconhecida na área dos assassinatos, sabotagem e raptos,” explicou a ministra, acrescentando que “além disso, a perícia em artes marciais será essencial para enfrentar os problemas quotidianos na sala de aula.” Entre os responsáveis pelo clima geral de indignação, refira-se que a aluna descontrolada corre o risco de ser enviada para a prisão de Guantanamo para aprender maneiras e que o autor do polémico vídeo será ao mesmo tempo punido e condecorado no próximo 10 de Junho por ter despertado o país para uma realidade que já existia mas nunca parecera tão chocante como agora. A Inépcia tentou contactar um destes novos ninjas pedagógicos, mas, tratando-se de especialistas na milenar arte da invisibilidade, nenhum foi encontrado. 28/3

Quem retira mais, senhores?

Manuel Monteiro promete retirar programação à RTP se for eleito

O líder do Partido da Nova Democracia garantiu que, se for eleito para chefiar um governo, retirará toda a programação à estação de televisão pública, indo mais longe do que o líder do PSD, Luís Filipe Menezes, que prometeu retirar a publicidade. “Não é a publicidade o maior incómodo dos contribuintes que pagam a RTP,” considerou Monteiro. “O que mais nos incomoda a todos é o que ocupa o tempo de emissão entre um intervalo e outro. Muitas vezes, a publicidade torna-se uma apetecível pausa no fluxo contínuo de tele-estupidez.” E, por falar em estupidez, o presidente do PND promete apresentar novas propostas de governação durante as próximas semanas, mas vai tranquilizando os seus admiradores (incluindo os três que não fazem parte do seu agregado familiar), garantindo que esta será a única proposta razoável, mantendo-se as outras fiéis à idiotice política que habitualmente o caracteriza. A apresentação de propostas é particularmente importante agora que o partido viu subir as suas hipóteses de formar governo de “HAHAHAHAHA” para um mais positivo “absolutamente nenhumas”. Até chegar ao governo, Manuel Monteiro espera eleger um grupo parlamentar do PND, nem que seja apenas imaginário. 22/2   

Uma casa portuguesa com certeza

Sócrates revela plano para transformar Portugal numa imensa vivenda de emigrante

O primeiro-ministro reafirmou a sua autoria dos projectos assinados no concelho da Guarda, rejeitando todas as acusações de actuação menos correcta ao assinar projectos alheios por favor. Além disso, considerou não ver qualquer problema nos edifícios que, à vista desarmada, poderão parecer aberrações arquitectónicas com um quociente de poluição visual que não assenta bem a um político de preocupações ambientais tão apregoadas. “Ouça, é uma questão de gosto pessoal”, referiu. “Cada qual tem o seu e, modéstia à parte, até considero o meu particularmente erudito.” Aproveitando a polémica suscitada, o chefe do governo confessou que o projecto para Portugal que sempre norteou a sua actuação terá como objectivo final revestir a totalidade do território a azulejos verde-vómito, com telhado bicudo por cima e portas e janelas de alumínio que darão o derradeiro toque de classe. A sua única mágoa, refere, deriva do facto de as fronteiras estarem abertas ao espaço europeu, invalidando o seu plano de rodear o país com um muro ornamental coroado com roliços anjinhos de gesso. 1/2

Assim está muito melhor

Governo transfere Ota para Alcochete

A freguesia da Ota será brevemente transferida na totalidade da sua actual localização no concelho de Alenquer para os terrenos do Campo de Tiro de Alcochete. A transferência foi ordenada pelo Governo e resulta da alteração da localização do novo aeroporto internacional de Lisboa. “Ouça, trata-se de uma questão perfeitamente simples”, afirmou José Sócrates como explicação da decisão tomada, “o Governo decidira já que o aeroporto seria na Ota e o facto de voltarmos atrás com a palavra e admitirmos que estávamos enganados poderia ter consequências tremendas para o país.” Estas consequências poderiam ir desde cataclismos naturais a histeria generalizada, passando por uma inversão dos binómios que sustentam a realidade tal como a conhecemos. O bom passaria a ser mau, o alto trocaria de lugar com o baixo, o branco ficaria preto e assim por diante. O ministro das Obras Públicas, Mário Lino, anunciou nova obra de transferência para o futuro destinada a repor a verdade nas suas afirmações de que o novo aeroporto nunca seria construído na Margem Sul. A partir de 2010, iniciar-se-ão os trabalhos de desvio do curso do Rio Tejo para as imediações de Setúbal, pelo que a Margem Sul passará a ser a Margem Norte. 11/1

A excepção faz o ladrão

Presença do presidente da ASAE garante isenção da proibição de fumar

O presidente da Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica decidiu esclarecer a polémica suscitada pela notícia de que fora apanhado a fumar num casino, já com a nova legislação anti-tabágica em vigor. Explicando melhor a sua teoria de que não terá violado a lei, António Nunes referiu que não são os casinos a excepção à proibição, mas sim todo e qualquer recinto agraciado com a sua presença. “Os portugueses têm-se queixado de um excesso de zelo fanático da ASAE e esta será uma forma de mostrar que também sabemos ser magnânimos”, explicou, acrescentando que, brevemente, poderá ser consultado no site da ASAE o calendário da sua digressão por cafés, restaurantes, discotecas e hospitais do país, a que os cidadãos fumadores poderão deslocar-se para fumar livremente. Para os que acham duvidosa tal autoridade do presidente do organismo, que assim se sobreporia ao texto do diploma legal, este lembra que “posso parecer apenas alguém a quem o poder subiu à cabeça e que gosta de aparecer e mostrar serviço de forma doentiamente excessiva, mas… desculpem… perdi-me.” E, aos que discordarem da sua interpretação, deixa um aviso claro: “Vejam lá se não querem que proíba a venda do vosso prato predilecto e encerre o café ou o cinema que frequentam.” António Nunes gosta das suas bolas fritas em óleo novo (as de Berlim, claro), despreza colheres de pau e sonha com o dia em que todos os alimentos serão manipulados apenas por autómatos esterilizados. 4/1

Natal rima com Portugal

Presépio do PNR tem três reis magos brancos

O Partido Nacional Renovador, agremiação política que mais dinheiro gasta em cortes de cabelo rentes, decidiu partilhar o presépio da sua sede com a população de Lisboa. A iniciativa insere-se num esforço de angariação de novos militantes para escapar à extinção compulsiva que a lei prevê para todos os partidos com menos de cinco mil membros. Junto ao presépio, estará um elemento da direcção, que conversará com os visitantes, esclarecerá as suas dúvidas e convidará a sair todos os que pareçam vagamente imigrados. No primeiro dia, a honra coube ao presidente do partido, José Pinto-Coelho, que, entre sorrisos, foi explicando que “os nacionalistas não são bichos ferozes como muitas vezes os pintam”, parando de sorrir apenas para escorraçar a pontapés uma chinesa que vinha mostrar o presépio aos seus trinta e oito filhos, chamando-lhe “puta amarela”. O presépio propriamente dito é um conjunto de belíssimas figuras artesanais em porcelana com a particularidade de não existir o habitual rei mago negro, facto explicado pela ausência bíblica de qualquer referência à etnia dos reis. Outra particularidade é a semelhança de uma das ovelhas com Salazar, sendo-nos garantido que é acidental. Quanto à figura parecida com um grande vibrador colocada sobre o musgo, José Pinto-Coelho apressou-se a recolhê-la, dizendo: “Então foi por isto que não o encontrei ontem à noite” e retirando-se para o recato do seu escritório depois de desejar feliz Natal aos presentes. 21/12

