E-zine satírico sem corantes nem conservantes

Sociedade

Artes de palco

Reconstituição do desaparecimento de Madeleine McCann encenada por Filipe La Féria

A Polícia Judiciária anunciou que a reconstituição do desaparecimento de Madeleine McCann será feita por actores profissionais e dirigida pelo encenador Filipe La Féria. O homem que colocou Portugal no mapa das grandes produções de teatro musical da América Latina mostrou-se honrado com a escolha, garantindo não poupar esforços para ajudar a apurar a verdade e, simultaneamente, “para proporcionar um espectáculo de luz, cor e sonho como há muito não se vê na história das investigações policiais europeias” (mais precisamente, desde que a reconstituição dos homicídios de Jack, o Estripador foi levada aos palcos do West End londrino em finais do século XIX). Os papéis principais de “La Féria Apresenta: Whatever Happened to Little Maddie?, de Filipe La Féria” estarão a cargo dos actores do costume. Anabela interpretará a pequena Maddie, Carlos Quintas será o pérfido raptor e Vanda Stuart terá a responsabilidade de interpretar em simultâneo ambos os pais da criança, razão pela qual terá já alterado a cor do cabelo do tradicional azul para um mais sóbrio verde-alface com madeixas rosa. Como é habitual, a reconstituição contará ainda com a participação musical e coreográfica do Coro Dançante de Rapazes Efeminados, fundado em 1999 para suprir a escassez de mariquice no teatro nacional. O projecto seguinte de La Féria será um musical baseado na Guerra Colonial, com Carlos Quintas como furriel Matos e Anabela como PAIGC. 2/5

808 69 69 69

Professores serão avaliados por televoto

A ministra da Educação mostrou não ser tão irredutível como muitos pensam e recuou no regime de avaliação dos professores, apresentando uma proposta que certamente agradará a toda a classe docente. Em vez dos métodos antes propostos, os professores serão avaliados por intermédio de voto telefónico dos portugueses, depois de serem seguidos por câmaras televisivas vinte e quatro horas por dia ao longo de um mês, permitindo uma avaliação integral não apenas das suas capacidades pedagógicas, mas também de pormenores fulcrais como a sua prestação sexual ou os seus hábitos de casa de banho. Além de se resolver a velha problemática do fosso que separa os pais dos professores, permite-se também o acesso à televisão de todos os docentes do país e não apenas dos malucos do costume que, em qualquer manifestação de protesto, são sempre os primeiros a plantar-se à frente dos microfones, não fazendo muito pela causa que supostamente defendem. Acerca da possibilidade de o televoto começar a ser usado também para substituir ministros impopulares, Maria de Lurdes Rodrigues respondeu de forma sucinta, mas a sua resposta perdeu-se entre o coro de palavrões audível da entrada do ministério. 7/3

Meter água

Portugal terá sistema municipal de Arcas de Noé

O ministro de Ambiente amainou as críticas às autarquias como responsáveis pelos estragos provocados por inundações e anunciou a implementação de um sistema revolucionário que permitirá evitar danos de igual calibre no futuro. “Como somos manifestamente incapazes de tomar medidas preventivas, vemo-nos forçados a puxar pela imaginação,” afirmou Nunes Correia como justificação para o sistema municipal de Arcas de Noé agora anunciado. Espera-se que, em breve, cada sede de município disponha de um destes artefactos antidiluvianos construído de acordo com indicações da Bíblia. A única alteração será no tamanho (sendo as arcas portuguesas muito menores do que a de Noé, devido à contenção de despesas a que o país está obrigado), existindo ainda a dificuldade de converter as indicações de construção obscurecidas pela passagem dos séculos em algo compreensível pelos construtores actuais. “Dentro de um ou dois anos, arrancará o concurso público para escolher a entidade encarregue de decidir a quantos metros corresponde um côvado,” explicou o ministro. Em caso de inundação, não existirá uma ordem rígida de entrada na arca e, depois do óbvio embarque prioritário dos titulares de cargos públicos e restante classe política (considerados essenciais à vida humana), restará espaço para mais quatro ou cinco famílias. 22/2

A face da besta

Casal McCann divulga novo retrato-robô do raptor de Maddie

“A nossa Maddie desapareceu”, disse Kate McCann com um tremor imperceptível no lábio, bem demonstrativo do seu desgosto, “mas nós não temos nada a ver com isso. Este homem sim.” As afirmações foram feitas na mais recente conferência de imprensa do casal McCann, na qual apresentaram um novo retrato-robô do provável raptor, que deverá substituir o anterior. O novo retrato resulta também do depoimento de uma turista inglesa na Praia da Luz que terá extraído os traços descritivos directamente da sua cavidade rectal, à semelhança do que aconteceu com o testemunho na origem do primeiro retrato. O suspeito é um homem de feições agrestes e olhos penetrantes, com bigode característico, e é provável que seja oriundo de um país de gente escura, pobre e, por consequência, perigosa. Exclui-se uma possível nacionalidade portuguesa por deferência para com Cristiano Ronaldo. Outro traço relevante é a braçadeira que poderá identificá-lo como membro de uma quadrilha internacional de pedófilos. O pai da criança, Gerry McCann, considera que esta é realmente a melhor maneira de recuperar a filha, afirmando que "de outra forma, restaria apenas a possibilidade ridícula de admitirmos que fomos nós a matá-la”, rindo-se de forma histérica em seguida até ser parado por uma cotovelada da esposa. Nos próximos dias, o casal conta divulgar imagens do mesmo suspeito como orador principal num hipotético congresso de pedófilos organizado numa cidade marroquina muito semelhante a Nuremberga. 25/1

Abracadabra

Inspectores da ASAE recebem formação em artes mágicas

A Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica mantém-se firme na determinação de fazer dos seus agentes os mais qualificados de todas as forças policiais portuguesas. Depois do treino militar e em espionagem recentemente noticiado, chega agora a vez da formação em artes mágicas. O objectivo é o mesmo: preparar os inspectores para lidar com todo o tipo de situações que podem surgir no decorrer das suas funções de fiscalização do comércio e restauração. “Ainda no mês passado tivemos três agentes que foram transformados em rãs pela proprietária de um café na Arruda e um outro que teve de fugir para não ser atacado por um bando de duendes antropófagos em Albufeira,” explica o presidente daquele organismo, António Nunes, que, depois da formação que recebeu em feitiçaria aplicada de primeiro grau, prefere ser conhecido como Shazorg, o Místico. As acções de formação serão orientadas por conhecidos magos, bruxas e feiticeiros da nossa praça e darão incidência especial às áreas da magia branca, magia negra, vudu, candomblé, malangatana e duas áreas importantes para a actividade da ASAE: alquimia com ingredientes fora do prazo e amaldiçoamento de frutas e legumes. Dando seguimento à sua formação contínua, os inspectores serão brevemente formados também em dança do ventre e striptease nas vertentes com e sem varão. 18/1

