Inépcia: s.f. (do latim "ineptia") 1-Falta de aptidão ou habilidade. 2-Imbecilidade 3-Acto ou dito absurdo.
www.inepcia.com

Ferro Rodrigues possuído por espírito de taberneiro do século passado

O comportamento bizarro do secretário-geral do PS, Eduardo Ferro Rodrigues, poderá ter uma explicação sobrenatural de acordo com Clotilde Colette, médium com anos de experiência e que estagiou com os maiores nomes das ciências esotéricas como o professor Mamadu, Mestre Dialó, Doutor Sanhá e professor Galopim de Carvalho.

“O doutor Ferro Rodrigues é um homem educado e um político hábil que nunca teria os comportamentos que nos últimos tempos lhe têm sido atribuídos. A única explicação é a possessão por um espírito do Além,” considera Clotilde.

Desde que assumiu a liderança dos socialistas, Ferro Rodrigues tem alternado momentos de um comportamento próximo daquilo que se esperaria de um líder da oposição com outros mais próximos daquilo que se esperaria de um especialista em praticar tiro ao alvo com os próprios pés. Entre os momentos mais flagrantes destacam-se as reacções histéricas à revelação de que o seu telefone estava sob escuta no âmbito de uma investigação de alegados comportamentos criminosos do deputado Paulo Pedroso ou a magnífica frase “’Tou-me cagando para o segredo de justiça” dita no decorrer de uma conversa telefónica gravada e divulgada pela SIC. Apesar de poucos atribuírem relevância à frase, os cidadãos estão chocados com a constatação de que, para além de serem responsáveis por um atraso estrutural de décadas e de terem, na sua maioria, a credibilidade de um indivíduo de binóculos nos arredores de uma colónia nudista, os políticos portugueses também dizem palavrões.

Clotilde Colette mostra-se convicta de que Ferro Rodrigues está possuído pelo espírito insatisfeito de Aníbal Magalhães, proprietário de uma taberna rústica na aldeia de Varzilhós, concelho de Abrantes, que viveu no início do século XX. Para sustentar esta afirmação, baseia-se nos muitos anos de experiência e em testes exaustivos realizados com um aspirador e um ramo de salsa a que os especialistas chamam “teste do aspirador e do ramo de salsa.” Para além disso, Clotilde chama a atenção para o facto de Ferro Rodrigues não ter referido uma única vez não estar possuído pelo espírito de um taberneiro falecido, facto no mínimo suspeito.

Ao que parece, Aníbal Magalhães era um homem rude e que nutria uma vontade secreta de ser político, traduzida no comentário frequente “Se fosse eu a mandar nesta merda, raios me partam se esta merda não atinava” que muitos lhe ouviam. Uma das expressões preferidas por este entusiasta do vernáculo era precisamente “’Tou-me cagando para...” o que chamou a atenção de Clotilde que conheceu o próprio nos seus tempos de bailarina da revista itinerante “Badalhocas há muitas.” “Não são nada parecidos,” refere, “Não se pode comparar um homem com aquela cara de xarroco mal amanhado com o charme de um taberneiro à moda antiga.”

A explicação para a possessão é simples. “Já que o Amílcar nunca conseguiu ser político em vida, pode estar a tentar realizar esse sonho depois de morto, possuindo o doutor Ferro Rodrigues,” explica Clotilde que já se ofereceu para exorcizar o líder socialista em troca de uma secretaria de Estado do Sobrenatural num futuro governo do PS.
De acordo com a médium, este tipo de possessões de políticos por espíritos inquietos é relativamente comum e recorda a possessão recente do ministro Paulo Portas pelos espíritos de Estaline e Salazar, responsável por graves conflitos de personalidade.

Recuar