Com a casa às costas

Sócrates aprende com Kadhafi a armar barraca

O primeiro-ministro português passará a levar uma tenda em todas as suas visitas oficiais, seguindo o exemplo de Muammar Kadhafi. O governo terá ficado impressionado com o impacto do líder líbio e José Sócrates encomendou já uma enorme tenda de campanha para alojar a sua comitiva, decorada com motivos típicos da sua aldeia natal de Vilar de Maçada. Questionado sobre a pertinência de adoptar como modelo o líder de um país com historial negro de violações dos direitos humanos na mesma altura em que se censura Robert Mugabe pelos mesmos motivos, a resposta foi: "Ouça, há direitos humanos e direitos humanos. Uma coisa é a violação dos direitos humanos no Zimbabwe, outra é a violação dos direitos humanos em países como a China, onde estive recentemente, ou num país de diplomacia bem oleada como a Líbia... ou devo dizer bem petroleada (risos)". Quanto à possibilidade de seguir outros exemplos de Kadhafi, tal como a constituição de uma guarda pessoal feminina, o chefe do governo foi claro: "Ouça, não faz o meu género," acrescentando um apressado: "Mas não leve isso para a maldade porque para esse peditório já dei." Finalmente, aproveitando uma pausa na preparação da cimeira, foi-lhe ainda perguntado se consegue começar uma resposta sem a palavra "ouça". Sócrates hesitou, engoliu em seco e afastou-se cabisbaixo amparado por Luís Amado. 7/12 

Ele está no meio de nós

Líder da Juventude Popular convencido de que Bernardino Soares é a múmia viva de Lenine

Pedro Moutinho, líder da JP e primeiro signatário do movimento pela canonização em vida de Paulo Portas, revelou que o deputado comunista Bernardino Soares é, na realidade, Vladimir Lenine que, ao contrário do que se pensava, não terá morrido em 1924. De acordo com fonte segura (Moutinho diz ter recebido a informação de uma fada com as feições de Adelino Amaro da Costa na sede do CDS), o corpo do líder bolchevique foi submetido a um processo de embalsamação de tal forma inovador que o cadáver voltou à vida, iniciando uma peregrinação mundial e assumindo várias identidades para ajudar à implantação do comunismo nos vários países. “Esta teoria explica o que quis dizer quando acusei Bernardino Soares de ser um dos responsáveis pelos excessos revolucionários do Verão Quente de 75, altura em que teria apenas quatro anos de acordo com a sua biografia oficial,” explica o líder dos jovens populares, acrescentando que “a outra hipótese era eu ser uma besta quadrada e isso faz ainda menos sentido, claro.” O visado preferiu não comentar por estar ocupado com o apagamento da cara de Luísa Mesquita do arquivo fotográfico do partido, mas fonte da direcção comunista negou as acusações, explicando que a única múmia no PCP é o secretário-geral Jerónimo de Sousa. 29/11

Ups

Durão Barroso admite que lhe mostraram fotografia de Saddam com ar matreiro na cimeira dos Açores

O presidente da Comissão Europeia admite que a sua decisão de acolher a cimeira dos Açores e apoiar os Estados Unidos e seus aliados na invasão do Iraque em 2003 se baseou em informação que poderia não estar correcta. O antigo primeiro-ministro referir-se-á a fotografias captadas por satélite de vários objectos cilíndricos e rectangulares espalhados por regiões remotas do Iraque (sabendo-se que são essas as formas mais comuns das temíveis armas de destruição maciça) e, sobretudo, a uma fotografia em que Saddam Hussein ostentava expressão matreira de quem planeava má coisa e que poderia ter sido ou não manipulada digitalmente. No entanto, Durão Barroso acredita que Portugal não saiu prejudicado pela posição tomada até porque uma ponta da bandeira nacional e a extremidade do seu nariz são visíveis em inúmeras imagens captadas aquando da cimeira açoriana, o que aumentou o nosso prestígio internacional e levou à sua ascensão ao cargo que actualmente ocupa. “Quero deixar bem claro que não sou o merdas que para aí dizem e os portugueses sabem-no bem,” afirmou. “O facto de ser o primeiro presidente da Comissão a quem os líderes europeus pedem para ir buscar cafés só prova a alta estima em que me têm.” 22/11

E pimba!

Discussão do Tratado Europeu termina em orgia monumental

O novo Tratado Europeu não é especial apenas por ter o nome de uma capital europeia sem qualquer relevância. Serviu também de pretexto para a primeira grande orgia de líderes europeus com patrocínio institucional ao mais alto nível. E a culpa foi da organização portuguesa por servir álcool num esforço para tornar menos penoso o processo de discussão. Um dos primeiros a sentir-se tocado foi o presidente polaco, Lech Kaczynski, que depressa trocou a exigência de reconhecimento da “Cláusula de Ioannina” pela insistência em ver as mamas de Angela Merkel. O ambiente de desilusão que se seguiu à satisfação do pedido só voltou a ser animado quando Lawrence Gonzi, primeiro-ministro maltês, iniciou um coro de modinhas obscenas com o seu homólogo esloveno, Janez Janša, sendo ambos acompanhados ao pente pelo chanceler austríaco. Entretanto, o belga Guy Verhofstadt e o luxemburguês Jean-Claude Juncker abraçavam-se e repetiam que se achavam mutuamente “o gajo mais porreiro do mundo” e a delegação búlgara esquecia a exigência de ver a palavra “euro” escrita em cirílico nas notas em circulação e dedicava-se a rabiscar pénis em folhas de papel. A orgia só se iniciou mais tarde, mas não serão dados pormenores por respeito à integridade dos líderes envolvidos. O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, disse apenas que não beberá tanto na próxima ocasião por ter ficado com alguma dificuldade em se sentar depois de uma troca de impressões com Nicolas Sarkozy. 19/10

Uma branca

Santana Lopes não se lembra de ter sido primeiro-ministro

O novo líder da bancada parlamentar do PSD não receia ataques motivados pela sua prestação como primeiro-ministro, até porque não tem qualquer memória de ter ocupado esse cargo. “Não percebo onde foram buscar isso”, respondeu aos jornalistas, “lembro-me perfeitamente de ser presidente da Câmara da Figueira da Foz e de Lisboa, mas não me recordo de alguma vez ter sido um dos melhores primeiros-ministros que este país já teve.” Ao invés, garante que passou o período entre Junho de 2004 e Março de 2005 num mosteiro budista nos Himalaias, acompanhado por monges que o ajudaram a aprimorar os seus dotes políticos, além de o ensinarem a apanhar moscas em voo com pauzinhos, talento sempre útil em sociedade. Quanto aos rumores de que pretenderia assumir-se como líder alternativo dos sociais-democratas, é peremptório: “Tenho toda a confiança no Dr. Luís Filipe Menezes e estou com ele a 100% para levar o meu partido até aos meus objectivos de futuro.” Santana Lopes já escolheu a equipa que o acompanhará na liderança do grupo parlamentar, composta por 27 quarentonas enxutas com muitos apelidos, recusando críticas maldosas porque apenas 26 são amigas e/ou namoradas suas (a vigésima sétima é feia, mas muito trabalhadora). 19/10

Metade da população do Vietname inscrita como militante do PSD

O conselho nacional de jurisdição do Partido Social-Democrata não consegue explicar a recente revelação de que metade dos mais de 85 milhões de habitantes da república indochinesa do Vietname foi recentemente inscrita como militante do partido com todas as quotas pagas sob anonimato. Para Guilherme Silva, presidente daquele órgão partidário, “continua a não haver motivos para adiar a eleição do novo presidente até porque a situação se mantém tão clara como depois da exclusão de 1442 militantes dos cadernos eleitorais por pagamentos em massa das quotas.” Um dos candidatos, e actual presidente, Luís Marques Mendes, concordou e optou por não comentar nem endereçar culpas ao seu adversário, sublinhando apenas que “no PSD, o debate político é sempre digno” enquanto abria o casaco e exibia discretamente uma camisola com a inscrição “MENEZES É BOI” (com tradução em idioma vietnamita) sobre retrato do edil de Gaia decorado com um valente par de chifres. Do outro lado da barricada, Luís Filipe Menezes segue estratégia idêntica e considera que “todos os militantes sociais-democratas merecem igual respeito, quer residam em Portugal, no Vietname ou na Nigéria, de onde acabo de receber uma lista de 92 milhões de militantes que apoiam a minha candidatura.”