Ó tempo, volta para trás

2008 cancelado à última hora

A passagem de ano ficará marcada por um grande balde de água fria, após revelação de que o próximo ano não será 2008 devido a um erro burocrático. Ao que parece, a sequência dos anos no nosso país tem de ser formalmente delineada pelo governo em blocos de cinquenta, cabendo essa responsabilidade ao Ministério do Ultramar durante grande parte do século passado. Com a extinção daquele organismo e findo o último bloco de cinquent’anos programado em 1957, 2008 será substituído por um ano arbitrário. Assim, à meia-noite de 31 de Dezembro, os portugueses entrarão no primeiro dia de 1759, ano promissor para o regresso em grande das perucas empoeiradas. Prevê-se que a execução dos Távoras dê que falar, havendo movimentações no sector televisivo, com os vários canais a disputar os direitos de transmissão e estudando maneiras de convencer os executados a cantar e dançar no cadafalso. Os jesuítas serão expulsos do país (a ordem religiosa; os bolos típicos de Santo Tirso poderão continuar a exercer a sua actividade) e António Costa terá de se aplicar para continuar a reconstrução de Lisboa, depois do terramoto que devastou a cidade. O ano seguinte a 1759 poderá ser 1986, ano da adesão de Portugal à CEE, porque as vivendas com piscina e os carros desportivos então comprados precisam de renovação. 28/

Governo lança Programa Pilatos para forçar portugueses a lavar as mãos

Perante os resultados preocupantes de um estudo que questiona a frequência da lavagem de mãos entre os portugueses, o Governo decidiu tomar o assunto em mãos (passe o gracejo involuntário) e lançar uma campanha de promoção da lavagem manual, considerada a base de uma higiene pessoal eficaz. O ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, que tutela o combate aos germes, anunciou para breve o início do Programa Pilatos, iniciativa pioneira baptizada com o nome do governador romano da Judeia que lavou as suas mãos depois de entregar Cristo para ser crucificado. Durante a campanha, serão conhecidos os hábitos higiénicos de algumas figuras políticas como exemplo a seguir e, depois de lavar as mãos de alguns funcionários governamentais com outro tipo de sabonete, a Inépcia teve acesso à informação. Assim, José Sócrates costuma liderar os seus ministros na procissão do hemiciclo até à casa de banho mais próxima para lavarem as mãos depois da entrega do orçamento de Estado, enquanto que o presidente Cavaco Silva lava profusamente as suas depois de receber representantes do Governo, dos sindicatos ou partidos, algo que, por sua vez, estes também fazem. De todos os consultados, apenas Santana Lopes, líder do grupo parlamentar do PSD, não tem por hábito lavar as mãos depois de usar a retrete, mas apenas porque leva sempre uma assistente consigo para lhe segurar o membro. 9/11

Zoólogos afirmam que encontrar um trevo na tromba de um elefante não é tão fácil como se diz

Um grupo de conceituados zoólogos reunidos numa paragem da Carris à espera do autocarro para a Picheleira alerta para o facto de, ao contrário do que tem sido repetidamente afirmado na campanha publicitária de um conhecido hipermercado, não ser nada fácil encontrar um trevo na tromba de um elefante, pelo que o referido hipermercado pode ser culpado de difundir falsidades junto do público em geral. Entre os motivos apontados incluem-se as dimensões do animal e da planta em questão, visto que seria necessária uma quantidade incalculável de trevos para servir de aperitivo a um paquiderme. Além disso, a diferença de tamanhos dificultaria ao elefante segurar um único trevo na sua tromba, por mais hábil que fosse, situação que se torna ainda mais absurda se levarmos em conta que o trevo é, sobretudo, uma planta de climas temperados, enquanto que o elefante habita regiões tropicais. Mais fácil do que encontrar um trevo na tromba de um elefante seria, por exemplo, encontrar uma costela de zebra na boca de um leão, um saco de boxe com a efígie de Dragutinovic no ginásio privativo de Luiz Felipe Scolari ou fotografias obscenas de Cinha Jardim nas gavetas mais recônditas de Pedro Santana Lopes. A direcção do hipermercado pediu desculpa pela incoerência e anunciou que o jingle da campanha seria alterado para um refrão de métrica idêntica: “É fácil, é como não encontrar mulher na cama de Cláudio Ramos.

Grupo de activistas ecológicos vandaliza plantação de cannabis no Algarve

Marley Machado, cultivador de cannabis e sacerdote rastafari não conseguiu conter as lágrimas depois de ver como ficou a plantação em que trabalhara durante todo o ano e que foi destruída por um grupo ecologista que o acusou de plantar erva transgénica. “Não há direito,” disse, antes de ser levado pela polícia por produção de substância ilícita, “agora não sei como vou sustentar as duas mulheres, os nove filhos, trinta amigos e um pequeno festival de reggae que organizamos todos os anos em Monchique. Que Jah tenha piedade de nós!” O líder do grupo ecologista responsável pelo estrago, o autodenominado Batalhão Ecologista por uma Totalidade Orgânica, explicou que, esgotadas todas as vias legais de luta contra a ganza geneticamente modificada, “restam apenas as acções de destruição de colheitas a bem da integridade genética do país”. Martim Bernardo Vasconcellos e Freixiedo de Guimarães Cunha, líder do BETO, acrescentou ainda desconfiar seriamente de que, para piorar tudo, “o agricultor pretendia usar a sua plantação de cannabis para fins não previstos pelo Criador” e que, como é sabido, são unicamente a utilização como plantas ornamentais, o fabrico de fibras têxteis e a elaboração de centros de mesa. Acerca do BETO, apenas se sabe que é constituído por participantes num encontro de oração promovido pelo núcleo jovem da Opus Dei, alegadamente patrocinado por um organismo estatal (o IPB, Instituto Português de Beatos). Para marcar uma posição construtiva, os membros do BETO prestam-se a fornecer ao agricultor lesado um saco de contas de terço para preparar uma sementeira de Espírito Santo.

Tomar não aceita Festa dos Paneleiros

A cidade do Nabão está ao rubro devido a uma polémica relacionada com a tradicional Festa dos Tabuleiros, evento emblemático que anima as ruas de Tomar de quatro em quatro anos. Tudo se deve à proposta de um grupo de cidadãos de intercalar a Festa dos Tabuleiros com uma variante gay-friendly a que se chamaria, até ser encontrado título mais apropriado (e, convenhamos, seria difícil) “Festa dos Paneleiros”.O funcionamento seria semelhante. As jovens da cidade vestiriam os trajes típicos e, em vez de tabuleiros de pão, teriam de transportar à cabeça um homossexual com altura idêntica à sua, podendo receber ajuda de acompanhantes masculinos para equilibrar a carga, mas não podendo estes tocar o homossexual, mesmo que pedisse muito. O cortejo terminaria numa discoteca local, onde decorreria arraial “gay pride” com entrada gratuita para todos os que se apresentassem vestidos de Liza Minelli. No entanto, a ideia não agradou à generalidade da população, que se tem mostrado contrária à iniciativa. Um porta-voz popular anónimo disse mesmo que a Festa dos Paneleiros não faz sentido porque, em Tomar, não existem homossexuais desde que o último foi forçado a casar-se com a filha mais velha do pároco (a do bigode).

