Inépcia: s.f. (do latim "ineptia) 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

Sócrates admitiu que afinal talvez soubesse alguma coisa

O filósofo grego Sócrates, famoso pela frase "Só sei que nada sei" terá renegado este elemento fundamental da sua filosofia de acordo com um texto agora descoberto por arqueólogos da Universidade de Atenas. Trata-se de uma carta ditada por Sócrates a Fraldipas, um dos seus discípulos, e dirigida a Alfredo de Samotrácia, uma figura de que pouco se sabe mas que vem provar que nem todos os gregos tinham nomes como Aristisíanes ou Pluraximandro. Nesse texto, inscrito num pedaço de ardósia, o filósofo queixa-se de Platão, acusando-o de "ser um chato" e de "andar sempre a escrever tudo o que eu digo." Recorde-se que Platão é o autor dos diálogos socráticos, responsáveis por hoje conhecermos excertos da filosofia socrática.

No entanto, o elemento que mais surpreendeu a comunidade científica foi o facto de Sócrates afirmar que estava enganado ao dizer "Só sei que nada sei" e admitir que, no fundo, até sabia alguma coisa. "Em verdade te digo, Alfredo amigo, estava eu a passear pelas colinas que rodeiam a eterna cidade de Atenas e apercebi-me do erro em que tinha incorrido," terá afirmado o filósofo, "Afinal, ao olhar para o modo como os estorninhos perseguiam os pintassilgos por entre a ramagem das oliveiras vi finalmente que sei várias coisas e isto é tão verdade como eu ter apalpado os (trecho intraduzível) de Zénon de Cefalónia atrás do Epidauro em certa tarde de Verão."

Sócrates viveu entre 369 e 399 antes de Cristo, ano em que foi condenado à morte por corromper a juventude com os seus ensinamentos e por heresia, sendo forçado a beber cicuta. Um dos nomes mais importantes da filosofia clássica juntamente com Aristóteles e o seu discípulo Platão, Sócrates baseava o seu pensamento no reconhecimento de que a única realização possível para a natureza humana consiste na busca do verdadeiro conhecimento, negando o valor dos conhecimentos instituídos e impostos por terceiros sem uma avaliação racional da validade dos mesmos pelo indivíduo.

Com o texto agora descoberto, cai por terra a validade da negação total do conhecimento a priori supostamente proposta por Sócrates. As coisas que o filósofo admite saber nesta carta encontram-se enumeradas com clareza: "Sei, por exemplo, que andar de sandálias na praia é uma chatice do (trecho intraduzível), que os jogos olímpicos nunca irão muito longe se insistirem em obrigar os atletas a participar nus, que é melhor alguém começar a levar a sério aqueles tipos de Roma antes que aconteça alguma desgraça e que marcar férias na Atlântida com antecedência é um bocado arriscado."

José Manuel Ovário Deslocado, um serralheiro que encontrámos a arranjar uma fechadura no departamento de Filosofia da Universidade Nova de Lisboa, considera que esta descoberta é de grande importância para o estudo da filosofia clássica e que todos aqueles que usavam a frase "Só sei que nada sei" para justificar a sua própria estupidez terão de arranjar qualquer coisa melhor.


Recuar