Sócrates e Cavaco acenam ao Dalai Lama de longe

As duas principais figuras do Estado Português (sem desprimor para Jaime Gama que é também uma valente figura) encontraram forma de prestar homenagem ao Dalai Lama sem o receber oficialmente, algo que poderia melindrar a República Popular da China, potência ocupante do Tibete. Assim, prevista que está a visita do líder espiritual e temporal tibetano a um hipermercado lisboeta para se abastecer do detergente Nirvana (especial para túnicas) muito difícil de encontrar no Norte da Índia onde se encontra exilado, Cavaco e Sócrates estarão entre a multidão ali presente, acenando de longe e sendo facilmente identificáveis por serem os únicos a usar óculos escuros, narizes e bigodes postiços. Questionado sobre uma eventual subserviência portuguesa à vontade chinesa, o primeiro-ministro referiu que “Portugal é um estado soberano e não se deixa intimidar nem pela China, nem pela Rússia, pelos Estados Unidos, pela Grã-Bretanha ou pelo Sr. Choi da embaixada que me visitou ontem às três da manhã com um memorando especial acabado de chegar de Pequim.” Já o Presidente da República, quando confrontado com as semelhanças entre a situação tibetana e a situação timorense, recordou que “Luís Represas não tem nenhuma canção sobre o Tibete e isso faz toda a diferença.”

Cavaco considera absurda fusão com Espanha, mas não rejeita união com o Paraguai

O Presidente da República rejeitou uma eventual fusão entre os dois países ibéricos sugerida pelo escritor laureado José Saramago. Respondendo a um jornalista que lhe pediu comentário a esse respeito, considerou que “quem conhecer a história de Portugal, perceberá que essa hipótese é um total absurdo.” Entretanto, fonte do Palácio de Belém veio rectificar esta afirmação presidencial, acrescentado que, para o absurdo ser adequadamente compreendido, será necessário conhecer a história de Portugal e ignorar o período entre 1580 e 1640. No entanto, se a união ibérica merece a reprovação do Presidente, o mesmo não sucederá com uniões que envolvam outros países. Revelando o espírito de abertura que o caracteriza, Cavaco afirmou considerar positiva uma possível união com a república sul-americana do Paraguai visto que ambos os países são insignificantes nos planos político, económico e cultural e os esforços combinados dos dois povos poderiam permitir uma insignificância ligeiramente menor. Além disso, é indiscutível a afinidade luso-paraguaia. Refira-se como exemplo que ambos os países têm nomes começados pela letra P, ambos foram governados por ditadores em S (Salazar e Stroessner) e que, se no Paraguai existe uma cidade chamada Major Pablo Lagerenza, Portugal tem um Major Valentim Loureiro que ainda não foi elevado à dignidade de urbe, mas não tardará muito.

Helicópteros russos de combate a incêndios serão usados assim que os pilotos conseguirem ler manual de instruções

O ministro da Administração Interna, Rui Pereira (também conhecido como “aquele que arranjaram à pressa para substituir o outro que foi ganhar a Câmara de Lisboa”), explicou aos deputados que os dez helicópteros russos de combate a incêndios recentemente adquiridos não serão usados ainda este ano, adiando-se a sua entrada ao serviço para quando os pilotos conseguirem ler o manual de instruções obviamente escrito unicamente em russo. A explicação foi prestada na Comissão Parlamentar Eventual de Acompanhamento e Avaliação da Política Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios, constituída para impedir que alguém manipulasse a sua designação oficial e criasse uma designação fictícia mais absurda do que o original (objectivo atingido, como se poderá perceber pela transcrição exacta acima). “Apelamos ao espírito patriótico dos incendiários de Portugal,” afirmou o ministro, “para que sustenham os seus impulsos pirómanos até ao próximo Verão, altura em que o problema estará já resolvido. Depois, poderão continuar a queimar este país que tanto amam.” A solução do problema poderá passar por um curso intensivo de língua russa ministrado aos pilotos ou pela contratação de um intérprete para integrar a tripulação de cada helicóptero, optando-se pela hipótese que permita ao primeiro-ministro a expressão de “estou a trabalhar afincadamente por todos vocês, sem tentar alimentar o meu ego descomunal” mais convincente. Quanto a um alegado problema técnico num dos helicópteros, Rui Pereira adiantou não ser grave, tratando-se apenas de .

Telmo Correia confessa que graffiti mais difíceis de limpar são os que questionam orientação sexual de Paulo Portas

O candidato do CDS à Câmara de Lisboa confessou que, durante a sua experiência como integrante da equipa municipal de limpeza de paredes, descobriu que as inscrições mais resistentes são, por coincidência, as que tecem considerações maldosas e completamente falsas acerca da sexualidade do líder do seu partido. “Se os comentários fossem fidedignos, quase poderia pensar-se que são protegidos por uma aura mística de verdade, mas, sendo uma absoluta fantasia, não se percebe o motivo,” confessa. Quanto à escolha da “guerra ao graffiti” como uma das bandeiras da sua campanha, explicou que, para estas eleições, os candidatos acordaram em não partilhar intenções eleitorais e, infelizmente, chegou atrasado à reunião em que foram distribuídas, restando apenas as que mais ninguém quis. Recorde-se que as outras áreas em que se focou a campanha do CDS foram a regularização do tamanho dos pires de caracóis e a promoção de uma poda científica das árvores da Avenida da Liberdade. Instado a comentar o momento captado pelas televisões em que brandia um jacto potente de água contra um graffiti dizendo “Sócrates para a Rua”, o candidato centrista elucidou que não estava a apagá-lo, mas sim a aplicar uma camada de verniz.

Autarcas defendem solução Portela + 47

Um grupo de autarcas reunidos em congresso numa conceituada estância nudista, concluiu que a melhor solução para Lisboa e para o país passará pela manutenção do aeroporto da Portela, complementado por uma instalação aeroportuária móvel a deslocar entre 47 localidades (número sujeito a acréscimo). O porta-voz do grupo, Jonas Monteiro, presidente da Câmara de Vila Parva do Zêzere, considera que a solução é a ideal e resulta de reflexão profunda, não parecendo tão arbitrária como outras que têm sido sugeridas, nem sendo influenciada por interesses obscuros. “Passámos muito tempo a debater o assunto,” explicou, “praticamente não fizemos outra coisa aqui na estância além de discutir e olhar as miudezas uns dos outros pelo canto do olho para ver quem a tinha maior.” Quanto à concretização da ideia, não é tão complicado como se possa pensar. Bastaria construir um aeroporto de média dimensão sobre uma plataforma com rodas. A deslocação seria assegurada por esforço braçal dos trabalhadores responsáveis pela construção, garantindo-se assim a continuidade do emprego, e os pilotos teriam apenas de consultar uma lista actualizada diariamente para saberem onde aterrar. Dado o sucesso da iniciativa, ficou agendado novo congresso a realizar num pavilhão gimnodesportivo convertido em sauna, onde tentará encontrar-se uma forma de fazer passar o TGV por todas as 4257 freguesias do país.

Terrorismo português incentivado para combater implantação de terrorismo espanhol

O ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, apelou aos portugueses com inclinação especial para a prática do terrorismo para que ajudem a concretizar uma revitalização da actividade terrorista nacional, combatendo-se assim a expansão do terrorismo espanhol em território português, prenunciada pelos indícios de actividade da ETA no Algarve. Poderá parecer estranho este apelo governamental ao terrorismo, mas, ao que parece, a faceta “pau para toda a obra” do ministro da Presidência faz com que, paradoxalmente, seja também o responsável pela tutela das acções de subversão violenta. Será anunciado brevemente um programa de incentivos à constituição de grupos terroristas, havendo já acordos com os antigos membros das FP-25 e com os independentistas madeirenses e açorianos para retomarem as suas actividades do tempo do PREC. Além disso, prevêem-se também apoios a novos grupos como, por exemplo, os nacionalistas trasmontanos, os fundamentalistas da filigrana de Gondomar e os suinicultores satânicos do Montijo. Para auxiliar a implementação, Pedro Silva Pereira pretende recorrer a terroristas consagrados e tem tentado contactar a Al-Qaeda, apesar de ser difícil. “Temos mandado emails, comunicados para a Al-Jazeera, procurado nas listas telefónicas do Médio Oriente, mas sem resultados. É como se a organização não fosse real e tivesse sido inventada para cumprir os desígnios sinistros de alguém…”, lembrou, com a sua melhor expressão conspirativa.