Autor da Inépcia expulso da esplanada de Paulo China

Renato Carreira, autor da Inépcia e bicampeão nacional de refogado de alta competição foi visto pelos correspondentes em Vilamoura das principais publicações “cor-de-rosa” do país a tentar entrar sem convite na Esplanada de Paulo China durante festa privada. O incidente terá sido agravado quando se colocou na fila formada para receber um abraço do anfitrião. Chegada a sua vez, quase concretizou o abraço (China perdeu a parte do cérebro que lhe permite distinguir entre quem conhece realmente e quem nunca viu num incidente com uma alforreca e uma garrafa de Licor Beirão), valendo a intervenção pronta de um dos convidados que se apercebeu da irregularidade, gritando: “ELE NÃO É JOGADOR DE FUTEBOL NEM APARECE NA TELEVISÃO!”. Ouvindo isto, Carreira terá tentado fugir, mas foi prontamente imobilizado por Cinha Jardim e suas filhas, que o fizeram cair por terra e começaram a desabotoar-lhe as calças, parando a tempo e desculpando-se com a força do hábito. O invasor foi depois escoltado para fora do recinto e lançado dentro de uma tina de água suja reservada aos penetras da plebe mediática, ainda com Pimpinha Jardim agarrada a uma perna.

Novo relatório refere ataques de beduínos como desvantagem de um aeroporto na Margem Sul

Um novo relatório de análise à viabilidade da construção do novo aeroporto de Lisboa na Margem Sul foi descoberto rabiscado na porta de uma retrete do Ministério das Obras Públicas e refere possíveis ataques de tribos beduínas como um dos elementos que aconselham o abandono da ideia. No entanto, o relatório, cuja autoria se desconhece mas que se pensa ter sido escrito por pessoa de competência reconhecida (visto estar assinado por alguém que se identificou como “pessoa de competência reconhecida”) refere que poderá existir também um lado positivo em eventuais acções de banditismo nómada, podendo estas aliviar os passageiros das suas bagagens e acelerar o processamento das partidas e chegadas aeroportuárias. Esta referência à existência de beduínos, povos nómadas árabes que habitam os desertos do Magrebe e do Médio Oriente, não deve ser relacionada com as afirmações de Mário Lino, quando chamou “deserto” à Margem Sul. Os beduínos que o relatório refere também montam dromedários mas têm hábitos diferentes, preferindo as camisolas da NBA e os bonés de pala às túnicas de algodão e panos keffiyeh. Além disso, o ministro esclareceu já que, quando falou em deserto, se referia apenas às três potenciais localizações do aeroporto (Poceirão, Rio Frio e Faias), deixando bem claro que não quis ofender ninguém e que o resto da Margem Sul não é, de todo, um deserto, mas apenas feia e malcheirosa.

Pitbull atacado selvaticamente por quatro crianças

A selvajaria interespécies fez-se sentir em Tavira quando um grupo de quatro crianças que passeavam livremente pelas ruas da cidade se lançaram sobre um cão pitbull preso à porta de uma pastelaria e lhe provocaram ferimentos graves. O animal foi salvo por uma matilha de cães rafeiros que conseguiram distrair as crianças tempo suficiente para que a vítima fosse transportada até clínica veterinária próxima, onde foi suturada com 47 pontos na cabeça e 18 na pata direita, tendo ficado cega de um olho. Este incidente, um entre muitos, e o facto de as crianças terem cinco anos de idade volta a motivar a discussão sobre crianças de idades perigosas, falando-se mesmo na possibilidade de compilar uma lista de idades proibidas cuja posse por particulares poderá vir a ser restrita. Para os defensores dos direitos da criança e criadores das idades ditas “perigosas”, essa medida é profundamente injusta por considerarem que não há crianças más. De acordo com Celina Pisco do Clube de Puericultura do Algarve, “a responsabilidade é sempre dos donos por não as condicionarem adequadamente, limitando-lhes os naturais instintos destrutivos.” As crianças envolvidas foram posteriormente capturadas pela GNR e serão abatidas através de método que consiste em forçá-las a ver episódios da “Floribella” durante horas consecutivas e que muitos consideram desumano.

Nova geração de produtos “zero” aposta em embalagens vazias

A matemática pode ter estabelecido que o zero não vale grande coisa enquanto algarismo, mas poderá não ser sempre assim. Com a popularização dos produtos “zero” (zero açúcares, zero calorias, zero aditivos etc), a indústria alimentar dá mostras de uma fertilidade criativa de proporções diarreicas e, em breve, começaremos a ver nos supermercados exemplos de uma nova geração de produtos deste tipo composta exclusivamente por embalagens vazias. A diferença entre esta nova geração e a anterior é subtil mas marcante. Se os produtos “zero” tradicionais apostavam sobretudo no valor do produto em si, com as qualidades “zero” conferindo-lhe atractivo acrescido, os novos têm no zero o seu principal (e único) apelo. Uma das primeiras marcas a apresentar um produto “extra zero” será a Coca-Cola. De acordo com Mahmoud Ahmadinejad, presidente da Coca-Cola Portugal (a ligeira semelhança com o nome do presidente iraniano é acidental), “se a Coca-Cola Light se destina a consumidores que não gostam de calorias e a Coca-Cola Zero aos que não apreciam açúcar, a nova Coca-Cola Zero Plus destinar-se-á aos consumidores para quem a própria Coca-Cola é repelente.” Também a Danone prepara o lançamento de um iogurte “extra zero” que, mesmo com a embalagem vazia, consegue regular o trânsito intestinal de Fátima Lopes.

Futuro astronauta português poderá ser maior imbecil de todos os tempos em órbita

Mário Ferreira, o empresário candidato a ser um dos primeiros turistas espaciais, poderá aspirar a outro recorde para além do de primeiro português no espaço. De acordo com os registos da NASA e do programa espacial russo, a concretizar-se a sua aventura espacial, Mário ultrapassará o cosmonauta russo Boris Todorov como pessoa mais imbecil e ridícula a alguma vez entrar em órbita. E não se pense que é fácil. Em 1988, Todorov fez parte da tripulação de uma nave Soyuz enviada à estação espacial Mir pela União Soviética e passou os doze dias da missão imitando a voz do urso Misha, popular personagem de desenhos animados da época, até ser tragicamente projectado da nave durante reentrada na atmosfera terrestre em circunstâncias que continuam por explicar. Além da enormidade que é comprar um lugar na história, Mário Ferreira inclui também no seu extenso rol de imbecilidades as figuras que tem feito na cobertura que a SIC faz do seu treino, dando gritinhos de júbilo infantis em exercícios de gravidade zero. Recordes à parte, o astronauta lusitano pretende imprimir um cunho científico à viagem, estudando as possibilidades de fritar pastéis de bacalhau no espaço e de usar traques como propulsão alternativa.

