Inépcia: s.f. (do latim "ineptia") 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

Saddam Hussein visto a comprar pão em Aljustrel

O ex-presidente iraquiano deposto pela intervenção militar no Iraque ainda em curso foi visto na localidade alentejana de Aljustrel a comprar um pão saloio, cinco papo-secos e um croissant com recheio.

O avistamento ainda não foi confirmado por fontes oficiais mas são cada vez mais os aljustrelenses que afirmam ter visto Saddam. Horácio Tremoço, proprietário da padaria “Nova Aljustrelense”, local onde foi feito o primeiro avistamento, considera que “era mesmo o Saddam. Tinha as feições um bocado alteradas mas tanto eu como os clientes que aqui estavam na altura temos a certeza de que era ele. Afinal, não é todos os dias que vemos alguém de bigode e boina em Portugal." O padeiro mais conceituado de Aljustrel e arredores acrescenta ainda que “não é a primeira pessoa famosa a ser avistada aqui no meu estabelecimento. Ainda na semana passada, a princesa Diana cá veio duas vezes comprar broa de milho e o Elvis Presley também cá vem de vez em quando comer um pão com manteiga acabadinho de sair do forno.”

O avistamento deu-se dois dias depois da entrada das forças da coligação em Bagdad, numa altura em que as tropas americanas vasculhavam a cidade em busca do ditador. A confirmar-se a presença de Saddam em Portugal, cai por terra a teoria já avançada por alguns analistas, segundo a qual, o homem que governou o Iraque com punho de ferro ao longo das últimas décadas estariamorto.

Não foi apenas na padaria “Nova Aljustrelense” que Saddam foi avistado. Outros residentes naquela localidade afirmam ter visto Saddam em locais e situações tão diversas como, por exemplo, a jogar às cartas com os reformados no jardim, a ler o jornal numa esplanada, ou nas reuniões quinzenais da direcção da Juventude Independente Humanitária de Aljustrelenses Desportistas, uma colectividade cultural e recreativa com pergaminhos na terra. Fernando Alcarrapacho, secretário-geral da mesa, jura que tem falado várias vezes com Saddam e que o considera “uma pessoa impecável”, mostrando-se disposto a apoiá-lo nas eleições para a presidência da colectividade às quais já terá manifestado vontade de concorrer. Este interesse inesperado do ex-ditador iraquiano pelo associativismo poderá parecer estranho mas se levarmos em consideração que as iniciais da colectividade em questão são JIHAD talvez tudo se torne mais claro. Alertados para este facto, os associados e dirigentes da JIHAD garantem não ter qualquer receio de que Saddam use armas químicas contra os que não pagam as quotas a tempo depois de eleito.

O governo já está a par desta situação mas, por enquanto, ainda não tomou uma posição oficial. Ao que a Inépcia apurou, o primeiro-ministro Durão Barroso estará muito ocupado a esconder-se numa arrecadação com medo de que Saddam tenha vindo vingar-se do apoio dado por Portugal às acções da coligação. Alistair Cooke, um especialista britânico em assuntos iraquianos e alguém que conhece bem Saddam Hussein garantiu que não há motivo para entrar em pânico porque “Saddam sempre pensou que Portugal fosse uma província de Marrocos e desconhece que tenham um governo próprio.” De qualquer maneira, o antigo líder iraquiano nutre uma simpatia especial pelos portugueses desde os tempos em que vendiam armas ao Iraque durante o conflito com o Irão, armas essas que, como é bom recordar, também eram vendidas ao Irão de modo a rentabilizar o negócio.

A autarquia aljustrelense parece encarar com bastante agrado uma possível presença do ditador deposto na simpática localidade alentejana. O presidente da câmara, António Godinho, afirmou que “a presença de alguém tão importante na nossa terra é uma honra” e já deu instruções aos serviços de marketing da edilidade para que a possibilidade de avistamento de Saddam seja divulgada como mais-valia em todas as visitas a Aljustrel, à semelhança daquilo que sucede na Escócia com o monstro do lago Ness. No caso bastante provável de Aljustrel ser bombardeada e invadida por tropas americanas e britânicas em busca de Saddam, o autarca considera que “o progresso acarreta sempre sacrifícios.” Na vanguarda do aproveitamento comercial deste fenómeno, está a padaria onde Saddam foi avistado pela primeira vez e que já adoptou como lema: “Padaria Nova Aljustrelense-Preferida por dois em cada três ditadores sanguinários.”


Recuar