CDS garante que Narana Coissoró não é um nome inventado

Os dirigentes do CDS continuam indignados com o que consideram ser “uma vergonhosa campanha de difamação” do partido por se alegar que alguns dos nomes registados como tendo contribuído com donativos poderão não corresponder a pessoas reais. Para acabar de vez com a maledicência, foi emitido um comunicado em que se garante que nenhum dos nomes referidos foi inventado e que até Narana Coissoró, por incrível que pareça, corresponde a um militante real e deputado durante muitos anos, tendo contribuído com donativo de cinquenta cêntimos (o preço de uma rifa na quermesse de Natal do Largo do Caldas). O comunicado foi lido por Óscar Alhinho, líder da distrital de Santa Cona de Assobio, ladeado por Adolfo Dias, um seu grande amigo que quase irrompeu em lágrimas de raiva e frustração. Um dos mais indignados com as suspeitas foi Jacinto Leite Capelo Rego, militante há mais de vinte anos, que não gostou de ver o seu nome encabeçar a lista de doadores suspeitos. “Desconheço o motivo da desconfiança,” afirma, “mas isto magoa-me muito e à minha mãe também. Pobre dona Verónica Galhão.”

DREN edita colectânea de anedotas que não são passíveis de processo disciplinar

A Direcção Regional de Educação do Norte está a ultimar a edição de uma antologia de anedotas sobre governantes (com capítulo exclusivo dedicado ao primeiro-ministro) que poderão ser livremente partilhadas pelos professores afectos sem que tenham de preocupar-se com processos disciplinares. O volume terá como título “Rir é Bom… Mas com Respeito” e será coordenado por Almeida Santos, uma das figuras mais bem-humoradas da política nacional. A directora regional, Margarida Moreira, justifica esta escolha com “a necessidade de encontrar alguém com uma ligação inegável ao partido no Governo para que não nos acusassem de falta de imparcialidade.” Quando confrontada com o facto de as coisas funcionarem precisamente ao contrário, reagiu com um sonoro “HAHAHAHAHA”, seguido de: “Vocês são uns pândegos, pá! E eu sei porque também tenho um desses sentidos de humor de que tanto se fala.” Entre as anedotas seleccionadas, todas escritas propositadamente por elementos da Comissão Humorística Nacional do PS, inclui-se o seguinte chiste, que já se tornou um clássico: “Quantos Sócrates são precisos para mudar uma lâmpada?; Resposta: Basta um porque os outros estão todos muito ocupados a bem governar Portugal e os portugueses.” De recordar que Almeida Santos assume a coordenação do livro ao mesmo tempo que ultima o relatório “E Se a Ponte For Dinamitada? – Contribuições para o Estudo do Impacto da Senilidade na Política” com prefácio de Freitas do Amaral.

Carmona Rodrigues anuncia brevemente o seu próximo anúncio

Primeiro, anunciou, com pesar, que não seria candidato à Câmara Municipal de Lisboa. A seguir, anunciou, entusiasticamente, que sim. Agora, dando seguimento a este talento nato para emitir opiniões em formato yo-yo, Carmona Rodrigues anunciou, em plena campanha eleitoral, que anunciará em breve o anúncio em que anunciará qualquer coisa de extremamente relevante (ou talvez não). Instado a clarificar, o ex-edil alfacinha afirmou que o conteúdo do anúncio cujo anúncio agora anuncia dirá respeito a algo que talvez possa ter ou não uma eventual relevância para a cidade de Lisboa ou para outra cidade, vila, aldeia ou lugarejo qualquer. Seja como for, de uma coisa garante estar convicto a cem por cento: “Esta candidatura é, decididamente, para levar até às últimas consequências. Disso não abdico e não permitirei que alguém tente convencer-me do contrário. Em princípio.” Quanto aos seus planos para Lisboa, promete entregar os primeiros três anos e os últimos sete meses do seu mandato a alguém capaz (possivelmente alguém com apelidos começados por S e L) porque, apesar de se considerar o homem mais qualificado para orientar os destinos da capital, diz não ter muito jeito para arranques nem para finalizações.

PSD nega que Fernando negrão fosse última solução para a Câmara de Lisboa (era a penúltima)

A direcção do PSD nega que Fernando Negrão fosse a última solução para uma candidatura à Câmara Municipal de Lisboa depois de todos os militantes com algum talento político e possibilidades reais de vitória terem rejeitado o desafio. De acordo com Marques Mendes, presidente do partido e mês de Setembro no calendário erótico “Políticos com Objectos Cilíndricos Enfiados em Lugares Estranhos 2007”, o antigo director da Polícia Judiciária não era a última hipótese mas sim a penúltima. “Lisboa é uma autarquia importante e seria irresponsável apresentar qualquer candidato que não fosse o mais competente para o cargo e aquele que melhores probabilidades tivesse de ganhar,” afirmou, acrescentando que “é verdade que essa pessoa não aceitou o convite e o mesmo é válido para as 17 que convidámos a seguir e para o 18º, que era eu próprio, mas ainda havia pior do que o Dr. Fernando Negrão.” O líder social-democrata refere-se a Rodolfo, o militante deficiente mental admitido no partido por Sá Carneiro como mascote e que, a ser candidato, basearia o seu programa eleitoral unicamente no que lhe saísse do nariz. Se, entretanto, Fernando Negrão desistir, caberá a Rodolfo defender a honra do partido ou, no caso de estar ocupado demais a fazer pinturas com as suas fezes, a direcção será forçada a contactar Santana Lopes.

Jorge Sampaio quer resolver diferendos com o mundo islâmico pelo tédio

O ex-presidente mostra-se ambicioso nos objectivos a cumprir no cargo de Alto Representante para o Diálogo das Civilizações da ONU, definindo como objectivo primordial o fim da tensão de séculos entre o mundo ocidental e o mundo islâmico com Israel algures pelo meio. E pretende fazê-lo socorrendo-se do seu maior dom, a capacidade para provocar nos interlocutores um tédio atroz capaz de fazer o mullah mais empedernido renegar as barbas do Profeta e de convencer qualquer magnata texano do petróleo a reduzir os lucros para apenas 2800%. Este talento ímpar é inato mas foi exercitado ao longo de uma carreira política longa, sobretudo nos dez anos que duraram os seus dois mandatos presidenciais. Começou de forma modesta, com apelos constantes à calma e à serenidade, mesmo em ocasiões em que não havia défice de nenhum desses elementos, e culminou com conversas breves com jovens desistentes da escola que depressa aceitaram voltar aos estudos quando as pálpebras lhes começaram a pesar e o cérebro começou a lançar-se violentamente contra as paredes internas do crânio, tentando fugir ao tormento. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, não é alheio ao talento de Sampaio e admite que foi o motivo da sua nomeação anterior como Enviado Especial para a Luta Contra a Tuberculose, não escondendo alguma desilusão quando a bactéria que provoca a doença se revelou imune à seca. Como primeiro desafio, Jorge Sampaio pretende sentar-se à mesa com representantes israelitas e palestinianos e contar-lhes a inspiradora história da sua vida. As portas estarão trancadas, claro.

Dois em cada cinco militantes do PNR já foram sodomizados por imigrantes

A afirmação é feita pelo presidente do partido, admitindo José Pinto-Coelho ser ele próprio o militante mais vezes vitimado. “Aliás, a hierarquia partidária está directamente relacionada com o número de vezes que cada um de nós já foi ao castigo,” explica o homem que colocou um hífen a unir os apelidos como memorial à elasticidade perdida do seu esfíncter anal. Será este o verdadeiro motivo para as referências contínuas contra a imigração, até porque o PNR pretende conquistar uma representação parlamentar nas próximas legislativas e dificilmente o conseguirá se os seus candidatos continuarem a dar o corpo ao manifesto de uma maneira malvista pela nossa sociedade retrógrada e apesar de resistirem aos agressores com diferentes graus de convicção. Por este motivo, consideram injustas as acusações de promoção da xenofobia, lembrando que os dizeres do seu polémico cartaz (“Basta de Imigração. Nacionalismo é Solução. Façam Boa Viagem”) acompanhados pela imagem de um avião a descolar é preferível a “Dói-nos tanto o rabinho. Ajude-nos por favor” sobre imagem de um skinhead choroso. Polémicas à parte, o líder dos nacionalistas admite que a experiência não é inteiramente desagradável, sobretudo quando os imigrantes são africanos. Os imigrantes chineses são os menos apreciados e os de Leste esforçam-se mas têm tendência para nunca mais ligar depois do acto.