Túnel do Marquês leva condutor até universo paralelo

O Túnel do Marquês está novamente na berlinda depois de um condutor nele ter entrado e ter saído num mundo encantado governado pelas leis da fantasia, muito longe de Algés, o seu destino final. O condutor conseguiu finalmente regressar ao centro de Lisboa depois de parar para pedir direcções a um grupo de centauros que lia jornais desportivos ali perto, discutindo a eficácia de Derlei como atacante, mas não ganhou para o susto e apressou-se a apresentar queixa à comunicação social e às autoridades competentes (por essa ordem). “É um escândalo,” considerou. “Uma pessoa vai para o trabalho e acontece-lhe uma destas. Se não me tivesse lembrado de trazer um ramo de uma árvore de chupa-chupas, o patrão nunca acreditaria na minha justificação para o atraso.” Carmona Rodrigues prometeu investigar a situação em breve, não o podendo fazer já por “ter outros assuntos com que se preocupar de momento.” Aos utentes resta prestar atenção às novas placas de sinalização do desvio interdimensional entretanto colocadas e seguir os conselhos de segurança dos bombeiros e da Brigada de Trânsito, entidades que já admitiram não estar preparadas para lidar com dragões ou outras criaturas cuspidoras de fogo que possam sair do túnel e muito menos com engarrafamentos de unicórnios na 2ª Circular. Santana Lopes, o mentor da construção do Túnel do Marquês não quis fazer comentários mas parece muito interessado no assunto, estando reunido na sua casa de banho com duas sereias e um manual ilustrado de anatomia de peixes.

Campanha "Allgarve" inspira campanha "Poortugal"

O ministro da Economia não se deixou abalar pela polémica em torno da campanha “Allgarve” de promoção do turismo algarvio e aproveitou o embalo para anunciar o lançamento próximo da campanha “Poortugal”, baseada na primeira e concebida pelo mesmo grupo de publicitários autistas, trabalhando em colaboração próxima com uma caixa de lápis de cor e um pires de tremoços. Antecipando-se a possíveis críticas, Manuel Pinho lembra que a designação completa do cargo que desempenha é “ministro da Economia e Inovação” e, já que a economia não tem salvação possível, mais vale aplicar-se na inovação e é por isso que a nova campanha tentará promover uma faceta do país que tem ficado por explorar. “Desde que fui à China aliciar os chineses com os nossos baixos salários,” explica, “que me apercebi do potencial que Portugal tem para atrair turistas e investidores europeus que procurem condições económicas e sociais semelhantes às da América Latina mas perto de casa. A pobreza também pode ser uma vantagem.” Quanto às acusações de que este tipo de trocadilhos de letra dobrada são imbecis, aborrecidos e só agradam a gente sisuda e pouco esclarecida, o ministro refere ser um homem que cultiva o humor há muitos anos e que até tem a colecção completa dos livros de anedotas de António Sala.

Universidade Independente transformada em estabelecimento de diversão nocturna

A Universidade Independente está prestes a ver encerrada a polémica que a tem rodeado nos últimos tempos, agora que foi nomeado um reitor com ideias concretas quanto ao rumo a seguir. Para Tony Fataça, o novo reitor, um homem com vários doutoramentos na escola da vida obtidos em Portugal e no estrangeiro, a única solução será operar uma mudança de ramo, transformando o estabelecimento de ensino em “Independente Dancing,” casa de diversão nocturna e de prestação de serviços de índole romântico-brejeira. E as vantagens são muitas. Por um lado, a Independente deixaria de ser uma universidade de reputação duvidosa e passaria a ser uma casa de reputação duvidosa gerida com seriedade e competência, por outro, os alunos (sobretudo as alunas mas há gostos para tudo) que não pedissem transferência seriam muito úteis para animar os clientes e o dinheiro ganho ser-lhes-ia muito mais proveitoso do que um diploma da Universidade Independente (que, afinal, só serve para chegar a primeiro-ministro). Tony, ou “Paizinho Fataça” como gosta de ser chamado pelas suas alunas de mestrado, refere, no entanto, que cinco anos como “animadora” das noites quentes da Independente (nas modalidades de varão, colo ou quarto dos fundos) terão equivalência com qualquer outro curso de comunicação social.

8 em cada 10 portugueses acha que a OPA é uma espécie de animal

Por mais que se tenha falado nos últimos tempos acerca da OPA da Sonae sobre a PT, um estudo realizado para a Inépcia e para o Canil Municipal de Oeiras revela que oito em cada dez portugueses acredita que uma OPA é um tipo de animal. Esta hipótese poderá não ser totalmente descabida e um grupo de biólogos naturistas de Silves acredita que a célebre OPA é realmente um animal de difícil classificação e raramente avistado. De acordo com as poucas informações de que dispõem, trata-se de uma criatura ovípara que eclode de um pequeno ovo verde e adquire a sua natureza maiúscula por volta das três semanas, passando de opa a OPA. Dos seus hábitos apenas se sabe que aprecia música de câmara, a cor azul e jogos de andebol que acabam em violência. Existe uma série de mitos acerca destas ilusivas criaturas. Diz-se. por exemplo, que Belmiro de Azevedo tem uma gaiola cheia delas no jardim e que as alimenta à base de manteiga de amendoim. E há quem jure que, quando cruzadas com tartarugas marinhas, o híbrido resultante se assemelha muito a Manuel Luís Goucha (quando ainda tinha bigode). No entanto, estas hipóteses só poderão ser comprovadas depois de se capturar um exemplar vivo para estudo.

Novo slogan do turismo português será: “Portugal, o bocado que falta a Espanha”

O novo slogan substitui o anterior “Portugal, férias que ninguém esquece (mesmo que esqueça o nome do país)” que fez maravilhas pela divulgação internacional e que, de acordo com estudo levado a cabo em todo o mundo, é responsável pelos 52% de inquiridos que já conseguem encontrar o nosso país num planisfério (com um círculo em torno da Península Ibérica e com a palavra “Portugal” sublinhada a tinta fluorescente), sendo que os restantes 48% estranharam “aquele canto de Espanha pintado de outra cor.” O slogan “Portugal, o bocado que falta a Espanha” foi apresentado pelo ministro da Economia, Manuel Pinho, durante petisco numa marisqueira muito afamada da Golegã em que participaram também diversos elementos da comunicação social e uma ou outra freira carmelita. Depois de servida a sapateira, foi exibido em estreia mundial o novo spot comercial do turismo português. Com a verdejante paisagem da Serra de Sintra como pano de fundo, a fadista Mariza pendura-se nua de um trapézio com a cabeça para baixo e canta “Povo Que Lavas no Rio” sobre um tanque com tubarões famintos, enquanto segura numa mão um prato de Bacalhau à Lagareiro e, na outra, uma garrafa de tinto alentejano. De acordo com o ministro, “estas imagens condensam o melhor que Portugal tem para oferecer aos turistas estrangeiros, o tanque de tubarões representa a riqueza do nosso mar e o trapézio é só para os deixar a pensar.”

