E-zine satírico sem corantes nem conservantes

Para chatear a Sport TV

Resultados do Mundial em primeira-mão

Depois de o canal desportivo por subscrição Sport TV ter anunciado que não autorizará a transmissão de jogos do Campeonato Mundial em ecrãs gigantes (a pretensão de proibir a transmissão de jogos em cafés e restaurantes foi abandonada a tempo por ser pouco prática e absolutamente imbecil), urge mostrar-lhes que o telespectador não se limita a ser um mero fantoche disposto a abrir os cordões à bolsa sempre que os senhores da Sport TV achem que a quantidade absurda de dinheiro que ganham podia ser ainda maior. Para tal, e com o objectivo óbvio de lhes estragar o negócio, a Inépcia recorreu aos serviços do eminente parapsicólogo africano, Professor Rambo, e apresenta uma lista dos resultados dos jogos da primeira ronda, antes que estes aconteçam, acompanhada por uma breve síntese dos principais momentos de cada desafio. Toma lá, Sport TV! É para aprenderes a não ter mau feitio.

GRUPO A

Alemanha
Costa Rica

0

3
Antes do início do jogo inaugural, a federação costa-riquenha distribuiu aos jogadores e técnicos adversários um memorando no qual dava conta de que o treinador brasileiro da Costa Rica, Alexandre Guimarães, era, na realidade, o brigadeiro Ernst Von Rapphausen, amigo íntimo de Hitler e responsável pelo extermínio de milhares de judeus inocentes durante a Segunda Guerra Mundial. Quanto aos jogadores, revelou-se também serem ou descendentes directos de oficiais nazis refugiados na América Central ou os próprios, depois de submetidos a um tratamento inovador de rejuvenescimento e a sessões intensivas de solário para camuflar a compleição ariana. O desenterrar de traumas antigos afectou os alemães de tal forma que não conseguiram concentrar-se durante todo o jogo e permitiram à Costa Rica marcar três golos por Wanchope (capitão Fritz Heikendorff), Bolanos (major Otto Drietmahr, SS) e Hernandez (Ingrid Heidelberg, prostituta de luxo e enfermeira em Auschwitz).

 

Polónia
Equador
1
1
Vinte minutos após o apito inicial, polacos e equatorianos perceberam que as respectivas equipas só estavam no Mundial para fazer número e sentiram-se profundamente deprimidos, deambulando pelo relvado com os olhos postos no chão. Perante os protestos do público que exigia ver futebol, concordaram em marcar um golo para cada lado (por Smolarek e Delgado aos 41 e 43 minutos respectivamente) e abandonaram o campo a meia hora do fim do jogo.

GRUPO B

Inglaterra
Paraguai
2
1
Os ingleses entraram em campo desejosos por vingar a Guerra das Malvinas e abriram o marcador aos 12 minutos com um livre directo magistralmente apontado por Owen. Os paraguaios reagiram, explicando que o adversário da Grã-Bretanha no referido conflito tinha sido a Argentina e não o Paraguai mas a selecção da pátria do futebol não foi em conversas e aumentou a vantagem aos 24 da segunda parte por intermédio de Lampard. O Paraguai só deu sinais de vida já depois do tempo regulamentar com um golo de cabeça apontado por Roque Santa Cruz depois de terem ateado fogo aos produtos inflamáveis no cabelo de Beckham para desviar as atenções da defesa.

 

Trindade e Tobago
Suécia
1
3
Bom jogo de futebol com os suecos a dominar a posse de bola e os tobaguenhos a apostar num contra-ataque venenoso. Aos 30 minutos da segunda parte, já com o resultado em 3-1 para os escandinavos, o guarda-redes da equipa das Caraíbas, Hislop, começou a assobiar uma modinha tropical contagiante e o impulso musical depressa alastrou aos restantes jogadores com a formação de um desfile carnavalesco espontâneo e com as prestações únicas de Kallstrom, Larsson, Allback e Linderoth numa imitação perfeita dos ABBA.

GRUPO C

Argentina
Costa do Marfim
2
1
Os africanos entraram em campo, determinados a não começar o jogo enquanto não vissem alterado o nome do país no marcador electrónico, obedecendo às disposições do seu governo que mantém que o original francês “Côte d’Ivoire” não pode ser traduzido para outras línguas (facto verídico). Prontamente, os jogadores argentinos com sorrisos travessos comunicaram ao árbitro que, se a pretensão do adversário fosse atendida, apenas começariam o jogo se a palavra “Argentina” fosse substituída por “República de Gran Potencia Sexual de Argentina y Ole, Somos Los Mejores de la Copa!” Seguiu-se uma batalha campal com marcação de dois golos por Riquelme e um por Drogba quando não estava ninguém a ver.

 

Sérvia-Montenegro
Holanda
2
2
No rescaldo do referendo que ditou a separação próxima entre sérvios e montenegrinos, a selecção da Sérvia-Montenegro revelou-se algo esquizofrénica com a maioria sérvia a jogar para um lado e o guarda-redes montenegrino, Jevric, parecendo estar a jogar sozinho. Apanhados de surpresa, os holandeses sofreram dois golos (um deles marcado pelo guarda-redes adversário numa subida à grande área) mas reagiram bem e acabaram por igualar com tentos de Van Bommel e Van der Vaart. No entanto, o resultado teve de ser registado assim: Sérvia 1 x Montenegro 1 x Holanda 2, pelo que a selecção holandesa foi declarada vencedora.