Notas de Sócrates na instrução primária levantam dúvidas

A formação académica do primeiro-ministro continua a dar que falar e, desta vez, as dúvidas recuam muito para além dos seus tempos de estudante universitário. De acordo com investigação da Inépcia em colaboração com a secção de tiro com arco do Centro Helen Keller, existe uma série de incoerências nos registos de avaliação de José Sócrates durante os quatro anos de escola primária. A mais grave diz respeito à nota da disciplina de “recortar e colar” do primeiro ano em que o pequeno José terá tido uma passagem administrativa sem qualquer justificação quando os seus dotes com a tesoura deixavam muito a desejar. Já na terceira classe, Sócrates terá sido punido disciplinarmente com privação de recreio por insistir durante lição de geografia ultramarina que a Ota era a capital da província angolana de Moxico em vez da cidade do Luso. Também o orgulho do chefe do governo, a célebre colagem com feijões e bagos de arroz alusiva aos Descobrimentos que tem pendurada no seu gabinete em lugar de destaque, tem sido questionada, uma vez que o certificado de louvor do concurso nacional de colagens alimentícias de 1965 foi assinado num Domingo chuvoso à noite com lápis de carpinteiro. A investigação revelou ainda que o ministro da Justiça, Alberto Costa, só consegue assinar de cruz mas parece que tal é do conhecimento geral.

Para acabar com os eleitores-fantasma, cidadãos apanhados a atravessar paredes serão expulsos das secções de voto

Perante a gravidade da situação dos eleitores-fantasma, cujos números atingem proporções que começam a afectar os resultados dos escrutínios, a Comissão Nacional de Eleições pretende usar o próximo acto eleitoral para resolver o problema de uma vez por todas. Para este efeito, os membros das mesas de voto receberão formação prévia para reconhecerem uma série de padrões comportamentais normalmente associados à condição fantasmagórica. Assim, os cidadãos que se apresentem na sua secção de voto atravessando paredes em vez de entrar pela porta, flutuando, arrastando correntes, gemendo de forma sobrenatural, em estado translúcido ou em decomposição avançada verão os seus cartões de eleitor confiscados e terão o seu nome imediatamente riscado dos cadernos eleitorais. O mesmo será válido para os aglomerados de material ectoplásmico de forma indefinida que não consigam provar a sua situação vital. Existirá ainda uma atenção especial aos eleitores que, aparentando normalidade, votem no PCTP-MRPP visto que os últimos apoiantes do partido que não mudaram radicalmente de ideais políticos morreram em 1979.

Valentim Loureiro copia decote de Fátima Felgueiras

O carismático e multifacetado major escandalizou a população de Gondomar ao sair à rua ostentando um decote generoso muito pouco condizente com a patente de oficial superior do exército. A quem o abordou, entre raros piropos brejeiros e muitos gritos de horror, para conhecer o motivo de tão ousada indumentária, Valentim explicou que o decote que Fátima Felgueiras levou ao tribunal o inspirou e, depois de se trancar na casa de banho lá de casa a reflectir durante uns minutos, resolveu adoptar a mesma táctica nas suas visitas ao tribunal. Até lá, vai treinando pelas ruas da sede do município a que preside, respondendo aos vómitos dos transeuntes com gritos de “Eu também posso mostrar as mamas se quiser, ninguém manda em mim e isto depois da depilação fica tal e qual!” Recorde-se que, nos seus tempos de juventude, Valentim Loureiro capitaneou a equipa de transformismo de alta competição do Boavista, tendo mesmo conquistado três Campeonatos Nacionais de Mariquice e um Troféu António Calvário na época de 72-73, perdendo a prestigiada Taça Ibérica para a equipa do Seminário de Córdova.

Portugal e Angola resolvem diferendo e concordam em rejeitar apenas cartas de condução guineenses

Chegou ao fim o incidente diplomático iniciado com a prisão do futebolista Pedro Mantorras por conduzir com carta angolana que deixou de ser válida no nosso país. O governo de Luanda chegou mesmo a retaliar, ordenando a apreensão das cartas de condução emitidas em Portugal mas chegou-se a um entendimento depois de uma cimeira extraordinária entre responsáveis dos dois países (sobre pratos de muamba regados com vinho alentejano) que terminou com alguns representantes da Direcção-Geral de Viação portuguesa e da Direcção Nacional de Viação e Trânsito angolana a despir as camisas e a improvisar um peculiar fandango luso-africano. Os termos do acordo prevêem o reconhecimento recíproco dos títulos de condução de ambos os países e, em jeito de compensação, a rejeição absoluta das cartas de condução emitidas pela Guiné-Bissau. De acordo com um dos participantes na cimeira, ébrio demais para recordar o próprio nome ou mesmo a nacionalidade, “é a primeira vez que dois membros da CPLP resolvem um diferendo à custa de um terceiro e isso é muito positivo.” As autoridades de Bissau não se mostraram grandemente afectadas com a decisão, até porque as cartas de condução daquele país são folhas de caderno rabiscadas com a inscrição “Pode conduzir, sim senhor” assinada com cruz por uma misteriosa entidade que se identifica como sendo “o maioral de todas as conduções em estrada asfaltada, de terra batida, lama ou etc.”

Maria Cavaco Silva prepara golpe palaciano

De forma algo surpreendente, o cérebro do casal Cavaco Silva não está onde se poderia pensar. A primeira-dama, Maria Cavaco Silva, prepara-se, segundo informação recolhida pela Secção de Hóquei em Patins do Clube Desportivo Brambalhense, para liderar um golpe palaciano que afaste o marido de funções e lhe entregue a chefia do Estado. Posteriormente, os seus apoiantes tentarão instaurar o presidencialismo de forma a permitir que governe de forma efectiva. Até lá, Maria Cavaco Silva promete exercer uma presidência inspirada pelos ensinamentos do Mahatma Gandhi, pelo socialismo, pela culinária macrobiótica e pela decoração do lar. Como primeiro acto oficial, a nova presidente iniciará uma campanha de motivação nacional com o objectivo de garantir que todos os lares portugueses ficarão devidamente equipados com um bidé, item que considera a base da civilização moderna. Quanto ao ainda presidente, não se prevê o exercício de quaisquer represálias e Aníbal acompanhará a esposa em visitas oficiais nas funções que esta exerceu até agora, fazendo figura de corpo presente e dizendo banalidades sem sentido sempre que apanhar um microfone a jeito.

Sócrates encontrou-se com ministro chinês das Coisas Sem Importância

O primeiro-ministro contradiz os que tentaram ridicularizar a sua visita oficial à China por esta ter coincidido com a ausência do presidente Hu Jintao, fazendo um balanço “francamente positivo” do encontro com o ministro chinês das Coisas Sem Importância, cargo que lhe afiançaram ter grande relevo. Quem o garantiu foi um vendedor de pássaros que, na altura, envergava uma camisa azul e calças bege, e que remeteu a comitiva portuguesa para o ministro, apontando um fulano de gravata que fazia Tai Qi num jardim próximo. Ao que a Inépcia apurou, o cargo de ministro das Coisas Sem Importância resulta da minúcia oriental e do desejo de estender o controlo governamental a todos os pormenores da vida mundana, mesmo os mais insignificantes. O encontro entre Sócrates e o ministro (cujo nome ninguém percebeu mas que rimava claramente com “xu xi”) durou apenas oito minutos mas foi o suficiente para lhe ser transmitida a imagem de um Portugal moderno, empenhado no progresso tecnológico e que está receptivo a facilitar o acesso dos chineses ao continente africano, algo que o ministro prometeu transmitir aos colegas assim que estes voltassem de Moçambique. Os resultados da viagem à China já se fazem sentir e, só na última semana, abriram quatro lojas chinesas apenas em Lisboa e Porto.