Protecção Civil aposta na constatação do óbvio para combater extremos climáticos

O Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil promete manter a mesma linha de aconselhamentos sobre formas de combater os extremos climáticos, continuando a basear as suas recomendações na constatação do óbvio. Assim, os portugueses continuarão a ser aconselhados a usar roupa quente e a fechar as janelas no frio intenso e a usar roupa arejada e consumir líquidos nos dias de maior calor mas prevê-se uma intensificação de esforços para garantir que a mensagem passará. É para atingir esse objectivo que o SNBPC vai editar em breve uma brochura com estas e outras recomendações elaborada com cuidado especial para evitar pânicos desnecessários. A brochura, intitulada “O Que Tem de Fazer Para Não Ser Vitimado Por Uma Morte Cruel” explica com ilustrações coloridas os malefícios de correr nu pela rua com temperaturas negativas, de usar edredons de penas com quarenta graus à sombra ou de enfiar os dedos na tomada, sobretudo quando se tem os pés dentro de uma bacia de água. O presidente do SNBPC, major-general Arnaldo Cruz, confirmou a intensificação de esforços mas não quis fazer mais comentários por estar ocupado a analisar a relação entre o desenvolvimento de problemas lombares e o salto de viadutos ou edifícios altos.

Movimento “Pedófilos Pela Vida” lança caos na campanha do referendo

A campanha de esclarecimento que antecede o referendo ao aborto está a revelar uma animação que não se via desde os saudosos tempos do PREC. A mais recente polémica tem a ver com a participação do movimento “Pedófilos Pela Vida” (PPV) na campanha do “Não,” um movimento que tem sido alvo de condenação de ambos os lados da barricada ideológica. Do lado dos partidários do “Não,” entende-se que a campanha não precisa de grupos de cidadãos com intenções duvidosas e hábitos peculiares porque já têm apoiantes mais do que suficientes nesses moldes. Um porta-voz do PPV, anónimo como os restantes membros, não se deixou abalar pelas críticas e mostrou-se convicto na continuação da luta contra algo que considera um crime porque “é desumano que se faça sofrer uma criança que ainda não nasceu. Terá bastantes oportunidades para sofrer depois do nascimento e nós cá estamos para garantir isso.” Mas não é só do lado do “Não” que tem havido apoios indesejados. Recentemente, foram expulsos de uma acção de rua do “Sim” os integrantes da Confraria do Embrião, grupo de gastrónomos que defende o aborto como forma de produção do ingrediente principal da sua iguaria de eleição, a caldeirada de nascituro.

Pai Natal implicado no processo Casa Pia

Nem a personificação da quadra natalícia consegue escapar ao estigma da pedofilia, vendo-se agora implicado num processo que já arrastou na lama outras figuras igualmente mediáticas. O bonacheirão predilecto da pequenada foi referido por um aluno da Casa Pia alegadamente abusado como tendo estado presente numa orgia de Natal na casa de Elvas em 1998. De acordo com um porta-voz do Pólo Norte, o Pai Natal não nega ter estado presente no local na data referida mas garante que o fez apenas no cumprimento do dever e que se limitou a deixar presentes debaixo da árvore e a seguir caminho. Ao que parece, depois de se infiltrar pela chaminé abaixo (como faz em todas as casas, mesmo as que têm exaustor instalado, aplicando um bem guardado segredo de ofício), sentiu-se enternecido ao ver um grupo de adultos a ensinar crianças a lançar o pião. Foi só após alguns segundos de observação que lhe ocorreu que lançar o pião em pelota não é muito comum e que os objectos manuseados pelos pequenos não eram piões. Quanto aos rumores de que estaria envolvido numa operação de favorecimento desportivo à equipa de futebol do Benfica, o Pai Natal nega terminantemente essa possibilidade e garante que as cores do seu fato resultam do patrocínio de um conhecido refrigerante e não de preferência clubística, até porque a sua modalidade preferida é o tiro aos pombos.

Metade do país em alerta cor-de-burro-quando-foge

O Instituto de Meteorologia criou uma nova categoria nos seus alertas cromáticos que pretende simplificar o funcionamento mas sem alterar o aprazível clima de pânico constante entre os cidadãos que é, afinal, o objectivo primordial de todo o sistema. De acordo com um porta-voz do Instituto, "o novo alerta cor-de-burro-quando-foge permitirá continuar a gerar pânicos infundados e irresponsáveis junto da população mas sem a complicação da correspondência entre cada cor e um conjunto de fenómenos atmosféricos banais." Assim, de agora em diante, Portugal passa a ter metade do seu território permanentemente em alerta cor-de-burro-quando-foge, guardando-se a escala comum que vai do cinzento ao vermelho para fenómenos de gravidade efectiva como furacões, vagas de calor desértico ou pragas de gafanhotos canibais. O novo alerta passa a vigorar sempre que se verifique uma ou mais das seguintes condições: chuva, seca, vento, ausência de circulação de ar, calor, frio, excesso de ozono, falta de ozono, nevoeiro, geada, aguaceiros, granizo, ondulação fraca, ondulação forte e céu pouco nublado com possibilidade de boas abertas pela tarde nas zonas do litoral sul. A particularidade de apenas metade do país ficar abrangida pelo alerta explica-se, segundo os especialistas, pelo facto de, sem indicar qual é a metade em questão, se conseguir manter toda a população preparada para o pior em permanência.

Visitas à redacção do 24 Horas passam a ser possíveis apenas com marcação prévia

A administração do jornal “24 Horas” anunciou que, a partir de agora, as visitas à redacção só serão permitidas a quem tiver efectuado uma marcação prévia. Por “visitas” entendem-se também todos os tipos de invasão mais ou menos forçada. A primeira consequência desta nova política é a não repetição de visitas mediáticas como a do presidente do Benfica ou de agentes da Polícia Judiciária e que começavam a tornar-se imagem de marca do jornal. Para o director, Pedro Tadeu, “assim fica tudo mais organizado e sempre nos dão tempo de arrumar a redacção e queimar incenso para disfarçar o cheiro intenso do nosso jornalismo.” As visitas guiadas ao jornal incluirão visita à catatua que se ocupa das questões deontológicas e a possibilidade de contribuir um boato para a primeira página do dia seguinte.