GRUPO D

México
Irão
1
1
Desafio atribulado com os mexicanos a exigir uma medição dos níveis de radioactividade no banco da selecção adversária ao que os iranianos ripostaram com idêntico pedido, acabando por se constatar que a radioactividade era mais elevada no banco dos centro-americanos. O seleccionador Ricardo La Volpe explicou que tal se devia ao almoço condimentado de burritos à moda de Guadalajara e tudo ficou sanado. Os golos foram marcados de forma cordial por Mahdavikia e Rafael Marquez.

 

Angola
Portugal
0
0
O jogo mais aguardado do Mundial, pelo menos no eixo Lisboa-Damaia, começou de forma aguerrida com as duas equipas a estudarem-se mutuamente. O momento alto ocorreu aos 27 minutos do primeiro tempo quando Hugo Viana e Titi Buengo se reconheceram como primos por parte de um tio comum que emigrou para Angola nos anos 60 e nunca mais foi visto. Seguiu-se uma onda de jovial nostalgia, terminando com os jogadores a entrarem num voo charter, indo comer lagosta regada com Super Bock na baía de Luanda.

GRUPO E

Itália
Gana
?
?
Adiado. Os italianos recusaram-se a jogar por considerarem que o visual pouco cuidado dos ganeses podia prejudicar a sua imagem na transmissão televisiva. O encontro foi adiado até a selecção do Gana passar por um processo exaustivo de renovação cosmética.

 

Estados Unidos
República Checa
1
8
Motivados pelo brilharete do último mundial, os jogadores americanos entraram decididos a repetir o feito e abriram o marcador logo aos 5 minutos com um golo fantástico de Brian McBride. Seguiu-se comemoração longa e efusiva acompanhada por cânticos de “USA! USA!” e entoação repetida do hino, que os checos aproveitaram para marcar 8 golos sem resposta. A República Checa foi já incluída no Eixo do Mal e está em lista de espera para bombardeamento.

GRUPO F

Brasil
Croácia
3
0
A selecção croata apresentou as novas camisolas dotadas de tecnologia que faz com que o padrão quadriculado vermelho e branco característico se mova e seja mesmo substituído ocasionalmente pela projecção de outros tipos de formas e cores. Quinze minutos após o apito inicial, vários jogadores brasileiros caíram ao chão com convulsões no que parecia ser um ataque epiléptico conjunto. O jogo foi prontamente suspenso e a selecção croata viu as camisolas proibidas e foi penalizada com derrota administrativa de 3-0.

 

Austrália
Japão
1
1
Os jogadores australianos apresentaram-se em campo visivelmente embriagados, motivando reacção de repúdio dos japoneses que chegou ao ponto de o médio Fukunishi se suicidar por não suportar viver com a falta de honra dos oponentes. Seguiu-se discussão acesa com os australianos a oferecerem cerveja Foster’s e os nipónicos a enviar emails de protesto à FIFA através dos computadores pessoais implantados no antebraço. Quando Brett Emerton entrou em coma alcoólico, os nipónicos consideraram a dívida de honra saldada e o jogo prosseguiu com golos apontados por Kewell e Nakamura.

GRUPO G

França
Suíça
1
2
A França começou melhor com um golo de Wiltord na sequência de um pontapé de canto. Durante a comemoração, Makelele chamou “preto” a Thuram e Cissé e os três jogadores envolveram-se em confronto, sendo separados por Zidane contra quem se voltaram em seguida, sugerindo-lhe que “voltasse para a Argélia.” No meio dos conflitos raciais que se seguiram, Gygax e Streller garantiram os três pontos suíços para gáudio de Jean-Marie Le Pen.

 

Coreia do Sul
Togo
0
0
Antes do pontapé de saída, o capitão togolês presenteou o seu homólogo com um cachorrinho de uma raça típica do seu país que muito sensibilizou os sul-coreanos enquanto o despedaçavam e comiam cru. Chocados, os togoleses não souberam como reagir e, quando Kim Do Heon apresentou a sua filha a Massamasso Tchangai, este pegou-lhe ao colo, sorriu e engoliu-a inteira. As duas equipas desistiram de tentar ultrapassar diferenças culturais extremas e ficaram-se por um resultado nulo.

GRUPO H

Espanha
Ucrânia
3
2
Jogo entre duas equipas muito equilibradas com a Espanha a adiantar-se no marcador por duas vezes (golos de Joaquin e Luis García) mas com boa réplica da Ucrânia através de Shevchenko. A vitória espanhola só se decidiria no final com um penalty apontado por Raul. De notar que a selecção ucraniana foi observada por cerca de 4 mil empresários portugueses do ramo da construção civil.

 

Tunísia
Arábia Saudita
0
1
Num encontro entre duas equipas de países árabes pouco frequente em mundiais, as duas selecções concordaram em fazer pausas para oração, fazendo com que o tempo útil de jogo se resumisse a 12 minutos. No final da última oração, o avançado saudita Al-Jaber correu com a bola para a baliza vazia da Tunísia e marcou o golo da vitória. O jogador não voltará a representar o seu país e foi de imediato enviado para Riad onde se sujeita a ser decapitado por desrespeito aos preceitos do Islão.

www.inepcia.com