Santana Lopes garante que Portugal voltaria a ser superpotência se não tivesse sido demitido

O antigo primeiro-ministro continua empenhado em mostrar que a sua excelente governação foi minada por forças anónimas (ligadas à esquerda, à direita, ao centro e, basicamente, ao país inteiro) e não desiste de convencer a opinião pública dos dotes políticos que garante não existirem apenas na sua cabeça. Desta vez, o homem que conseguiu fazer o país ter saudades de Durão Barroso afirmou publicamente que, se não tivesse sido demitido, Portugal poderia recuperar o estatuto de superpotência da era dos Descobrimentos. Além disso, Santana garante que, precisamente no dia seguinte à dissolução do parlamento, se preparava para anunciar a renegociação do Tratado de Tordesilhas e um plano milagroso que poria fim ao défice através da nacionalização da imagem de Cristiano Ronaldo. Em mais um livro choque (com lançamento agendado para meados do próximo ano e que terá como título “A Grande Cabala - Crónica das Sacanices que me Fizeram”), Santana Lopes promete contar toda a verdade sobre a sua governação, incluindo aquela vez em que elogiou Jorge Sampaio por um discurso bem conseguido quando, na verdade, estava tão entediado como todos os presentes.

Activistas ocupam cavidade anal de Rui Rio

Um grupo de vinte activistas introduziu-se a coberto da noite na cavidade anal do presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, e recusa-se a sair como protesto contra a forma como a autarquia tem sido gerida. Não se sabe se a acção está relacionada com a ocupação recente do Teatro Rivoli mas é provável que não porque, neste caso, não tem havido ajuntamentos de solidariedade à entrada das instalações ocupadas. Os ocupantes parecem ter motivações de vária ordem, existindo os que pedem melhorias no urbanismo da cidade, os que querem mais apoios para o comércio tradicional, os que apelam à reabilitação das áreas urbanas carenciadas e os que lá estão apenas por gosto. Inicialmente, Rui Rio tentou evacuar a sua cavidade anal por intermédio de clisteres mas sem sucesso. Recorde-se que não é a primeira vez que a abertura posterior de um político é ocupada e que Mota Amaral tem um pequeno grupo de militantes de extrema-esquerda alojados na sua desde 1981 mas que garante não lhe causarem grande incómodo. A Inépcia sabe que o Grupo de Operações Especiais da PSP já foi chamado a intervir e prepara-se para uma entrada à força mas só quando conseguir reunir quantidades adequadas de lubrificante, devido ao elevado calibre do equipamento utilizado.

Príncipe espanhol pode nascer com a cara de Cavaco

A gravidez da princesa Letizia pode ser afectada por um problema decorrente da visita do presidente português a Espanha. Quem o diz é Ramon Blasco y Blasco, conceituado especialista em obstetrícia mística, convicto de que o novo rebento dos Bourbon pode nascer com as feições de Cavaco Silva. “Há muito que a obstetrícia mística estuda os efeitos de traumas ocorridos durante a gravidez na definição do aspecto físico do recém-nascido,” explica, “e está praticamente provado que é mesmo possível uma grávida a quem o ladrar de um cão assustou dar à luz uma criança com feições caninas. O princípio é exactamente o mesmo.” Para evitar que isto aconteça, os médicos da Casa Real prepararam já um plano de encontros entre a princesa e celebridades de Hollywood de beleza universalmente reconhecida num esforço para inverter o efeito. Entretanto, um porta-voz da Presidência considerou que ter a cara de Cavaco não é assim tão mau, afirmando que “o Presidente tem essa particularidade física e isso não o impediu de chegar muito longe. Claro que há o problema da antipatia generalizada que provoca e o facto de fazer chorar crianças e pessoas mais impressionáveis mas não se pode ter tudo na vida.”

Maioria dos militantes do CDS sobreviveu ao aborto

O presidente do CDS, Ribeiro e Castro, decidiu revelar publicamente que, desde a sua fundação, a militância no partido tem estado dominada por sobreviventes de interrupções da gravidez falhadas ou, em vocabulário comum, de abortos mal feitos. A revelação enquadra-se num esforço de consciencialização da opinião pública para os males da interrupção voluntária da gravidez numa altura em que a lei do aborto volta a ser discutida pela classe política. “Eu próprio sou um aborto frustrado,” explica Ribeiro e Castro, “e o mesmo se passa com muitos dos meus colegas. Muitas vezes as malformações e os traumas resultantes da violência de que fomos alvo no útero não são visíveis mas é um facto que estão cá. Basta um olhar mais atento.” Também Nuno Melo, líder parlamentar do CDS, admite ser um “aborto” e, entre lágrimas, pede para o olharem nos olhos e verem o terror do que teria acontecido se a medicação abortiva não tivesse falhado na viagem de regresso de Badajoz.

Luís Amado promete continuação da política de Freitas do Amaral mas não garante ser tão chato

O novo ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, prometeu continuar as políticas do seu antecessor, Freitas do Amaral, mas, pelo menos para já, não promete conseguir ser tão chato. “Os portugueses podem contar com o meu esforço,” refere, “mas têm de compreender que não é fácil. O professor Freitas do Amaral nasceu com um talento especial para ser chato e não será fácil provocar os mesmos níveis de tédio insuportável.” Mesmo assim, Amado já anunciou que todas as suas intervenções na qualidade de chefe da diplomacia nacional passarão a ter a duração mínima de 78 minutos, qualquer que seja o assunto, e passará a assinar uma crónica semanal num jornal de referência em que dirá muito pouco ou quase nada, usando o maior número possível de linhas. Como treino adicional, o ministro recém-empossado começou já a ler o livro “Como Fazer Discursos Empolgantes” da autoria do presidente cubano, Fidel Castro, e leva galinhas para o gabinete, tentando pô-las a dormir com comentários críticos ao conflito civilizacional entre o Ocidente e o Islão.

João Almeida e Nuno Melo rejeitam limitação de franjas de beto no CDS

Nuno Melo e João Almeida, uniram-se contra o líder do partido, Ribeiro e Castro, protestando contra a limitação das franjas de beto. Trata-se da segunda limitação proposta nos últimos tempos, ameaçando fazer do CDS o partido mais limitado da esfera política nacional. “Esta orientação é perigosa e pode pôr em risco a própria existência do CDS,” afirma o líder parlamentar, Nuno Melo. “A limitação de mandatos ainda vá, agora limitar as franjas é demais,” opina João Almeida que, de acordo com boatos correntes, ocupa todo o seu tempo livre a cuidar da impressionante franja de beto por ser um rapazinho esquisito sem amigos nem personalidade. As limitações propostas por Ribeiro e Castro estabelecem um comprimento máximo da franja bem como a percentagem máxima de testa que pode estar coberta. “É inaceitável. A liberdade de franja é direito divino de qualquer beto reconhecido pela Convenção da Ericeira em 1994,” adianta João Almeida, “limitá-la teria consequências tão graves como a proibição de usar pullovers sobre os ombros ou a abolição do tratamento por tio.”

Ministro das Finanças tranquiliza: Aumento dos combustíveis apenas prejudica retomas reais

Teixeira dos Santos tranquilizou o país ao explicar que as flutuações no preço dos combustíveis não afectarão a retoma económica portuguesa visto que apenas retomas reais são sensíveis a factores desta ordem. “Os portugueses não precisam de se preocupar pois a retoma fictícia que inventámos para descansar toda a gente continuará a desviar a atenção do caos,” explicou o ministro. Para quando passar a euforia do Mundial e os portugueses começarem outra vez a pensar na economia (lá para 2007), o Governo prepara acções de sensibilização subordinadas ao tema “Estamos mal mas podíamos estar pior” através das quais os cidadãos darão graças por não viver durante a Grande Depressão ou a queda do Império Romano, apesar das notícias alarmantes de que um consórcio visigodo poderá comprar a EDP.

Verdes querem extinguir gordos

“Os Verdes” embarcaram numa cruzada contra a obesidade cujo objectivo final será a extinção dos gordos do país. O motivo para uma decisão tão extrema prende-se com o facto de o peso dos obesos sobre a crosta terrestre desencadear uma ressonância magnética que provoca enxaquecas a uma espécie rara de rouxinol, que apenas vive no Vale do Ave e costuma nidificar atrás da orelha de empresários do sector têxtil. A proposta passa por uma regulamentação da publicidade a produtos alimentares, passando-se em fases posteriores ao envio de gordos para campos de dieta compulsiva e, finalmente, à transformação dos mais resistentes em ração para alimentar baleias. Quanto à possibilidade de uma proposta destas afectar os militantes do partido, foi explicado que a questão não se põe porque o peso combinado dos 21 militantes não chega aos 83 kg.