Rapto de crianças poderá ser benéfico

No seguimento do caso de Natasha, jovem austríaca raptada e mantida em cativeiro durante oito anos, cada vez mais psicólogos avançam a possibilidade de este tipo de raptos ser benéfico para a formação da criança. A teoria, que encaixa no modo como a comunicação social tem tratado o caso (realçando a ligação aparentemente terna entre o pedófilo e a vítima) refere que os raptos permitem despertar mais cedo para toda uma variedade de desvios sexuais e doenças mentais com que as crianças terão de se confrontar ao longo da vida. O Governo não perde tempo em acompanhar os avanços da ciência e está a converter uma casa em Elvas, dotada de cave ampla e facilmente transformável em celas individuais, num centro ao serviço do projecto “Férias com um Tarado.” Nesta fase inicial, o tarado de serviço poderá ser Bibi, um dos arguidos do processo Casa Pia, convertendo-se a sua sentença em serviço comunitário, desde que este se comprometa a raptar, pelo menos, uma criança por mês.

Alentejo quer prisão secreta da CIA

Uma unidade hoteleira de Odemira está a negociar com a CIA a instalação de um centro de detenção para suspeitos de terrorismo que, a concretizar-se o acordo, será o primeiro do género em Portugal (até agora, as instalações da CIA em Portugal limitavam-se a um snack-bar no Seixal). A unidade hoteleira em questão foi construída em meados da década de 90 e destinada ao turismo rural, encerrando dois anos após a inauguração por falta de clientes. Recentemente, com a discussão em torno do transporte e detenção de prisioneiros da CIA na Europa, a administração decidiu propor o negócio a Washington, salientando as muitas vantagens que daí poderiam advir para a causa anti-terrorista. Entre as principais, merecem destaque o facto de a unidade se localizar num antigo monte alentejano a quilómetros da povoação mais próxima, garantindo sigilo absoluto aos operacionais e permitindo aos prisioneiros gritarem à vontade sem que ninguém os ouça. Além disso, as inúmeras explorações de suinicultura da região facilitariam a utilização de porcos, animais impuros no Islão, para chantagem emocional aplicada a muçulmanos convictos. Se necessário, a CIA poderia mesmo recorrer a sessões contínuas de cantos corais alentejanos antes dos interrogatórios para “amolecer” os suspeitos. Finalmente, em caso de escassez de suspeitos árabes, os habitantes locais mais morenos não hesitariam em oferecer-se como prisioneiros para escapar ao desemprego crónico.

Mergulhão basco com gripe das aves prova que espanhóis estão à frente de Portugal em tudo

Mais uma vez fica provado o irritante hábito de nuestros hermanos para estarem à nossa frente em tudo. Como se não bastasse a primazia económica e cultural e o facto de Portugal ser muito mais difícil de encontrar no mapa, agora até na gripe das aves os espanhóis ganham avanço. Com a detecção do vírus H5N1 num mergulhão morto encontrado no País Basco, Espanha torna-se oficialmente no primeiro país ibérico a registar um caso da mediática epidemia. Mas, desta vez, não foi por falta de esforço lusitano. Nunes Correia, ministro do Ambiente, garante que tudo foi feito para ultrapassar a concorrência espanhola, incluindo submeter aves migratórias a correntes de ar e deixá-las à chuva (que, como se sabe, é receita infalível para contrair gripes) mas nada resultou. Também o ministro da Saúde, Correia de Campos, lembrou a instalação de capoeiras em vários hospitais para facilitar contágios mas sem resultados. Resta agora ultrapassar o orgulho ferido e mobilizar o país para o desígnio nacional de termos o primeiro caso de ébola na Europa.

Planetas que giram em torno uns dos outros lançam debate sobre homossexualidade celeste

A descoberta recentemente anunciada de dois planetas que giram em torno um do outro (em vez de orbitarem uma estrela) está a colocar o mundo da astronomia em polvorosa com a possibilidade de os objectos celestes poderem também ser homossexuais. “Não quer dizer nada,” explicou o Prof. Cláudio Ramos do Observatório de Lisboa, “mesmo que dois planetas se orbitem um ao outro e andem de mão dada pela rua e tomem banho juntos, isso pode significar apenas que são grandes amigos.” Os planetas em questão foram observados através de um telescópio potente e verificou-se que, não só andavam em órbita um do outro, como estavam constantemente a mudar a decoração do seu canto da galáxia e a experimentar acessórios vistosos como anéis de gelo, nuvens gasosas ou camisolas de lycra.

Stanley Ho põe EDP a calcular consumos com slot-machine

A primeira ideia do magnata Stanley Ho para a EDP, depois do anunciado reforço da sua participação na empresa, é o cálculo dos consumos por slot-machine, abandonando os contadores. “Os contadores até podem ser eficazes mas o seu potencial de diversão é quase nulo,” explica o homem que levou Macau de obscura colónia portuguesa a obscura colónia portuguesa onde se podem ganhar umas massas na roleta. Com a implementação da nova estratégia, a slot-machine será accionada para cada cliente e, consoante o resultado, poder-lhe-á ser cobrado o dobro ou a metade, existindo ainda possibilidades de não pagar electricidade para o resto da vida ou ficar ligado à família Ho em regime de escravidão até à oitava geração. Nenhuma outra alteração foi proposta para além do show diário com coristas seminuas que já teve aprovação pessoal do presidente executivo António Mexia.

Reformados que ultrapassem esperança de vida prevista serão abatidos

A associação das pensões de reforma à evolução da esperança de vida tem uma ligeira nuance que, de forma compreensível, não foi muito divulgada. Esta prevê que os reformados que ultrapassem a esperança de vida prevista sejam abatidos. Quem não quiser morrer de forma antecipada terá o prazo de um ano para vencer um prémio Nobel ou descobrir a cura para uma doença grave, provando assim a sua utilidade. Questionado sobre o alegado secretismo que tem rodeado esta medida quando saía da sua explicação semanal de governação na embaixada da Finlândia, o primeiro-ministro explicou que “o plano está exposto há vários meses num dossier cosido ao forro das calças do ministro Vieira da Silva e só não viu quem não quis.”

Descoberta cura para a obesidade: Processo milagroso consiste em comer menos

Um investigador médico amador da Chamusca poderá ter descoberto a cura para a obesidade. Orlando Perafita, operário fabril que se dedica à investigação nas horas vagas, acredita que uma redução gradual das quantidades de alimento ingeridas pelo doente acompanhada pelo abandono de alimentos de alto teor calórico e baixo valor nutritivo terá como efeito, a médio ou longo prazo, a cura plena. Para complementar o tratamento, Orlando desenvolveu uma pílula a ser tomada antes das refeições. Este medicamento ainda sem nome é composto exclusivamente por cola acrílica que, em contacto com a saliva, promete reduzir drasticamente o apetite. Recorde-se que o “Dr. Perafita”, como lhe chamam os amigos, deu que falar quando descobriu que não beber curava o alcoolismo mas caiu em desgraça ao sugerir que a estupidez podia ser curada com injecções de penicilina.