CDS quer penas de prisão para fetos que se deixem abortar sem resistência

O CDS não desiste de fazer baixar a idade penal dos jovens e prepara já um novo projecto que, a ser aprovado, possibilitaria que os cidadãos cumprissem penas de prisão antes mesmo de terem nascido. Um dos crimes que o partido mais à direita no Parlamento gostaria de ver punido com severidade seria a cumplicidade de muitos fetos que se deixam abortar sem sequer esboçar resistência numa clara manifestação de “radicalismo esquerdista pré-natal sem respeito pelo direito à vida”, de acordo com o líder da bancada, Nuno Melo. Quanto ao rumor de que a insistência nesta matéria se deve ao facto de o deputado João Almeida ter sido recentemente assaltado e espancado por um gangue de embriões, não houve confirmação.

Carrilho acusa Diniz Maria de falta de empenho na campanha

O novo livro de Manuel Maria Carrilho já está a ser ultimado e promete levantar ainda mais polémica do que o anterior. Em "Sob o Signo da Verdade 2-Como Eles me Tramaram", o autor vai mais longe na referência a uma conspiração contra o seu sucesso nas últimas eleições autárquicas e acusa o próprio filho, o mediático Diniz Maria, de não se ter empenhado no vídeo de campanha que gravou com a mãe, a não menos mediática e alfabetizada Bárbara Guimarães. "Bastava olhar para ver que o Diniz não se estava a esforçar. Tantas horas que passámos a ensaiar os melhores gestos e gargarejos para enternecer o eleitor e ele limitou-se a ficar ali sentado, revelando uma imaturidade inaceitável," refere o pai, acrescentando que "é um ingrato. E a mágoa aumenta quando penso na experiência traumática que foi a sua concepção." O novo livro será impresso nos rolhos de folha dupla de uma conhecida marca de papel higiénico e poderá ser consultado em várias retretes do país.

Portugal pode expulsar imigrantes ilegais canadianos como retaliação

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras pondera a hipótese de expulsar os imigrantes ilegais canadianos que se encontrem em Portugal como retaliação contra a deportação de imigrantes portugueses do Canadá. Para o director-geral do SEF, Manuel Jarmela Palos (nome obviamente inventado; o seu nome verdadeiro é Mamadu Jarmela Cassamo), “trata-se de uma medida razoável face ao tratamento indigno dado pelo governo canadiano a cidadãos portugueses.” Numa primeira fase, foi feito um levantamento de todos os canadianos a viver em Portugal para averiguar se algum deles se encontrará em situação ilegal. Da lista constam três canadianos e meio, incluindo o embaixador. O número de imigrantes canadianos aumentou bastante nos últimos anos devido à extrema limpeza do país de origem e ao desejo de ver ao vivo um depósito de entulho, uma bosta de cão no passeio, alguém a cuspir para o chão ou a urinar na rua.

Isaltino Morais explica que busca da PJ à Câmara de Oeiras foi só para conseguir material de escritório à borla

O autarca de Oeiras considera que as buscas efectuadas pela Polícia Judiciária por suspeita de irregularidades na habitação social não passaram de uma manobra para contornar as dificuldades económicas que aquela força policial enfrenta. “Eu sei o que digo,” explica Isaltino, “afinal, tenho uma experiência considerável com irregularidades e posso garantir que, se houver cá alguma, a responsabilidade é de um sobrinho que tenho emigrado no Benelux e que está sempre a dar desgostos à mãe.” De acordo com testemunhas que vieram a público com maços de notas a sair do bolso acompanhados por bilhetes dizendo “Cumprimentos do Isaltino,” os agentes da PJ começaram por se dirigir à cantina onde confiscaram vários pratos de arroz de pato e um saco cheio de pão. De seguida, fizeram o mesmo aos agrafadores, esferográficas e resmas de papel dos escritórios. Não há confirmação de que tenham confiscado os trocos dos funcionários para comprar tabaco.

Ministro das Finanças sugere que excedentários da função pública passem a chamar-se "necessários de segunda escolha"

Numa tentativa de ultrapassar as conotações negativas da palavra “excedentários,” Teixeira dos Santos propôs que os funcionários dos organismos públicos recentemente extintos passem a chamar-se “necessários de segunda escolha.” Esta proposta surge na sequência de indicações vindas do primeiro-ministro José Sócrates que terá instruído os membros do seu governo para usarem apenas palavras positivas ao descrever situações negativas, estratégia a que muitos já chamam “valorização eufemística.” Assim, Portugal deixa de ser um país atrasado para passar a ser “inversamente evoluído,” Angola deixa de ser uma ditadura e transforma-se num “alvo apetecível para estabelecimento de parcerias estratégicas” e o desemprego passa a chamar-se “lazer a tempo inteiro.”

Governo privatiza bancadas da oposição no parlamento

Perseguindo o seu objectivo de reduzir a dívida pública, e para evitar ter de vender metade da população do país para experiências médicas, o Governo vai privatizar as bancadas da oposição na Assembleia da República, vendendo-as a um consórcio francês para construção de um espaço comercial. O Centro Comercial Parlamento será constituído por lojas construídas sobre a bancada de cada um dos partidos. A bancada do PS não será vendida devido a risco de actividade sísmica e medo da reacção de Manuel Alegre. A bancada do Bloco de Esquerda será ocupada com uma loja de produtos em cânhamo, a do PCP com uma área de restauração a cargo da multinacional McDonald’s, a do PSD será comprada por Valentim Loureiro para instalação de um museu pessoal e a do CDS abrigará uma loja de preservativos exóticos. A diminuta bancada dos Verdes abrigará os sanitários. Entretanto, o presidente da AR, Jaime Gama, foi convidado para uma posição simbólica como responsável por pedir silêncio aos clientes.

Sondagens que avaliam popularidade de Freitas do Amaral deixam de ter em conta apenas opinião do próprio

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Freitas do Amaral, poderá ver a sua popularidade baixar drasticamente depois de vários órgãos de comunicação social manifestarem a intenção de recorrer a sondagens que não levem em conta apenas a sua opinião. A mudança surge como consequência da estranheza provocada pelo facto de o antigo líder do CDS continuar a ser o ministro mais popular mesmo depois de Alberto Costa ter começado a lançar moedas de ouro pela janela da sua viatura oficial. As novas sondagens destinadas a uma amostra mais abrangente da sociedade continuarão a ser feitas pela empresa “Diogo F. Amaral S.A.,” cuja isenção não foi questionada, e as possibilidades de resposta à pergunta “Acha que Freitas do Amaral é um bom ministro?” serão “Muito,” “Bastante” e “Não sabe/Não responde (mas até é).”

Nunes Liberato tentou entrar no Palácio de Belém de mão dada com Cavaco

Nunes Liberato, pequeno hobbit que saltou directamente da obra de Tolkien para a cena política nacional e que Cavaco Silva convidou para chefiar a Casa Civil do Presidente da República, tentou entrar no Palácio de Belém de mão dada com o seu mentor. “Foi muito engraçado,” lembra um dos transeuntes que por ali passava, “lá ia a família de mãos dadas pela rampa acima e aparece aquela pulga a correr, tentando afastar a neta que o Presidente levava por uma das mãos.” O intruso foi prontamente interceptado pelas forças de segurança e espancado com vigor até alguém o reconhecer. Ultrapassado o incidente, o novo chefe da Casa Civil já está em pleno exercício de funções, instalado numa pitoresca gaiola dourada no gabinete de Cavaco. Ao fim do primeiro mês, se mantiver o bom comportamento, ser-lhe-á facultada uma roda para fazer exercício.

Cavaco explica que presidenciais se decidem entre ele próprio e ele próprio

Numa comovente manifestação espontânea de apoio a Cavaco Silva que coincidiu com a passagem do candidato, de toda a comitiva e de elementos da comunicação social pela viela mais apertada de Trancoso, o homem que promete colocar Portugal ao nível da Califórnia e, com um bocado de sorte, também ao nível da Disneylândia, lembrou que as presidenciais se decidem entre ele próprio e ele próprio. “Cabe aos portugueses decidir se querem ter um presidente sério, rigoroso e com pulso férreo ou alguém mais simpático e folgazão que sorri de vez em quando e que até é capaz de abraçar a velhota mais limpa filtrada pelo cordão de segurança,” explicou, acrescentando que “eu posso ser essas duas pessoas.” Quanto à possibilidade de existirem eleitores que votem noutros candidatos, Cavaco explicou, sem referir nomes, que os cidadãos são livres de votar em quem entendam mesmo que seja em alguém que não preze a estabilidade política e se divirta a torcer o pescoço a cachorros recém-nascidos.

SIC faz reportagem de 47 segundos sobre quotidiano de Garcia Pereira

Numa tentativa de calar críticas de parcialidade no tratamento aos candidatos presidenciais pela exclusão de Garcia Pereira das reportagens sobre o quotidiano dos candidatos recentemente transmitidas pela SIC, a estação de Carnaxide está a ultimar uma reportagem que dará a conhecer melhor aos portugueses o candidato ligado ao PCTP-MRPP. Trata-se de uma peça de extensos 47 segundos, durante os quais uma equipa de reportagem esperou o candidato à porta de casa quando este saía para trabalhar, fazendo um grande plano da sua testa. Apanhado de surpresa, Garcia Pereira só teve tempo de ajeitar o nó da gravata, revelando nisso grande à-vontade político, e perguntar com grande clareza de ideias: “O que é que vocês querem?” A reportagem será transmitida entre dois anúncios de imagens eróticas para telemóvel no próximo dia 27 de Janeiro no horário entre as 5 e as 6 da manhã.

Candidatos da esquerda desafiam Cavaco para novo debate com bolo-rei à discrição

Numa concordância inédita entre todos os candidatos às eleições presidenciais apoiados por partidos de esquerda, Cavaco Silva foi desafiado pelos adversários para um novo debate, desta vez com possibilidade de confronto directo e com a peculiaridade de existir bolo-rei sobre a mesa para os candidatos irem petiscando durante a troca de pontos de vista. De acordo com elementos ligados às varias candidaturas de esquerda, a original referência ao bolo-rei como uma das condições pré-estabelecidas para o debate deve-se a uma vontade de honrar a quadra festiva que atravessámos recentemente e não terá nada a ver com o incidente na campanha para as presidenciais de 96 em que Cavaco foi filmado a mastigar bolo-rei com a boca escancarada, dificultando ainda mais uma eleição já improvável. A candidatura de Cavaco aceitou o desafio mas informou que, por motivos de saúde, o candidato comerá o bolo por via intravenosa.

Comunistas chocados com revelação de que Lenine também não estava grávido

Depois de se confirmar que Catarina Eufémia, a camponesa abatida pela GNR durante a ditadura, não estava grávida, é a vez de cair por terra outro momento fundador da mitologia marxista-leninista com a revelação por uma revista científica de que Lenine, líder bolchevique e mentor do movimento comunista mundial também não estava grávido quando morreu. Poderá parecer bizarro falar numa gravidez de Lenine mas a estranheza deve-se ao facto de apenas aos comunistas mais fervorosos serem revelados os mistérios inscritos no Grande Livro Proletário, repositório da essência secreta do comunismo. A negação da gravidez de Lenine contradiz o envio à terra de um Messias comunista, nascido do ventre de um homem, que livraria o mundo do capital e, no fim dos tempos, presidiria à ressurreição de todos os comunistas com excepção de Estaline e João Amaral. Jerónimo de Sousa desmentiu que o comunismo seja um culto secreto e remeteu mais comentários para depois da missa vermelha das Quintas-feiras.

Maria Elisa pode transitar para a cozinha da embaixada em Londres

A intenção de Freitas do Amaral de reduzir o número de adidos das representações diplomáticas portuguesas poderá atirar a ex-jornalista, ex-deputada e actual adida cultural da embaixada em Londres, Maria Elisa, para a cozinha. A mudança ocorrerá se for dispensada e tendo em conta que não pode regressar a Portugal, país onde ninguém a grama, restando-lhe trabalhar na cozinha como única solução visto que a BBC não está a contratar pessoal de limpeza. “Ainda não estou preocupada porque a compreensão lenta crónica não mo permite,” explicou a visada, lembrando que o seu trabalho em Londres tem sido precioso para a divulgação da cultura portuguesa no Reino Unido. “Desde que fui nomeada, o número de britânicos que sabe nomear pelo menos uma figura cultural portuguesa aumentou de forma considerável,” refere, “claro que me refiro apenas a empregados das lojas de Oxford Street e a figura cultural que todos conseguem nomear sou sempre eu mas isso é um pormenor sem importância.”

Mário Soares nega senilidade e apela ao voto contra Salazar

O candidato presidencial e também candidato à presidência da Liga Portuguesa do Idoso Activo, Mário Soares, voltou a negar ter sintomas de senilidade depois do incidente em Ponte da Barca quando se apresentou numa acção de rua sem calças e pedindo aos transeuntes para o apoiarem na sua candidatura à organização dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014. “Não estou senil e começo a ficar ofendido com essas insinuações,” explicou, “É como se, pelo simples facto de ser octogenário, tivesse obrigatoriamente de perder capacidades mentais e deixasse de conseguir levar uma frase até ao… ao… quem são vocês? Querem um autocolante?” Depois de uma pausa para refrescar as ideias, Soares voltou à carga, lembrando aos portugueses que um voto na sua candidatura é um voto contra Salazar. Confrontado com o facto de Salazar ter abandonado a política activa em 1970, ano da sua morte, o candidato lembrou a importância do debate e a qualidade das papaias de São Tomé.

Marques Mendes perde-se em acção de rua do PSD

O líder do PSD, Luís Marques Mendes, esteve no centro de um episódio invulgar na habitualmente sóbria política portuguesa, depois de se ter perdido entre a multidão durante acção de rua dos sociais-democratas em Braga. O incidente ocorreu numa rua movimentada quando o cortejo da coligação PSD/CDS/PPM estava empenhado na tradicional distribuição de panfletos, apertos de mão e o apalpão ocasional a uma eleitora mais vistosa. De repente, o candidato Ricardo Rio deu pela falta de Marques Mendes a seu lado e alertou os restantes elementos da comitiva que começaram a procurar entre a multidão, acabando por localizá-lo dentro do bolso de uma sexagenária. Recorde-se que, sempre que o actual presidente do PSD participa em acções políticas que envolvam grandes concentrações populares, há sempre a preocupação constante de que possa desaparecer devido ao facto de ter 37 cm de altura, parecendo mais alto na televisão e quando se desloca aos ombros de um anão a que chama Francisco Sá Carneiro.

Escolha de Joana Amaral Dias para mandatária de Soares leva apoiantes de Cavaco a pedir escolha de outra boazona

Logo após o anúncio da escolha da dirigente do Bloco de Esquerda, Joana Amaral Dias (a única deputada a alguma vez ter provocado suspiros de luxúria desde que Mota Amaral se apresentou no Parlamento vestido de Marilyn Monroe), para mandatária da juventude de Mário Soares, os apoiantes do quase-candidato Cavaco Silva, iniciaram a pressão pela escolha de mandatárias igualmente vistosas. “Não basta Soares ser fixe e agora ainda tem a Joana Amaral do Dias a apoiá-lo! Temos de ser rápidos a lidar com a situação,” refere Vasco Seixas, cavaquista há quase vinte anos. A mesma opinião é partilhada por outros apoiantes de uma candidatura presidencial de Cavaco. Rui Prazeres, engenheiro e cavaquista desde que nasceu, uniu esforços com Valentim Loureiro (sem relação com o homónimo famoso), cavaquista desde 1912, para recolher assinaturas exigindo um convite a Isabel Figueira para mandatária para os assuntos da lingerie e de mostrar o corpinho à malta.

www.inepcia.com