Advogado de Carlos Cruz convoca toda a população do Luxemburgo como testemunhas de defesa

Ricardo Sá Fernandes, advogado de Carlos Cruz no processo “Casa Pia” voltou a surpreender o país com mais um inusitado exemplo daquilo que muitos já classificam como advocacia criativa. A proposta anterior, em que sugeria a dispensa de testemunhas para acelerar o processo ao mesmo tempo que solicitava a audição de 80 novas testemunhas de defesa, foi mal recebida pelos colegas que o acusaram de estar a “brincar.” Agora, Sá Fernandes pretende que os cerca de 500 mil habitantes do Luxemburgo, incluindo muitos de origem portuguesa, sejam ouvidos como testemunhas de defesa do seu cliente. “Eu tentei facilitar as coisas,” explica quando questionado se esta será ou não apenas uma forma de vingança infantil, “nunca se sabe se não haverá gente no Luxemburgo que possa trazer novos dados ao processo. E não me chateiem senão faço o mesmo com um país maior.” Entretanto, Carlos Cruz assinou contrato com a RTP para a apresentação de nova série do 1,2,3 a gravar no tribunal durante as audiências.

Filho de Cristiano Ronaldo e Merche Romero pode vir a ser criança mais estúpida de todos os tempos

A comunidade internacional está alarmada com as consequências de um hipotético casamento entre o futebolista Cristiano Ronaldo e a apresentadora de televisão Merche Romero. De acordo com o sueco Ingvar Karlsson, responsável pelo Departamento de Ameaças à Sanidade Global da ONU, “se estas duas personalidades tivessem um filho, o resultado seria uma criatura tão avassaladoramente estúpida que não chegaria sequer a ser considerada humana.” A combinação de genes do maior futebolista português da actualidade com os da maior Merche Romero andorrenho-portuguesa da actualidade revelar-se-ia catastrófica pois daria início a uma subespécie de aspecto vagamente humano que poderia usar os seus dotes atléticos e sorriso amplo para ascender à posição de espécie dominante do planeta e destruir a civilização tal como a conhecemos. Para evitar que tal aconteça, a ONU prepara-se para aprovar uma resolução que obrigue Cristiano e Merche a procriarem apenas com vencedores do Prémio Nobel da Física ou da Química, produzindo assim crianças com um coeficiente normal de estupidez.

Testemunhas do processo Casa Pia obrigadas a referir-se a Paulo Pedroso como "Sr. P"

Paulo Pedroso pode não ter sido constituído arguido do processo Casa Pia mas as testemunhas continuam a referi-lo com frequência como autor de abusos sexuais, situação incómoda para o próprio e também para a justiça. Para contornar a situação, a juíza Ana Peres instruirá as testemunhas no sentido de, se tiverem mesmo de fazer referência a Paulo Pedroso, passem a chamar-lhe “Sr. P.” De igual forma, se pretenderem acusar o “Sr. P” de alguma forma de abuso sexual, deverão passar a usar um código que, por exemplo, transforma a frase “Paulo Pedroso forçou-me a praticar sexo anal” em “O Sr. P foi-me ao C.” Contactado na Roménia, onde lidera uma equipa de peritos em questões de trabalho da União Europeia, Pedroso mostrou-se desconsolado por ter sido descoberto tão longe e anunciou que se mudará em breve para as estepes da Mongólia onde pretende dedicar-se ao fabrico de queijo com leite de égua.

Prisão de proprietários põe em risco clubes de strip: Strippers actuam com lingerie do dia-a-dia

As operações policiais contra clubes de striptease e a detenção de empresários do ramo têm tido consequências nefastas para o negócio e põem em risco a subsistência da indústria strippeira nacional. Quem o diz é Januário Mamas da Silva, proprietário do Sexy’s, conceituado clube de strip da Beira Baixa, que, apesar de não ter sido alvo de investigação policial, considera estar a ser afectado por algo que classifica como “estigma.” “Perdemos muitos clientes,” explica, “ficam em casa e preferem passar o tempo a conviver com a família, a ler ou noutro tipo de actividades aberrantes e imorais em vez de ver mulheres nuas a dançar.” A redução dos lucros afectou o orçamento do Sexy’s de tal forma que as bailarinas deixaram de ter subsídio para compra de lingerie erótica e passaram a actuar com a roupa interior que trazem de casa. No que respeita às bailarinas brasileiras, não tem havido queixas mas as ceroulas de malha das ucranianas começam a incomodar a clientela que resiste.

PT substitui hino em anúncio por Quim Barreiros e consegue melhores resultados

A Portugal Telecom diz estar solidária com os portugueses descontentes pela utilização do hino nacional numa campanha publicitária e substituirá “A Portuguesa” por uma versão instrumental da popular composição “Bacalhau À Portuguesa” de Quim Barreiros. A decisão foi tomada depois de várias personalidades terem manifestado desagrado por esta utilização comercial de um dos símbolos nacionais, antecipando-se a qualquer sanção imposta pelas autoridades. A nova versão do anúncio musicada por Quim Barreiros foi submetida à apreciação de uma plateia composta por portugueses-tipo e despertou um maior sentimento de identificação patriótica do que a versão com o hino. Graças a estes resultados surpreendentes, um grupo de deputados da ala mais patriótica do parlamento (a terceira fila a contar do fim à esquerda) irão propor a adopção desta melodia como novo hino nacional, alterando-se o refrão para “Quero cheirar teu Portugal, Maria.”

Minestério da Educassão dis k não akaba com ezame de Portuguez por mutivos hóbvios

A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, recuou na intenção de acabar com o exame de Português para todos os alunos que concluem o 12º ano. A reviravolta deu-se quando redigia uma justificação, mencionando dúvidas sobre a pertinência de forçar alunos da área científica a fazer um exame que se enquadra noutra área. Seguiu-se um momento de reflexão em que a ministra e colaboradores tentaram lembrar-se da grafia correcta da palavra “pertinência” contactando mesmo titulares de outras pasta do Governo e o próprio primeiro-ministro. José Sócrates escusou-se a responder por estar a fazer sudokus enquanto que o ministro da Justiça, Alberto Costa, pensou durante alguns minutos e respondeu tratar-se de uma pergunta traiçoeira pois a palavra “pertinência” não existe. Quanto ao exame de Filosofia, foi reunida uma task force para reflectir sobre o significado empírico do conceito de “exame” e adiou-se a decisão para depois da descoberta do sentido da vida.

Defensores da teoria da Terra plana exigem retirada de globos das salas de aula

A Liga para a Promoção da Teoria da Terra Plana (LPTTP), instituição apologista de que o planeta em que vivemos é plano e não esférico, vai pedir ao Ministério da Educação a retirada de todos os globos terrestres das salas de aula por considerar que são um obstáculo à livre escolha pelos alunos da teoria que desejam adoptar. Para Madalena do Sagrado Prepúcio, presidente da LPTTP, “se uma corja de ateus pode pedir a retirada dos crucifixos, nós também temos o direito de defender as nossas crianças de convicções que acreditamos serem erróneas.” Confrontada com o facto de a esfericidade da Terra ter sido provada cientificamente, explica que “não é bem assim porque temos três cientistas conceituados do nosso lado e apenas dois sofrem de alcoolismo severo.” Além disso, acrescenta que “mais provada está a existência de Deus, pois basta ir a Fátima ver como só por milagre gente tão pobre e doente consegue dar tanto lucro ao santuário e arrastar-se de joelhos durante quilómetros.”

Violência doméstica pode ser resolvida à chapada

Uma das mais pitorescas tradições portuguesas, a do amor musculado, pode ter os dias contados com a crescente atenção mediática ao problema e a sugestão da LMNSF (Liga das Mulheres que Não Se Ficam) para o resolver. A LMNSF, organização não-governamental com fins solidários e lucrativos (mediante venda de tapetes persas fabricados em Santo Tirso), foi criada precisamente com o objectivo de encontrar uma solução para a violência doméstica e, após três anos de pesquisa intensa, o objectivo parece ter sido atingido. De acordo com Estela Cavalão, presidente da LMNSF e campeã ibérica de kickboxing unissexo, “só leva nas trombas quem quer. Quem não quiser pode inscrever-se nos nossos cursos de defesa pessoal ou recorrer ao serviço de Telecapanga.” Este revolucionário serviço, disponibiliza o aluguer de capangas experientes que poderão ser contratados para retribuir na mesma moeda ao cônjuge agressor. Depois dos primeiros ossos partidos, promete-se docilidade cordeiral.

Santa Casa lança apostas sobre tempo de vida de Bibi

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, instituição secular que concilia vocações paradoxais para a caridade e para os jogos de azar, prepara-se para lançar mais um jogo que rivalizará com os muitos que já gere e que, todas as semanas, dão quantias milionárias em dinheiro à própria Santa Casa. Trata-se do “Totobibi,” jogo de apostas baseado no tempo de vida que restará a Bibi, o principal arguido do processo Casa Pia, recentemente libertado da prisão preventiva. Semanalmente, os apostadores poderão indicar num boletim quanto tempo acham que Bibi vai sobreviver até morrer em circunstâncias mais ou menos trágicas, apesar da protecção policial intensiva e colocando em risco a acusação aos outros arguidos visto que todo o processo parece girar em seu redor. Num jogo complementar, o “Joker Bibi,” poder-se-á apostar na forma de morte com hipóteses que vão do suicídio involuntário ao tiro na nuca quando os 48 guarda-costas se baixarem para atar os sapatos ao mesmo tempo.

Transplante de coração com dador vivo será permitido

O ministro da Saúde, Correia de Campos, mostrou-se disponível para alterar a legislação que regula os transplantes de órgãos de modo a permitir os transplantes com dador vivo. Abrangidos pela alteração da lei ficarão também os transplantes de coração que passam a poder ser efectuados sem que o dador esteja morto. Esta decisão terá sido influenciada pelo principal conselheiro médico do ministro, Fernando Batráquio de Almeida, conceituado médico prastofologista, especialidade da medicina de que é o único praticante, recusando-se a explicar em que consiste ao certo. De acordo com Batráquio, que conhece o ministro desde que lhe extraiu uma verruga do globo ocular em 1967, “o coração não é assim tão essencial ao funcionamento do organismo como antes se pensava e só médicos retrógrados podem continuar a afirmá-lo.” Quem ainda tiver dúvidas poderá visitar o dr Batráquio no seu consultório instalado numa ilha em pleno lago do Jardim do Campo Grande e levar-lhe tabaco.

Descoberto hospital sem médicos, enfermeiros ou doentes

O levantamento sobre os recursos da saúde, que revelou existirem hospitais com mais médicos do que camas, revela agora que existe um hospital no país completamente despojado de médicos e enfermeiros e que não tem quaisquer utentes. Trata-se do Hospital Distrital de Arrouquelas, construído há dois anos e dotado de instalações de fazer inveja aos grandes centros urbanos. Fernando Castro, administrador do hospital, nega gerir um “hospital fantasma” e lembra que “todos os hospitais têm lacunas. A deste é a falta de gente.” Tudo se deveu a um mal-entendido que enviou o dinheiro destinado a obras no Hospital Distrital de Santarém para a Junta de Arrouquelas que há muito pedia verba para a construção de um centro de saúde. Após a construção, verificou-se que já não havia dinheiro para a contratação de pessoal e a situação assim permaneceu. Mas nem tudo é mau e o Hospital de Arrouquelas gaba-se de ter as listas de esperas mais pequenas do Serviço Nacional de Saúde.

Único preto de Santa Comba Dão parte um pires e incendeia guardanapo

A onda de violência que tem marcado a actualidade em França parece ter chegado a Portugal. Na pacata cidade de Santa Comba Dão, o único residente preto de todo o município foi responsável por uma onda de desacatos que tem mantido a população local num clima de terror e pânico. O incidente deu-se numa conhecida pastelaria à hora do pequeno-almoço. João França, o cidadão étnico em questão, estava sentado a comer um pastel de feijão quando, de forma cruel e violenta, deixou cair o pires no chão, estilhaçando-o por completo. De seguida, não contente com o grau de destruição alcançado, acendeu um cigarro e deixou cair cinzas incandescentes sobre um guardanapo que se incendiou. A situação só não se agravou mais porque os populares presentes, sensibilizados pela cobertura mediática dos motins franceses, manietaram o revoltoso e cobriram-no de alcatrão e penas. Entretanto, foi decretado o recolher obrigatório no concelho e o perigoso agitador racial, que continua a insistir na desculpa fantasiosa de que tudo aconteceu apenas porque sua muito das mãos, será deportado para a sua terra de origem, Castelo Branco.

População de Figueiró dos Vinhos exige paragem do TGV

O projecto definitivo para o TGV enfureceu a população de Figueiró dos Vinhos que exige ter também uma paragem do comboio de alta velocidade na sua terra.“ Fernando Manata, autarca da vila, considera que “a contenção de despesas não justifica privar a população de Figueiró de uma ligação privilegiada às grandes capitais europeias como Madrid, Paris ou Nicósia.” Nem a proximidade de Leiria e Coimbra satisfaz as aspirações dos cerca de quatro mil habitantes da localidade, exigindo que a linha que une Lisboa a Madrid faça um desvio a Norte para servir o fluxo de homens de negócios que têm de se deslocar com frequência ao país vizinho. Por “fluxo de homens de negócios” entenda-se João Patrício, negociante de cuecas que, de dois em dois meses, tem de ir à capital espanhola visitar uma “afilhada” que lá tem. Também a população da aldeia beirã de Charrapela exigiu acesso ao TGV mas mostra-se disposta a adiar essa pretensão até à chegada da energia eléctrica.

www.inepcia.com